Altice Portugal: Valorizar e reter talento

Através de percursos formativos customizados e inovadores, a Altice pretende alcançar um maior grau de envolvimento dos colaboradores.

 

Numa empresa como a Altice Portugal, a gestão de Recursos Humanos assume um papel particularmente crítico na estratégia da empresa. Esse é um mindset que se reflecte em opções estratégicas claras no sentido de valorizar e reter talento e conhecimento dentro da organização. Nesse sentido, a Altice Portugal tem como principais políticas de desenvolvimento de talento, o desenho e implementação de programas específicos customizados às áreas e necessidades de negócio.

«Proximidade, investimento, inovação, qualidade de serviço com foco no cliente, e intervenção social, são os nossos pilares estratégicos e o nosso compromisso», afirma fonte oficial da empresa. Com essa finalidade, a estratégia de formação está alinhada com os objectivos de negócio e passa por dotar os colaboradores de know-how, através de percursos formativos customizados e inovadores, que possibilitem uma aprendizagem e um desenvolvimento de competências por e para cada colaborador. «Apostamos numa metodologia experiencial e disruptiva, capaz de ultrapassar os limites da formação tradicional» garante-se, assegurando que o objectivo da Altice é alcançar um maior grau de envolvimento por parte dos formandos, para que mais facilmente coloquem em prática os conteúdos formativos, percebendo a sua utilidade e forma de aplicação prática.

As novas gerações pensam de forma rápida e global, procuram experiências de trabalho diferentes e desafiantes. Tendo essa nova atitude em consideração, a Altice acredita ser um grupo de excelência, que oferece oportunidades de desenvolvimento, crescimento e valorização profissional. Não só quer captar, como quer também reter o talento. O Grupo Altice tem uma tradição muito forte na captação de “cérebros” para as mais diversas áreas e, tratando-se de um grupo com presença em várias geografias, promove a rotatividade entre países. «Queremos os melhores profissionais connosco, contando com a sua ambição, talento e conhecimento para irmos mais longe e continuarmos a crescer», reitera-se. Desta forma, um dos principais objectivos assenta na aposta clara na experiência de colaborador ao longo do ciclo de vida na organização.

Neste âmbito, uma das iniciativas mais recentes é o programa Kairós, que visa dotar as equipas de competências para o novo desafio de 2020, o 5G. Sob o lema “Don’t get ready, get started!”, este programa tem como objectivo dotar os colaboradores das competências e conhecimentos necessários para ala- vancar a mudança tecnológica para o 5G. «Enquadra-se na estratégia de formação em curso na Altice Portugal, tendo sido concebido internamente e desenhado à medida dos seus participantes», explica-se. «Numa fase inicial, foram identificados cerca de 20 colaboradores, de várias áreas funcionais, que receberam formação para que pudessem, eles próprios, desenhar conteúdos de formação e ministrá-los internamente, numa dinâmica, em cascata, de partilha de conhecimento.

 

Potenciar o talento nacional
Lançado pela Altice Portugal em 2016 para a promoção da inovação e do talento tecnológicos, o Altice International Innovation Award nasceu com o objectivo de reforçar o posicionamento de Portugal no desenvolvimento da inovação, criando condições para potenciar o talento nacional e divulgá-lo dentro e fora de portas. «Distinguir, promover e premiar as pessoas que são capazes de criar soluções e produtos diferenciadores e que marquem a vida dos nossos cidadãos e clientes, foi um dos factores-chave que levou à criação deste prémio», sublinha-se.

O sucesso da primeira edição levou o grupo a ambicionar alargar o seu âmbito. «Sendo a Altice um grupo global, que tem no seu ADN histórico a inovação, foi decidido, para 2018, estender o prémio a outras realidades e outras geografias onde a Altice está presente – Portugal,
França e Israel – passando a chamar-se Altice International Innovation Award.» Único e inédito em Portugal, este pré- mio de inovação distingue-se de todos os outros pela sua abrangência geográfica, pela ligação à academia em cada país, pelas áreas a concurso e pelo prémio atribuído aos vencedores. «O primeiro lugar da categoria Startups do Altice International Innovation Award será reconhecido com um prémio monetário de 50 mil euros e a possibilidade de concretização de um piloto (prova de conceito) com o Grupo Altice, com a duração mínima de seis meses.»

 

Relação com as universidades
A colaboração da Altice Portugal com as universidades está também cada vez mais consolidada, através de várias iniciativas, como programas de estágios curriculares, estágios profissionais de curta duração, workshops e Open Days.

Por outro lado, a ligação às universidades, a par da participação nos programas nacionais e europeus de incentivo à inovação, permitem uma colaboração próxima com entidades globais, tendo sido um factor decisivo para a transformação do conhecimento em valor para a sociedade. «A Altice Labs envolve-se continuamente em projectos colaborativos de investigação, desenvolvimento e inovação, numa estratégia sustentada de liderança tecnológica.» Em algumas universidades nacionais existem já, ou estão em constituição, laboratórios específicos da Altice Labs, funcionando como extensões da empresa e antenas de captação de talento e saber, e partilha de conhecimento.

Ainda no âmbito desta relação com as universidades, a Altice Portugal tem procurado promover a inclusão e diversidade, através de iniciativas dirigidas às mulheres que estudam nas áreas de tecnologia. «Estas iniciativas traduzem-se em palestras, visitas às nossas instalações,
com o apoio interno das nossas líderes, sendo estas parcerias fundamentais para aproximar o mundo académico das necessidades e da realidade do mundo empresarial», reconhece fonte oficial da empresa.

 

Atrair talento jovem
Com o intuito de atrair o talento mais jovem a Altice Portugal tem dois programas de estágios direccionados a este segmento: o Programa Darwin e o Programa de Academia Técnica.

O primeiro é um programa de estágios profissionais para recém-graduados (mestrados ou licenciados), com a duração de 12 meses, em que os participantes têm a possibilidade de conhecer a Altice Portugal de forma única, passando da teoria à prática, através de formação específica e on job, acompanhamento individual e desafios (Desafio orientado às pessoas, Desafio orientado ao Negócio e Desafio orientado à comunidade).

O Programa Academia Técnica é um programa de estágios, com a duração de 12 meses para alunos do 12.º ano das áreas redes, energia, robótica, automação, programação ou informática. Ao longo do estágio, os formandos têm a oportunidade de ter formação técnica e comportamental em sala e on job e acompanhamento contínuo dos nossos técnicos.

Para além dos programas de estágios profissionais, a Altice Portugal proporciona vários estágios curriculares e estágios de Verão. «O nosso programa de estágios oferece a possibilidade de iniciar um percurso profissional partilhando experiências com outros estagiários de diferentes áreas e/ ou zonas geográficas. Esta abordagem ao primeiro contacto com o mercado de trabalho possibilita o desenvolvimento de uma interessante rede de contactos, além de garantir um ambiente dinâmico e totalmente voltado para a prática.»

 

Desafios e tendências
A definição e retenção de talento na organização nesta nova era digital é um dos desafios primordiais para a Altice Portugal. É, por isso, essencial para a empresa alinhar a expectativa das novas gerações de profissionais com o que a organização pode oferecer. Por esse motivo, a estratégia da empresa passa pelo Employer Branding. «Se olharmos para um colaborador como um cliente e para a organização como um produto ou uma marca, a experiência proporcionada vai permitir a fidelidade à marca, ou seja, a retenção», acredita-se. «Nesse sentido, a experiência do colaborador é valorizada a vários níveis: proximidade à organização, aos pares e às chefias, alinhamento com a cultura e com os valores da empresa.»

Hoje, os clientes Altice têm um estilo de vida digital, devendo, por isso, a empresa proporcionar-lhes uma experiência digital. Mas «não basta implementar novas tecnologias. Para que a transformação digital se concretize deve- mos ter, nós próprios, individualmente e como equipa, que pensar, agir e implementar de forma digital», reitera-se.

Para a Altice, os desafios futuros da equipa de formação e desenvolvimento têm como objectivo catalisar a mudança da cultura organizacional, informando sobre os métodos e tecnologias que suportam essa mudança. «É um factor crucial para o sucesso da transformação digital da organização, que nos permitirá estender esse sucesso aos nossos clientes, agindo como pivots da sua própria transformação digital», conclui-se.

 

Este artigo faz parte do Caderno Especial “Academias Corporativas”, publicado na edição de Março.

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
Reprise, Initiative, Unilever e Somersby são os grandes vencedores dos Prémios SAPO
Automonitor
Já pode encomendar o novo Citroën C1 JCC+ desde os 14.727 euros