Agatha Arêas, Rock in Rio: Educar e partilhar conhecimento para construir um mundo melhor

Assumindo-se como muito mais do que um evento “pontual” de entretenimento,o Rock in Rio vê na partilha e na educação um dos seus pilares estratégicos. É já, inclusive, uma nova área de negócio – a Learning Experience Unit, que pretende «provocar a mudança de mentalidade em pessoas e empresas a partir da cultura de sonhar e fazer acontecer um mundo melhor». O Rock in Rio Academy e o Humanorama corporizam esta visão.

 

Por Sandra M .Pinto

 

O maior evento de entretenimento do mundo regressa à capital portuguesa e, com ele, regressa também a Rock in Rio Academy, que este ano apresenta mais novidades e motivos de interesse, sempre com o objectivo de partilhar conhecimento. Mas esta aposta no conceito “edutainment” não se fica por aqui, integrando-se num projecto mais abrangente, do qual também faz parte a iniciativa Humanorama. Estão ambos sob alçada da Learning Experience Unit do Rock in Rio. A vice-presidente, Agatha Arêas, fala-nos sobre as novidades deste ano, ressalvando, no entanto, que o universo da educação é muito maior do que um departamento ou uma unidade de negócios, é um compromisso da marca Rock in Rio, como um todo.

 

Como, quando e com que objectivo foi criado o Rock in Rio Academy?
A primeira edição do Rock in Rio Academy aconteceu no Brasil, em 2015, quando o festival completava 30 anos e o interesse do mercado em conhecer a gestão da marca se traduzia em inúmeros convites para os executivos, de diversas áreas do Rock in Rio, levarem o “case” para eventos igualmente diversos, desde seminários de inovação e convenções de vendas das mais diferentes indústrias, até feiras universitárias. Percebemos então que havia ali uma oportunidade – e também um compromisso – de darmos a conhecer aquilo que está no ADN do Rock in Rio. Somos um projecto de comunicação, com uma megaoperação, e acreditamos que o nosso modelo de negócio poderá ser uma mais-valia para executivos e empresários das mais diversas áreas.

Em 2016, trouxemos este desafio para Portugal. Depois disso, e até 2019, nunca parámos, fazendo sempre um dia de Rock in Rio Academy em Lisboa e no Brasil. Assim, em Lisboa proporcionamos esta experiência em duas edições: em 2016 e 2018. Caminhamos, agora, para a 3.ª edição.

Acreditamos que, mais do que nunca, dada a necessidade de reinvenção de tantos modelos de negócios, que foi acelerada nos últimos dois anos, o Rock in Rio Academy é um local de aprendizagem de grande relevância para todos os que querem implementar ou fazer crescer os seus projectos.

 

Quais são as principais novidades da edição 2022?
Este ano, a principal novidade é o formato. Após duas edições de sucesso, que reuniram mais de 400 executivos, apresentamos uma proposta mais imersiva: uma formação ao vivo numa grande “sala de aula” – a Cidade do Rock. Os conteúdos serão ligados aos diferentes espaços da Cidade do Rock, o que proporcionará a todos os participantes uma experiência e abordagem mais imersiva dos temas abordados.

A experiência dos participantes não vai ficar somente pela Área VIP e o Palco Mundo. Além de termos palestras também no Galp Music Valley, vamos promover uma imersão nas conversas e narrativas que, este ano, trazemos para os diferentes espaços da Cidade do Rock: pluralidade, inclusão, cidades do futuro, alimentação sustentável, e muito mais. É um verdadeiro “mergulho” naquilo que é o ADN do Rock in Rio, numa experiência ao vivo, interactiva e real.

Os alunos podem ainda contar com uma forte carga de inspiração e incentivo para empreenderem os seus projectos e concretizarem os seus sonhos, já que cada história, cada resultado conquistado pela equipa Rock in Rio traduz a sua cultura de resiliência, inventividade e capacidade de realização.

 

A metodologia mantém-se de live case…
Sim, porque a metodologia de live case pretende permitir ao participante experienciar o que estuda. Ou seja, após a partilha de conhecimento, o participante consegue, na prática, e no ambiente em que acontece e com as pessoas que a realizam, explorar as diferentes narrativas que compõem esta edição de 2022.

O nosso objectivo é que os participantes tenham contacto directo com a equipa que organiza o festival, assim como com as últimas corporate trends. São palestras, rodas de conversa, desafios de equipa e muito mais. No fundo, é tudo o que fomenta a criatividade na resolução de problemas, sem nunca esquecer a componente fundamental do networking.

 

Esta aposta do Rock in Rio no edutainment não se ficou por aqui. Em 2019, lançaram a Unidade de Learning Experience. Veio transformar a vossa visão estratégica?
A LExU – Learning Experience Unit do Rock in Rio é, na verdade, uma consequência natural da visão estratégica, alargada e de longo prazo do Rock in Rio. Desde sempre, temos como propósito “construir um mundo melhor”, e a nossa cultura organizacional é pautada pela filosofia de “sonhar e fazer acontecer”. Por isso, a visão da nossa Unidade de Learning Experience –“Provocar a mudança de mentalidade em pessoas e empresas a partir da cultura de sonhar e fazer acontecer um mundo melhor” – nada mais é do que uma ratificação dos valores basilares do Rock in Rio.

 

Pode então dizer-se que a educação é hoje um pilar estratégico do Rock in Rio…
Recentemente, o Rock in Rio como um todo assumiu o compromisso de formar 100 mil pessoas até 2030. Essa meta é da marca, de toda a organização, não somente da LExU – Learning Experience Unit. Por exemplo, a nossa área de produção no Brasil identificou a necessidade e nutriu o desejo de criar um curso para capacitar gratuitamente profissionais de produção de eventos, de forma a certificá-los com “o selo de qualidade” Rock in Rio, podendo dar-lhes oportunidades reais de empregabilidade, seja nos nossos eventos ou em iniciativas dos nossos parceiros. Esse projecto será lançado no mercado brasileiro no segundo semestre de 2022. A nossa área de Sustentabilidade está a desenhar um curso para profissionais do meio. Assim como a nossa área de Tecnologia da Informação já iniciou conversas sobre o desenvolvimento de um curso que reúna competências técnicas e soft skills no universo digital.

A LExU apoia, participa, mas não necessariamente lidera todos esses projectos. O universo da educação é muito maior do que um departamento ou uma unidade de negócios. E a visão de nos transformarmos numa Learning Organization para dentro e para fora é o que melhor representa o nosso desejo de fortalecer o legado de inspirar e empoderar agentes de transformação.

É, sem a menor dúvida, um dos principais pilares estratégicos do Rock in Rio – e, daí, mais uma vez, a necessidade de criar esta unidade de edutainment. É da maior relevância porque nos faz evoluir, ao projecto, à equipa, e a todos os que partilham o desafio de organizar este festival connosco. E, claro, ao público!

Mais do que educação, é partilha. Todas estas iniciativas proporcionam partilha de experiências, conceitos, conteúdos, pontos de vista, e isso traz-nos aprendizagens que fazem com que coloquemos ainda mais brio e empenho no festival e em todas as iniciativas que gostamos de proporcionar, como verdadeiras “provocações” a todos os que são impactados pela nossa comunicação.

Educar é partilhar e partilhar é educar. O Rock in Rio Academy fomenta precisamente essa noção de que são conceitos que vivem juntos, daí a necessidade de proporcionarmos cada vez mais interactividade.

 

Leia o artigo na íntegra na edição de Junho (nº.138) da Human Resources, nas bancas.

Caso prefira comprar online, pode optar pela versão em papel ou a versão digital.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*