As prioridades na liderança e gestão de talento

A Odgers Berndtson e a Ray Human Capital desafiaram 16 gestores de Recursos Humanos para reflectir sobre os desafios estratégicos na gestão da organização e das pessoas, durante os próximos anos, em Portugal. O resultado está no livro “Liderança e Talento 4.0 – People Before Strategy”.

 

A imprevisibilidade daquilo que muitos já apelidam de Indústria 4.0 traz um novo paradigma organizacional e muitos são os novos desafios que se colocam às empresas. Em consequência, as organizações mais competitivas neste novo mundo VUCA (volátil, incerto, complexo e ambíguo) serão aquelas capazes de antecipar as necessidades do futuro e com agilidade para mudar rapidamente. «Nunca foi tão importante ter a pessoa certa, no lugar certo, enquadrada na equipa certa. Consequentemente, o papel do chief people officer (CPO) será cada vez mais estratégico, enfrentando novos e diferentes desafios nos próximos anos», antecipa-se.

Assim, e considerando «imperioso compreender as reais necessidades e o pensamento daqueles que irão liderar a agenda de talento nos próximos anos», foram convidados 16 gestores de Pessoas, de organizações distintas, em sectores diversos, para partilharem os seus insights, backgrounds e expectativas ao longo dos capítulos de forma individualizada.

Os protagonistas são: Alexandra Godinho (Amorim), Ana Herrero (Leroy Merlin), Ângela Vieira (Ascendum), Clara Trindade (L’Oréal), Elsa Carvalho (REN), Hugo Contente (Laureate University Austrália e Nova Zelândia), Isabel Barros (Sonae), Joana Queiroz Ribeiro (Fidelidade), Manuela Paula Marques (BPI), Maria do Rosário Vilhena ( Nestlé), Nuno Ribeiro Ferreira (Efacec), Paula Carneiro (EDP), Pedro Ribeiro (Superbock Group), Pedro Taborda (Caixa Geral de Depósitos), Rita Baptista (OGMA) e Teresa Nascimento (Millennium bcp).

Comentários
A carregar...

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
Trotinetes hive chegam à app Free Now
Automonitor
Nissan LEAF em modo drift