10 competências profissionais mais exigidas em 2021

O mundo do trabalho está naturalmente em fluxo e movimento constantes. Um exemplo claro disso foi o aumento da digitalização das empresas e a já referida “explosão” do fenómeno do teletrabalho.

Essas novas formas de trabalhar, como todos sabemos, foram impulsionadas pela crise da Covid-19 que veio para modificar completamente nossas vidas, refere o site factorialhr.pt.

Neste contexto de elevada incerteza e grandes desafios em quase todas os sectores, é de vital importância fazer crescer a nossa empresa. Para isso, é importante saber investir no capital humano e diferenciar quais as competências profissionais que não podem faltar nas equipas:

Mentalidade de crescimento:
Impulso , curiosidade, ambição. Qualquer definição é válida para definir aquele candidato que não se enquadra no status quo, que não tem medo de arriscar, fazer perguntas e experimentar coisas novas, tudo com o objectivo de se desenvolver profissionalmente e expandir os horizontes da empresa.

Tomada de decisão com base em dados:
Num mundo em crise é fundamental que nossos colaboradores (principalmente quando se trata de gestores), saibam quando, onde e como escolher o caminho a seguir, sempre orientados para maximizar resultados e utilizar recursos da forma mais eficiente possível.

Pensamento crítico:
Questionar processos, objectivos e dinâmicas de grupo, entre outras coisas, incentiva a inovação. Ser capaz de se dar espaço para repensar novas ideias que contribuam para encurtar o caminho para atingir os objectivos de negócios é vital em tempos de crise.

Resiliência:
Trata-se não apenas de ser capaz de lidar com as frustrações e factos negativos da vida em geral e do trabalho, mas também de voltar rapidamente aos trilhos. Um colaborador ideal nestes tempos deve ser capaz de “respirar fundo e seguir em frente”, sem maiores inconvenientes.

Flexibilidade:
No mesmo tom da competência anterior, é desejável que os colaboradores tenham capacidade e recursos intrínsecos, que possam adoptar novas formas de trabalho presencial ou remoto, usem novas ferramentas e aceitem as mudanças na estrutura das equipas.

Conforto num ambiente digital:
Parece óbvio, mas não é. Não se trata de poder usar uma plataforma de videochamada ou um painel interno da organização, mas de encontrar pessoas que possam gerir o seu tempo e desempenho de trabalho 100% remotamente e num contexto puramente virtual, operando a partir da nuvem.

Alta produtividade:
Num contexto social de crise, já mencionamos que optimizar recursos é fundamental, e um desses recursos é o tempo. O colaborador ideal em 2021 deve ser capaz de aproveitar ao máximo e sem descurar o seu bem-estar, as oito horas diárias nas quais deve dedicar-se às suas tarefas.

Compromisso:
Isto é crucial ao trabalho remoto. Muitas vezes acontece que fora do escritório, sem o contacto com outras pessoas e o conforto de estar em casa, é fácil ficar concentrado em tarefas que não são estritamente profissionais. Participar de reuniões, estar online quando apropriado, cumprir metas e ser responsável pelos resultados é mais importante hoje do que nunca.

Aprendizagem independente:
Encontre novas formas de realizar tarefas, incorpore novos hábitos, consulte os colegas como realizam determinadas actividades ou solicite tempo para fazer um curso dentro da empresa.

Trabalho em equipa:
Mais do que nunca e em ambientes 100% digitais, poder confiar nos outros colaboradores, respeitar o seu tempo e ter uma comunicação clara e concisa, é um aspecto que não deve ser negligenciado em hipótese alguma. O trabalho em equipa é a ferramenta fundamental para atingir os objectivos de negócios.

 

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...