A felicidade no local de trabalho é uma necessidade e não uma opção

O tema felicidade no trabalho é a prova de que o mercado está cada vez mais sensibilizado para a questão do bem-estar dos colaboradores.

Por Raquel Canoa, responsável pelo projecto Happiness at Work na RHmais

Se há uns anos o tema poderia ser tabu, hoje é discutido pelas mais variadas empresas, indicando que estamos a caminhar no sentido certo. Isto porque, acredito, sem sombra de dúvida, que todas as pessoas precisam de experiências de felicidade no seu local de trabalho.

Sentimos agora mais do que nunca que isto é uma necessidade e não uma opção, fruto das consequências do isolamento e do distanciamento social que a grande maioria das pessoas em Portugal experimentou durante os últimos dois anos, devido à pandemia.

Com a chegada ao mercado de trabalho da Geração Y (os nascidos entre 1982 e 94), as organizações adaptaram-se e passaram também por transformações na forma como abordam as questões do dia a dia de trabalho. O surgimento do conceito de que “tu tens que estar bem e sentir-te bem para conseguires produzir” tornou-se uma máxima nas organizações menos conservadoras.

O aparecimento dos lounges ou espaços de lazer nos locais de trabalho ou a simples presença de uma cesta de fruta fresca e café gratuito são exemplos dessa procura pelo bem-estar dos colaboradores. Mas os desafios que enfrentamos evoluem quando presenciamos e interagimos com uma nova geração – a Geração Z (os nascidos entre 1995 e 2010) – que traz com ela todo um novo modelo de socialização e abordagem no que diz respeito ao digital e até mesmo na criação dos seus próprios postos de trabalho.

No passado as pessoas não ousavam questionar, faziam o seu trabalho e voltavam para casa. Nos dias de hoje, os limites entre a vida profissional e a pessoal são mais ténues e os colaboradores revelam com maior facilidade o seu perfil comportamental, não receando dar voz às suas opiniões, e o que nós fazemos no dia a dia é muitas vezes uma resposta prática a estas vozes.

O expectável para o futuro é que mais mudanças continuem a acontecer nas organizações. Se alguém tiver dúvidas sobre a importância da felicidade no trabalho, os dados do estudo Happiness Works 2021 apresentado no evento “Empresas Felizes 2021” são claros: “Os trabalhadores felizes faltam menos 36%, têm menos 45% de vontade de mudar de empresa e sentem-se 9% mais produtivos”.

Voltamos sempre aos lugares onde já fomos felizes, e é por isso importante criar memórias felizes no trabalho – até porque temos que lá voltar.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*