Boas práticas: Valorizar a contribuição de cada um, para o sucesso de todos

A Noesis acredita que o sucesso resulta do bem-estar dos seus talentos. Para isso, segue o objectivo de construir um ambiente de confiança onde estes se sintam realizados, integrados e activos, promovendo uma cultura de meritocracia, respeito mútuo e diversidade.

 

Por Sandra M. Pinto

 

Acreditamos que o nosso sucesso resulta do bem-estar dos nossos talentos», começa por afirmar Teresa Lopes Gândara, Human Capital director da Noesis. Assim, assumem como objectivo «construir um ambiente de confiança onde todos os colaboradores se sintam realizados, integrados e activos». Ao valorizar a gestão de carreira, incluindo a formação e avaliação das suas pessoas, «de uma forma transparente e mensurável», a Noesis apresenta uma cultura organizacional orientada para o crescimento das competências dos seus talentos, para que se sintam realizados e acompanhados. «Procuramos que as nossas pessoas participem activamente na vida da organização, movidas pela audácia e pelo conhecimento, de forma a que possam evoluir e contribuir para a evolução de todos os colegas e da marca», faz notar a responsável.

Com uma cultura onde prevalece a meritocracia, o respeito mútuo, a diversidade e o desenvolvimento de competências, a Noesis procura construir um ambiente de trabalho de confiança. «Apostamos numa cultura orientada para as pessoas, promovendo a proximidade e fomentando o conhecimento e o desenvolvimento das suas competências únicas», sublinha Teresa Lopes Gândara. «Com as pessoas como um dos pontos-chave na organização, sabemos que a política de Recursos Humanos é decisiva para o sucesso.» E são várias as ferramentas que permitem à organização auscultar e dar resposta às necessidades e preocupações dos seus colaboradores, como o inquérito anual, as caixas de sugestões, as reuniões informais e os grupos de trabalho específicos.

Com vista a atrair e a reter talento, a organização participa em eventos de empregabilidade e pitch bootcamps, cimentando a sua forte relação com a comunidade universitária; apoia iniciativas como o GMC, competição internacional de estratégia e gestão; e incentiva a presença de cada vez mais mulheres no mundo das Tecnologias de Informação (TI), apoiando iniciativas como a Portuguese Women in Tech Hackathon e a Girls in Tech.

Simultanemente, são realizados vários open days dedicados aos estudantes universitários e foi criada a Noesis Academy, o programa de formação de talentos no qual a empresa valoriza e ajuda os seus colaboradores a desenvolver as competências necessárias, contribuindo para a sua realização pessoal e profissional. «Apostamos ainda na promoção do programa de mobilidade interna, nos roadmaps de carreira, sendo que todos os talentos são responsáveis pela sua evolução, para atingirem o pleno potencial de carreira, mas também a optimização de recursos entre projectos e entre escritórios», acrescenta Teresa Lopes Gândara.

Além destas iniciativas, a Noesis implementou ainda um conjunto de boas práticas, como seguros de saúde e de vida, complemento por cada filho menor, tolerância no dia de aniversário dos colaboradores, disponibilização de fruta, massagens e consultas de medicina curativa, contando ainda com parcerias com diferentes organizações que permitem disponibilizar um programa de descontos, o NPlus, para que os colaboradores possam usufruir de vantagens em diferentes áreas, desde ginásios e spas, formações, restauração e também em programas de férias para os filhos.

A responsável completa: «Contamos ainda com diversas actividades de team building e eventos internos, como happy hours e eventos de celebração de sucessos, bem como kick-offs, onde partilhamos com os nossos talentos o balanço do ano e os objectivos futuros. Foi também criada uma banda, a #teamnoesis, formada em exclusivo por talentos internos. Acreditamos que estas iniciativas são importantes para reforçar a coesão das equipas, aumentar a motivação e fomentar a comunicação.»

Os resultados destas iniciativas reflectem-se no baixo turnover mensal da empresa, sendo que durante 2019 esses valores estavam entre os 2 e os 4%. Para Teresa Lopes Gândara, isto são números que revelam também os efeitos de um maior investimento em políticas de retenção dos talentos. «As nossas pessoas sabem que a Noesis se preocupa com o seu bem-estar, valorizando a contribuição de cada um para o sucesso de todos.»

 

Leia o artigo na íntegra na edição de Junho (nº. 114) da Human Resources, nas bancas.

Ler Mais
pub


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*