A experiência do colaborador é chave para a estratégia de uma empresa

Hoje todos sabemos que existem muitos aspetos que podem impactar a satisfação dos colaboradores. Para uns, o reconhecimento é o aspecto mais relevante, outros apontam as condições salariais e benefícios para ponderar uma mudança de empresa e muitos são os que priorizam o relacionamento com os colegas e chefias e o equilíbrio trabalho-vida pessoal como principais motivos para valorizar a sua empresa enquanto bom lugar para trabalhar.

Por Beatriz Ortega, responsável pela área de Employee Experience da Liberty

Hoje todos sabemos que existem muitos aspetos que podem impactar a satisfação dos colaboradores. Para uns, o reconhecimento é o aspecto mais relevante, outros apontam as condições salariais e benefícios para ponderar uma mudança de empresa e muitos são os que priorizam o relacionamento com os colegas e chefias e o equilíbrio trabalho-vida pessoal como principais motivos para valorizar a sua empresa enquanto bom lugar para trabalhar.

Esses aspectos, entre outros, já fazem parte da experiência do colaborador, o que se tornou um elemento estratégico e um fator diferenciador na cultura das empresas que, além disso, ninguém duvida, também tem impacto na experiência dos clientes e o crescimento das empresas.

A pandemia que estamos a ultrapassar tem sido um desafio para todos, não só para a estabilidade dos negócios, mas também para a organização do trabalho. Por outro lado, também abriu novas oportunidades e impulsionou-nos, principalmente, a rever os modelos de trabalho num ambiente onde a digitalização se tornou um aspecto fundamental e também influencia a experiência das pessoas.

Hoje temos uma perspectiva diferente em relação ao nosso tempo e ao nosso bem-estar e, por isso, as empresas estão a estudar qual o modelo mais adequado ao novo normal. A maioria deles são modelos de trabalho híbridos ou totalmente remotos que, acima de tudo, proporcionam um melhor equilíbrio entre vida profissional e familiar, mas também proporcionam maior flexibilidade para pessoas e empresas.

Na Liberty, as pessoas estão no centro da estratégia.

Por isso, contamos de forma permanente com diversos canais para ouvir activamente os nossos colaboradores, intermediários, parceiros e clientes e actuar, de forma ágil, com base nos seus feedbacks. Quando se trata da experiência do colaborador, isso reflecte-se no nosso foco em garantir que recolhemos a sua voz e a valorizamos, definindo programas e iniciativas que impactam as pessoas. Isto foi também fundamental na concepção do nosso novo modelo de trabalho – um modelo flexível, em linha com as novas necessidades dos colaboradores. Um modelo que nasceu a partir de um pedido expresso dos colaboradores. Durante o último ano e meio, os quase dois mil colaboradores da empresa na Europa – em Portugal, Espanha, Irlanda e Irlanda do Norte – trabalharam à distância e o nível de satisfação com este modelo tem sido especialmente positivo.

Isso reflectiu-se num dos inquéritos que fizemos, no qual 93% dos colaboradores afirmaram que gostariam de apostar nesse modelo para o futuro. Ouvindo-os, criámos um novo modelo, que hoje é uma realidade a que aderiram 99% dos colaboradores na Europa, que nos oferece a possibilidade de teletrabalho permanentemente, com a flexibilidade de poder ir ao escritório um ou dois dias uma semana.

Esta opção permite-nos trabalhar de qualquer lugar, potenciando a conciliação da vida pessoal e familiar, mantendo espaço para, por exemplo, colaborar, inovar, festejar ou continuar a aprender juntos fisicamente. Agora usufruímos de todos os programas da experiência do colaborador em formato digital, aos quais acrescentámos novas vantagens, como uma ajuda de 660 euros por ano para cobrir despesas derivadas do teletrabalho.

Este modelo está alinhado com a transformação que a Liberty já estava a implementar para tornar-se uma seguradora totalmente digital e reflecte uma cultura de confiança, liberdade e flexibilidade. De facto, este modelo de trabalho conferiu-nos, pela primeira vez em simultâneo nos quatro mercados europeus em que operamos, a distinção, pela “Great Place To Work”, como uma das melhores empresas para trabalhar.

Sabemos que este certificado reflete o compromisso de cada uma das pessoas que integram a empresa e que, em grande medida, foi alcançado pelo nosso compromisso com a experiência do colaborador. Desta forma, aprendemos que, quando existe um interesse genuíno pelas pessoas, criamos espaços para lhes dar voz, respondendo ao seu feedback e capacitando-os, medindo o progresso; é nesse momento que a experiência passa a fazer parte da cultura da empresa como elemento diferenciador, refletindo-se também no crescimento do negócio e na experiência do cliente.

Ler Mais
pub


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*