A maioria dos colaboradores vai trabalhar doente. Sabe porquê?

A época das gripes e constipações está de volta e, com ela, muitos são os colaboradores que ficam doentes, mas nem por isso deixam de ir trabalhar. De acordo com um relatório recente da Robert Half, 57% dos colaboradores vão trabalhar «às vezes» quando estão doentes e 33% vão trabalhar sempre, mesmo doentes. O estudo explica os motivos.

 

A empresa de recursos humanos entrevistou mais de 2800 trabalhadores, de 28 cidades nos Estados Unidos.

No que diz respeito às razões que levam os colaboradores a trabalhar quando estão doentes, 54% dizem que vão porque têm muito trabalho para fazer, 40% porque não querem pôr baixa e 34% devido à pressão feita pelo empregador.

O estudo mostra ainda que um quarto das pessoas que vão trabalhar doentes, dizem que é comum os seus colegas também trabalharem doentes.

Nos Estados Unidos, actualmente não há leis federais que exigem que os empregadores atribuam licença médica paga aos colaboradores, além disso as leis de licença médica variam de estado para estado.

Em Março, o estado de Michigan juntou-se ao Arizona, Califórnia, Connecticut, Maryland, Massachusetts, Nova Jersey, Oregon, Rhode Island, Vermont e Washington, para se tornar o 11.º estado a exigir que empregadores particulares ofereçam licença médica remunerada.

Trey Barnette, vice-presidente regional da Robert Half, diz que é preocupante que tantos colaboradores sintam a necessidade de ir trabalhar doentes. E defende que esta prática pode mesmo trazer impactos negativos para a economia das organizações.«As pessoas não conseguem dar o seu máximo quando estão doentes, e isso vai-se reflectir no trabalho que fazem», disse o responsável ao site da CNBC Make It. «Além disso, se um colaborador estiver doente pode contagiar os outros colaboradores, o que não é bom para a empresa».

O vice-presidente regional da Robert Half refere ainda que existem várias medidas que os empregadores podem tomar para dar bons exemplos aos colaboradores e promover locais de trabalho saudáveis. «Os empregadores devem dar o exemplo. Se estiverem doentes, devem tirar folga». E acrescenta «As empresas também estão a começar a fazer mais acções preventivas, como ter clínicas de bem-estar. Alguns dos pacientes com quem trabalhamos têm uma clínica de gripe no local para que as pessoas tomem a vacina durante a temporada de gripe».

Trey Barnette vai mais longe e deixa claro que «O mais importante é que cada empresa analise os seus benefícios e veja o que podem fazer para oferecer um pacote mais completo para as pessoas que estão de licença médica».

Ler Mais
Comentários
A carregar...

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
YouTube faz 15 anos: o que mudou e o que ainda vai mudar
Automonitor
Presidente promulga diploma sobre alteração de matrículas automóveis