Case Study Procter & Gamble: Recrutamento em tempo de pandemia, sem perder a proximidade

Para a Procter & Gamble, autonomia, valorização e reconhecimento são factores fundamentais na Gestão de Pessoas, porque sabe que todas as conquistas são resultado de um esforço colectivo. E nem durante a pandemia deixou de reforçar a sua equipa.

 

Por Sandra M. Pinto

 

Com 184 anos, a Procter & Gamble está em Portugal desde 1990. Marcando presença em 70 mercados, a empresa tem neste momento 99 mil colaboradores, 150 deles em Portugal, dos quais 29 contratados em 2020. Olhando para a missão da empresa, assente em encontrar formas significativas de melhorar a vida das pessoas, agora e nas gerações futuras, a Procter & Gamble aposta continuamente no bem-estar dos seus colaboradores, na inovação dos seus produtos e em estratégias que lhe permitam ter um impacto positivo no mundo.

A directora de Recursos Humanos em Portugal da multinacional de bens de consumo, Isabel Castro, acredita que «o sucesso é resultado de uma conjugação de factores, que começa nas pessoas. Para nós, as pessoas estão sempre no centro, e sabemos que todas as conquistas são resultado de um esforço colectivo», afirma, acrescentando que a empresa está, simultaneamente, «focada em conhecer os consumidores, ouvindo-os para entender as suas preocupações e necessidades, priorizando igualmente a partilha de informações de forma rápida e flexível em todos os países» onde marca presença.

Perante a pandemia, a Procter & Gamble incrementou a flexibilidade que já existia na empresa antes de Março de 2020. «Há muito que as nossas pessoas tinham flexibilidade para trabalhar em casa e um número cada vez maior de colaboradores já aproveitava este benefício, quando e como precisava, conciliando melhor a sua vida profissional com a sua vida pessoal», partilha a responsável. «A flexibilidade no trabalho contribui para o bem-estar e para a felicidade dos nossos colaboradores, o que acaba por ter um impacto positivo na motivação e, consequentemente, nos resultados.»

Agora, perante algum regresso à normalidade, Isabel Castro revela que a grande prioridade é o trabalho em segurança «Com o fim do confinamento, vamos continuar a potenciar a política de flexibilidade e a deixar que sejam as pessoas a decidir quando preferem trabalhar em casa e quando necessitam de ir para o escritório, sendo que este regresso será sempre feito ao abrigo dos protocolos e das medidas de segurança necessários.»

 

Motivação e empenho
Na Procter & Gamble, a COVID-19 também não veio afectar a aposta no reforço contínuo das equipas, algo que, aliás, tenciona continuar a fazer. A empresa contrata principalmente pessoas em início de carreira. «Para nós, o mais importante são as características e a motivação dos candidatos, independentemente da área de formação», revela a responsável.

Embora a formação em si seja relevante, a Procter & Gamble não considera que a área seja decisiva. «Acreditamos que a multiplicidade de experiências é muito positiva, pelo que o mais importante nos nossos processos de selecção é, efectivamente, o que a pessoa é, a sua motivação e empenho, bem como a forma como se enquadra nos nossos princípios e valores.» Assim, contratam em todas as áreas de formação, mas maioritariamente para as áreas de Vendas, Marketing e Logística.

O processo de recrutamento inclui uma fase de testes e uma fase de entrevistas. Relativamente ao onboarding, conjugam a aprendizagem sobre as marcas e processos da empresa, em sala e em loja, com a componente humana, através, por exemplo, de almoços de boas-vindas e da atribuição de um buddy.

Com a pandemia e o confinamento, este processo teve de ser ajustado, mas com a preocupação de que a componente humana e cultural não se perdesse. «Foram mais de 20 pessoas que se juntaram a nós durante o confinamento. Hoje, temos a certeza de que conseguimos garantir não só a passagem dos conhecimentos necessários, mas também a proximidade», orgulha-se Isabel Castro. «Não temos dúvidas de que o contacto presencial é importante, mas, na sua impossibilidade, estamos convictos de que a integração de novos colegas está a correr muito bem.»

De uma forma mais abrangente, ao nível das iniciativas direccionadas a todos os colaboradores, a directora de Recursos Humanos destaca o programa #SharetheCare e a a Flex@Work. O primeiro consiste na extensão da licença de paternidade até às 10 semanas e representa um novo marco no desenvolvimento do compromisso da empresa para com a igualdade de condições e oportunidades para homens e mulheres. «O nosso objectivo é promover uma mudança positiva e fomentar a igualdade, tanto no local de trabalho como em casa, pois a realidade é que a partilha no cuidado dos filhos, juntamente com outras formas de co-responsabilidade, é um elemento- -chave para se alcançar um local de trabalho inclusivo e diversificado a todos os níveis da empresa.»

A iniciativa Flex@Work assenta na flexibilidade de horários e de locais de trabalho, no âmbito da qual a empresa tem promovido iniciativas internas de promoção da saúde e do bem-estar, como workshops com nutricionistas, massagens e incentivo à prática desportiva.

Para Isabel Castro, autonomia, valorização e reconhecimento são factores fundamentais na Gestão de Pessoas. Concretiza: «A autonomia é resultado da confiança que temos nos nossos colaboradores, que, desde o primeiro dia, são envolvidos em projectos de grande responsabilidade. Já a valorização resulta de um plano constante de formação, não só nas áreas de trabalho, mas também das nossas estratégias de sustentabilidade e inovação, e, por fim, o reconhecimento, como forma de destacar e premiar as nossas pessoas, não só em momentos-chave, como reuniões de apresentação de resultados, mas também em reuniões de equipa, ou mesmo sem qualquer enquadramento, quando há uma situação de mérito que merece ser reconhecida.»

 

Foco na responsabilidade social
Isabel Castro reconhece que 2020 foi um ano «bastante desafiante, mas graças ao empenho da equipa, num contexto organizacional diferente e mais exigente», conseguiram manter a sua missão. E no início de 2021, o desafio mantém-se. «Estamos optimistas e vamos continuar a responder aos desafios e a procurar soluções para fazer a diferença.» Diferença essa que a Procter & Gamble deseja manter na sua política de Responsabilidade Social, através de projecto de cidadania que assenta em quatro pilares: Ética, Igualdade e Inclusão, Sustentabilidade Ambiental e Impacto na Comunidade.

Em Março de 2020, a empresa entendeu que precisava agir rapidamente, usando as suas ferramentas como forma de apoio. «Logo no início do dever de isolamento social, adaptámos a nossa comunicação para passar a mensagem #EuFicoEmCasa, juntámo-nos ao movimento #EuAjudoQuemAjuda, promovido pela Cruz Vermelha Portuguesa, contribuindo com 250 mil euros para a compra de material hospitalar e de protecção individual, e colaborámos com a Entrajuda, que criou a Rede de Emergência Alimentar», exemplifica Isabel Castro.

Não obstante, este trabalho de responsabilidade social «começou há muitos anos, tendo inegavelmente aumentado em 2020», e irá continuar a ser um dos focos mais importantes da Procter & Gamble», garante a responsável. Desta forma, a empresa assumiu um compromisso global de 2021 actos para o bem em 2021, sob o tema “Lead With Love”, que, em Portugal, é o fio condutor do que a empresa faz, seja através das estratégias das suas marcas, na sua comunicação corporativa, mas também internamente.

«Toda a equipa está motivada para fazer parte destes “actos para o bem”, quer através da partilha de ideias e de causas, quer através de acções de voluntariado presencial e remoto», garante a directora de Recursos Humanos, avançando ainda que também a nível ambiental a empresa tem aumentado os seus esforços, com compromissos cada vez mais ambiciosos. «Estamos comprometidos em trabalhar em cada fase do ciclo de vida dos nossos produtos para torná-los cada vez mais sustentáveis, visto que um dos grandes objectivos é o de nos tornarmos neutros em carbono ainda nesta década.»

Sobre o futuro, Isabel Castro acredita que 2021 continuará a ser um ano de grandes desafios, em que a Procter & Gamble vai continuar focada em quatro aspectos fundamentais: «Assegurar a segurança e o bem-estar dos colaboradores, acompanhar de perto as necessidades dos consumidores – de forma a continuar a corresponder às suas expectativas com inovação relevante –, e manter a proximidade com os parceiros e clientes.»

 

Este artigo foi publicado na edição de Maio (125) da Human Resources.
Caso prefira comprar online, pode comprar a versão em papel ou a versão digital.

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...