9 soft skills (ainda mais) importantes no actual mercado de trabalho

«Toda esta digitalização e “remotização” estão associadas a um maior isolamento social, o que, a médio prazo, acaba por causar um grande défice nas soft skills.»

 

Por Francisco Paquete, assistente de Marketing do Grupo RHmais

 

O papel das soft skills é cada vez mais impactante no actual contexto do desenvolvimento tecnológico e, sendo Portugal um ecossistema privilegiado de startups, onde novas profissões são criadas quase diariamente, tem uma necessidade crescente de garantir profissionais com capacidades como a criatividade, a desenvoltura na resolução de problemas, a adaptabilidade a técnicas de gestão participativa, a facilidade no trabalho colaborativo, entre outros.

A verdade é que, se por um lado o desenvolvimento tecnológico e todos os automatismos, “informatizações” e deslocalizações de processos (agora remotos), trouxeram uma maior eficácia aos nossos mercados, por outro, toda esta digitalização e “remotização” estão associadas a um maior isolamento social, o que, a médio prazo, acaba por causar um grande défice nas soft skills, principalmente naquelas que estão directamente ligadas às relações interpessoais.

Partilhamos, então, algumas das soft skills que consideramos ser essenciais procurar e fomentar no seio das nossas organizações:

  • Comunicação

Comunicar envolve linguagem verbal, não verbal e escrita. Refere-se à capacidade de não só saber expressar/debater ideias, mas também de ser um bom ouvinte e saber entender questões, reter informações importantes e processar sugestões ou ordens.

 

  • Trabalho em Equipa

A capacidade de trabalhar em equipa, seja presencial ou remotamente, é talvez das soft skills mais importantes quer para a organização, quer para o próprio colaborador. Uma boa comunicação entre as equipas não só potencia a eficácia e a produtividade, como também contribui em larga escala para o bom ambiente interno e, consequentemente, para a satisfação dos colaboradores.

 

  • Análise

Capacidade de compreender, decifrar ou analisar informação. Saber avaliar de forma crítica não só as questões/tarefas/problemas que surgem no dia a dia, como também o seu enquadramento/circunstâncias e tomar decisões com base nessa análise.

 

  • Atitude Positiva

Uma atitude positiva e uma boa energia são uma enorme mais-valia para qualquer equipa. Trata-se de um mood facilmente contagiante e que contribui de forma muito positiva para o aumento do ânimo de todos os colaboradores e, consequentemente, para o seu desempenho e para a sua produtividade.

 

  • Resiliência

É uma das capacidades mais valorizadas actualmente. Com mercados cada vez mais exigentes, saber lidar com adversidades, mantendo o foco e a determinação, é extremamente importante e essencial para o alcance de objectivos a longo prazo.

 

  • Flexibilidade

Adaptação é a palavra de ordem no mercado de trabalho, actual e futuro. Com as transformações tecnológicas, estruturais, situações inesperadas como a pandemia que estamos atualmente a viver, a acontecer a cada segundo nas nossas organizações, a flexibilidade e a capacidade de adaptação são, hoje em dia, um autêntico ‘must have’.

 

  • Criatividade

A criatividade é, nos dias que correm, um dos maiores factores de diferenciação dos quais as organizações se podem valer.  Numa era em que o acesso a informação, tecnologias e ferramentas de toda a espécie é praticamente ilimitada, o factor criatividade faz toda a diferença. A capacidade de diferenciar a nossa organização das restantes, recorrendo exactamente aos mesmos meios e às mesmas ferramentas, é uma das principais mais-valias que podemos encontrar num colaborador, seja em que sector de actividade for.

 

  • Gestão de Tempo

Tempo é dinheiro, e saber geri-lo é essencial. Saber organizar-se de uma forma inteligente e eficaz dentro do binómio tempo-prioridades é algo essencial para garantir uma boa produtividade e o cumprimento de objetivos e deadlines.

 

  • Curiosidade

A proactividade na procura constante de conhecimento é uma característica muitas vezes subestimada. A curiosidade e o interesse de uma pessoa em aprofundar os seus conhecimentos no que à sua organização e às suas funções diz respeito não só demonstra uma enorme entrega e um enorme compromisso, como também, a curto, médio e longo prazo, irá fazer dela uma melhor profissional.

 

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...