Altice Portugal: Prioridade-Valorizar os colaboradores

O sector das telecomunicações atrai muitos colaboradores de diversas áreas e a Altice Portugal é uma das maiores referências em solo nacional.

 

Com cerca de 7.500 colaboradores, a Altice Portugal recruta permanentemente para áreas tão distintas como Comercial, Engenharia, Operações e Atendimento ao cliente, entre muitas outras. João Zúquete da Silva, CCO da Altice Portugal, explicou à Human Resources Portugal como esta empresa trabalha a gestão do seu talento e quais os maiores desafios que enfrenta na retenção de um universo tão alargado de pessoas.

 

De que forma a Altice Portugal garante o desenvolvimento das suas pessoas?
Numa empresa como a Altice Portugal, a Gestão de Recursos Humanos assume um papel particularmente crítico na estratégia da empresa. Este é um mindset que se reflete em opções estratégicas claras no sentido de valorizar, reter talento e conhecimento dentro da organização. Neste sentido, a Altice Portugal tem como principais políticas de desenvolvimento de talento o desenho e implementação de programas específicos (sob metodologia própria), adaptados às áreas
e necessidades de negócio. Essas políticas passam, por exemplo, pela rotatividade de funções, programas de formação, coaching, mentoring e criação de planos de sucessão, sobretudo para cargos de gestão.

 

Quão desafiante é a gestão de talento numa empresa como a Altice Portugal?
Numa empresa com mais de 7.500 colaboradores e com áreas, funcionalmente, tão distintas como Comercial, Engenharia, Operações, Atendimento ao cliente, Produto e Marketing e Saúde, humanizar a gestão de talento é um dos principais desafios, o qual tentamos ultrapassar. Através de programas de desenvolvimento adaptados às necessidades de cada um.
Mais especificamente, sentimos desafios ao nível do confronto geracional e da necessidade de rejuvenescimento de algumas áreas de negócio e de literacia digital. A Altice Portugal sempre assumiu uma postura de responsabilidade no contributo que tem dado para a qualificação dos seus profissionais, para a inovação tecnológica e consequente posicionamento de Portugal como um país fornecedor de recursos técnicos e humanos de “leading edge”, ocupando as Telecomunicações o lugar cimeiro. É ainda essencial manter o desafio e ajudar no desenvolvimento profissional, adaptando às necessidades e capacidades de cada um, mantendo o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional como pano de fundo.

 

Quais os perfis mais procurados pela Altice Portugal e que recursos utilizam para identificar os mais difíceis de obter no mercado?
Os perfis mais procurados são aqueles que acabam por ter mais procura de mercado, nomeadamente, SI/TI, Engenharia, Data Science e Marketing Digital. Dependendo do perfil exigido recorremos a diferentes canais, como publicação na imprensa, redes de recrutamento (LinkedIn, por exemplo), roadshows e/ ou feiras de emprego. A Altice Portugal, através da Altice Labs, desenvolve continuamente projectos colaborativos de investigação, sustentados em notáveis recursos humanos que têm merecido as melhores cotações de parceiros e clientes. Temos, em Aveiro, mais de 700 profissionais altamente qualificados que investigam e desenvolvem soluções avançadas de Telecomunicações e Sistemas de Informação.

 

Para além das habilitações académicas, que outras competências valorizam nos vossos candidatos?

As competências ditas comportamentais (ou soft skills) que mais valorizamos são aquelas que consideramos ser parte integrante do nosso ADN: criatividade e inovação, orientação para o cliente, iniciativa e proactividade. Na Altice Portugal, o nosso foco é o cliente e a sua satisfação, sendo esta uma máxima que está na base de tudo quanto fazemos.

 

Como tem evoluído a proposta de valor da Altice Portugal enquanto empregador?
A principal prioridade da Altice Portugal é garantir oportunidades de desenvolvimento, crescimento e valorização profissional aos seus colaboradores. Além disso, preocupa-nos a qualidade de vida dos nossos colaboradores, bem como proporcionar um ambiente de trabalho saudável ao qual se aliam desafios profissionais aliciantes que proporcionem crescimento pessoal. Nesse sentido, a Altice Portugal dispõe de um conjunto de mecanismos de apoio à família, ao colaborador e à sua carreira. São disso exemplo as medidas de Responsabilidade Interna com três pilares que pretendem acompanhar todo o percurso familiar do colaborador nas várias vertentes: crescer, apoiar e viver, mas também o programa formativo que abrange a generalidade da população. Paralelamente, dispomos ainda de um programa de saúde com extensão ao agregado familiar, que se materializa na Altice Cuidados de Saúde (ACS).

Para além do pacote remuneratório do colaborador, da formação contínua e mesmo de um vasto programa de responsabilidade social, a Altice Portugal tem ainda investido na proximidade junto dos seus colaboradores, tendo desenvolvido medidas de envolvimento como estágios de Verão para filhos de colaboradores, Hotdesks (trabalhar um dia por semana num edifício da empresa mais perto de casa), acordos e parcerias com empresas e instituições (ginásios, escolas, agências de viagens, lojas de roupa e/ou tecnologia, etc), entre outros.

 

Que expectativas, quer das pessoas em relação à empresa, quer da empresa em relação às pessoas, são hoje diferentes?
A Altice Portugal procura aproximar as perspectivas e decisões da empresa dos colaboradores e das suas ambições. Têm sido dados passos concretos nesse sentido, nomeadamente através da criação de um Conselho Consultivo para as relações laborais e sindicais. Prova também das expectativas cada vez mais próximas entre a empresa e colaboradores é a assinatura do Acordo Colectivo de Trabalho, que foi subscrito por todas as estruturas sindicais. Contamos com todos os nossos colaboradores para serem parceiros e embaixadores da Altice Portugal. Uma empresa faz-se de pessoas, do seu empenho e do seu know-how. A Altice Portugal dispõe de meios de comunicação interna eficazes e de participação dos colaboradores em iniciativas de escuta activa para maior envolvência dos Recursos Humanos a todos os níveis.

 

Fale-nos um pouco do programa de estágios da Altice Portugal.
O nosso programa de estágios oferece a possibilidade de iniciar um percurso profissional partilhando experiências com outros estagiários vindos de diferentes áreas e/ou zonas geográficas. Esta abordagem ao primeiro contacto com o mercado de trabalho possibilita o desenvolvimento de uma interessante rede de contactos, além de garantir um ambiente dinâmico e totalmente voltado para a prática.

Adicionalmente, e para além desta formação on job, os trainees da Altice Portugal têm acesso a um toolkit de formação técnica e comportamental, assim como visitas a várias áreas e eventos de interesse da empresa. Este processo tem um acompanhamento próximo proporcionado pelo orientador de estágio na área de acolhimento, assim como reuniões de acompanhamento de estágio com a direcção de Recursos Humanos.

 

Tradicionalmente a Altice Portugal tem um posicionamento enquanto empregador de referência, apostando na captação de perfis jovens, diferenciados e com potencial. Têm sentido dificuldades acrescidas neste propósito?
A recente dinâmica de mercado, aliada às características da nova geração, torna a guerra pelo talento cada vez mais intensa. A nova geração pensa de forma rápida e global, e procura experiências de trabalho diferentes e desafiantes. Acreditamos que somos um grupo de excelência, que oferece oportunidades de desenvolvimento, crescimento e valorização profissional e que quer não só captar, mas também reter o talento. O Grupo Altice tem uma tradição muito forte na captação de cérebros para as mais diversas áreas e, tratando-se de um grupo com presença em várias geografias, promove a rotatividade entre países. Queremos os melhores profissionais connosco, contando com a sua ambição, talento e conhecimento, para irmos mais longe e continuarmos a crescer.

 

De que forma a Altice Portugal aposta na retenção de talento?
A retenção de talento tem sido uma das principais prioridades, atendendo à actual dinâmica do mercado de trabalho português e internacional, especialmente nas funções de cariz mais tecnológico. Os jovens procuram ter valor de mercado, ou seja, investem na empregabilidade, procuram projectos aliciantes, pelo que o conceito de “emprego para toda a vida” está ultrapassado. Deste modo, diria que reter talento é um desafio maior do que atrair. É por isso que a Altice Portugal tem a preocupação de manter o desafio, ajudar no desenvolvimento, responder às necessidades, de forma individual, disponibilizando atenção, recursos e trabalhando a motivação. Nos últimos anos, temos valorizado cada vez mais a singularidade de cada colaborador, que consideramos dever ser mantida e estimulada.

 

Em Portugal, a Altice é uma marca top of mind e considerada uma das mais atractivas para trabalhar. E lá fora, qual a percepção que existe da marca Altice?
Altice é sinónimo de inovação, tecnologia e media. A percepção que existe é de um Grupo dinâmico que oferece desafios profissionais de excelência e especialização em áreas do futuro, garantindo formação contínua e geração de conhecimento.

 

Qual o papel dos colaboradores na construção de uma marca de empregador forte?
Os colaboradores são o principal agente de marketing do “employee branding” da empresa. São eles os principais embaixadores dos nossos valores e marcas. Neste sentido, temos várias iniciativas e programas que colocam o colaborador permanentemente no papel de embaixador Altice Portugal. A empresa dispõe de um programa interno que premeia os projectos desenvolvidos com maior valor, os Open Awards, cujo vencedor emerge da votação de toda a empresa. A título de exemplo, temos ainda o Programa MEO e Embaixadores, onde se premeiam os colaboradores que angariem novos clientes ou serviços.

E da liderança?
O papel da liderança distingue-se pela capacidade em liderar pelo exemplo, materializando a missão, valores e objectivos estratégicos da Altice, garantindo que cada colaborador é um embaixador.

O segredo é ter o foco nas pessoas, já que nunca podemos esquecer que as relações humanas são essenciais, sendo assim possível desenvolver estratégias assentes numa política de talento e de rejuvenescimento da empresa, por um lado, e de motivação dos que fazem parte da família Altice Portugal, por outro. Parece uma frase feita mas o maior activo de qualquer empresa são, realmente, as pessoas. Os resultados dependem, em tudo, do capital humano, que assume cada vez mais uma maior importância estratégica nas empresas.

Por isso mesmo, a Altice Portugal tem na comunicação uma das prioridades. Comunicar internamente, é um pilar fundamental em qualquer liderança, por isso privilegiamos a comunicação e o contacto com os colaboradores, fazendo questão que sejam os primeiros a ter conhecimento dos temas relevantes e estratégicos para a empresa, antes de serem conhecidos pelo público em geral.

 

Que acções estão previstas ainda para este ano em termos de gestão de talento?
A Altice Portugal levará a cabo um pro- grama de formação transversal que re- vela bem a aposta nas pessoas. Nas nossas pessoas e recursos humanos.

Esta estratégia de desenvolvimento e formação vai abranger a maioria dos colaboradores até ao final de 2019, o que corresponde a cerca de 7.500 pessoas. Em média, cada colaborador terá, pelo menos, 25 horas de formação no ano, numa estratégia assente em oito pilares, consoante a tipologia de formação e a população-alvo, e que passa por Programas Customizados de Desenvolvimento de Competências (skills), Programas de Liderança, Formação Técnica Específica, Certificações & Normativos, Conferências & Seminários, Formação Corporativa, Formação Avançada e E-Learning e Gamification. Por outro lado, serão ainda desenvolvidos novos programas de captação de Talento, Programas de Liderança e a Academia de Formação.

 

No que diz respeito à gestão de talento, quais os objectivos da Altice Portugal?
Um dos principais objectivos é a aposta clara na experiência de colaborador ao longo do ciclo de vida na empresa, desde o estádio de atracção e captação. Naturalmente que, ao investirmos na gestão de talento, esperamos promover um bom clima de trabalho, bem como colaboradores motivados e com vontade de permanecer na organização.

Este artigo foi publicado na edição de Maio da Human Resources.

Ler Mais
Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*

MULTIPUBLICAÇÕES

[vc_multibar_post nc_mp_bar_revive=”JTBBJTNDc2NyaXB0JTIwdHlwZSUzRCUyN3RleHQlMkZqYXZhc2NyaXB0JTI3JTNFJTNDJTIxLS0lMkYlMkYlM0MlMjElNUJDREFUQSU1QiUwQSUyMCUyMCUyMHZhciUyMG0zX3UlMjAlM0QlMjAlMjhsb2NhdGlvbi5wcm90b2NvbCUzRCUzRCUyN2h0dHBzJTNBJTI3JTNGJTI3aHR0cHMlM0ElMkYlMkZtdWx0aXB1YmxpY2Fjb2VzLWFkcy5jb20lMkZ3d3clMkZkZWxpdmVyeSUyRmFqcy5waHAlMjclM0ElMjdodHRwJTNBJTJGJTJGbXVsdGlwdWJsaWNhY29lcy1hZHMuY29tJTJGd3d3JTJGZGVsaXZlcnklMkZhanMucGhwJTI3JTI5JTNCJTBBJTIwJTIwJTIwdmFyJTIwbTNfciUyMCUzRCUyME1hdGguZmxvb3IlMjhNYXRoLnJhbmRvbSUyOCUyOSUyQTk5OTk5OTk5OTk5JTI5JTNCJTBBJTIwJTIwJTIwaWYlMjAlMjglMjFkb2N1bWVudC5NQVhfdXNlZCUyOSUyMGRvY3VtZW50Lk1BWF91c2VkJTIwJTNEJTIwJTI3JTJDJTI3JTNCJTBBJTIwJTIwJTIwZG9jdW1lbnQud3JpdGUlMjAlMjglMjIlM0NzY3IlMjIlMkIlMjJpcHQlMjB0eXBlJTNEJTI3dGV4dCUyRmphdmFzY3JpcHQlMjclMjBzcmMlM0QlMjclMjIlMkJtM191JTI5JTNCJTBBJTIwJTIwJTIwZG9jdW1lbnQud3JpdGUlMjAlMjglMjIlM0Z6b25laWQlM0QxMDIlMjIlMjklM0IlMEElMjAlMjAlMjBkb2N1bWVudC53cml0ZSUyMCUyOCUyNyUyNmFtcCUzQmNiJTNEJTI3JTIwJTJCJTIwbTNfciUyOSUzQiUwQSUyMCUyMCUyMGlmJTIwJTI4ZG9jdW1lbnQuTUFYX3VzZWQlMjAlMjElM0QlMjAlMjclMkMlMjclMjklMjBkb2N1bWVudC53cml0ZSUyMCUyOCUyMiUyNmFtcCUzQmV4Y2x1ZGUlM0QlMjIlMjAlMkIlMjBkb2N1bWVudC5NQVhfdXNlZCUyOSUzQiUwQSUyMCUyMCUyMGRvY3VtZW50LndyaXRlJTIwJTI4ZG9jdW1lbnQuY2hhcnNldCUyMCUzRiUyMCUyNyUyNmFtcCUzQmNoYXJzZXQlM0QlMjclMkJkb2N1bWVudC5jaGFyc2V0JTIwJTNBJTIwJTI4ZG9jdW1lbnQuY2hhcmFjdGVyU2V0JTIwJTNGJTIwJTI3JTI2YW1wJTNCY2hhcnNldCUzRCUyNyUyQmRvY3VtZW50LmNoYXJhY3RlclNldCUyMCUzQSUyMCUyNyUyNyUyOSUyOSUzQiUwQSUyMCUyMCUyMGRvY3VtZW50LndyaXRlJTIwJTI4JTIyJTI2YW1wJTNCbG9jJTNEJTIyJTIwJTJCJTIwZXNjYXBlJTI4d2luZG93LmxvY2F0aW9uJTI5JTI5JTNCJTBBJTIwJTIwJTIwaWYlMjAlMjhkb2N1bWVudC5yZWZlcnJlciUyOSUyMGRvY3VtZW50LndyaXRlJTIwJTI4JTIyJTI2YW1wJTNCcmVmZXJlciUzRCUyMiUyMCUyQiUyMGVzY2FwZSUyOGRvY3VtZW50LnJlZmVycmVyJTI5JTI5JTNCJTBBJTIwJTIwJTIwaWYlMjAlMjhkb2N1bWVudC5jb250ZXh0JTI5JTIwZG9jdW1lbnQud3JpdGUlMjAlMjglMjIlMjZjb250ZXh0JTNEJTIyJTIwJTJCJTIwZXNjYXBlJTI4ZG9jdW1lbnQuY29udGV4dCUyOSUyOSUzQiUwQSUyMCUyMCUyMGlmJTIwJTI4ZG9jdW1lbnQubW1tX2ZvJTI5JTIwZG9jdW1lbnQud3JpdGUlMjAlMjglMjIlMjZhbXAlM0JtbW1fZm8lM0QxJTIyJTI5JTNCJTBBJTIwJTIwJTIwZG9jdW1lbnQud3JpdGUlMjAlMjglMjIlMjclM0UlM0MlNUMlMkZzY3IlMjIlMkIlMjJpcHQlM0UlMjIlMjklM0IlMEElMkYlMkYlNUQlNUQlM0UtLSUzRSUzQyUyRnNjcmlwdCUzRSUzQ25vc2NyaXB0JTNFJTNDYSUyMGhyZWYlM0QlMjdodHRwJTNBJTJGJTJGbXVsdGlwdWJsaWNhY29lcy1hZHMuY29tJTJGd3d3JTJGZGVsaXZlcnklMkZjay5waHAlM0ZuJTNEYTgzYzMyNTUlMjZhbXAlM0JjYiUzRElOU0VSVF9SQU5ET01fTlVNQkVSX0hFUkUlMjclMjB0YXJnZXQlM0QlMjdfYmxhbmslMjclM0UlM0NpbWclMjBzcmMlM0QlMjdodHRwJTNBJTJGJTJGbXVsdGlwdWJsaWNhY29lcy1hZHMuY29tJTJGd3d3JTJGZGVsaXZlcnklMkZhdncucGhwJTNGem9uZWlkJTNEMTAyJTI2YW1wJTNCY2IlM0RJTlNFUlRfUkFORE9NX05VTUJFUl9IRVJFJTI2YW1wJTNCbiUzRGE4M2MzMjU1JTI3JTIwYm9yZGVyJTNEJTI3MCUyNyUyMGFsdCUzRCUyNyUyNyUyMCUyRiUzRSUzQyUyRmElM0UlM0MlMkZub3NjcmlwdCUzRSUwQQ==”]