Cinco estratégias para ajudar as organizações a recuperarem no pós-pandemia

A pensar nas necessidades e dificuldades actuais do tecido empresarial português, Luís Gonçalves, consultor e especialista em gestão organizacional, partilha cinco estratégias para os líderes implementarem nas suas empresas, de forma a conseguirem acelerar a sua recuperação e saída da crise provocada pela COVID-19.

 

«Não há dúvida de que o cenário de pandemia veio despertar uma urgência em inovar e transformar as empresas. A COVID-19 marcará o crescimento da Era Digital, tal como o Henry Ford marcou o início Era Industrial», acredita Luís Gonçalves. E identificou cinco estratégias que considera fundamentais para as empresas no contexto de crise:

 

1. Transformação do desenho organizacional da empresa
Para as empresas conseguirem sobreviver nesta nova era, é imprescindível serem reestruturadas de forma a que consigam mudar de direcção muito rapidamente e estejam optimizadas para a velocidade. Para isso é necessário quebrar as hierarquias e criar coligações entre executivos e a camada operacional, criando maneiras de espalhar conhecimento dentro da própria organização e uma cultura onde a inovação passe a ser parte integral da empresa.

 

2. Agilidade organizacional
É importante que os líderes e colaboradores das empresas comecem a adoptar processos e metodologias de trabalho que permitam experimentar novas abordagens, iterar e adaptar-se ao mercado rapidamente. Metodologias como Scrum, Kanban e outras têm sido usadas há vários anos nas empresas tecnológicas, mas rapidamente devem ser aplicadas a outros sectores.

 

3. Atrair clientes na era digital
Na Era Digital, acelerada pelo cenário de pandemia, as empresas precisam de reinventar o seu modelo e passar a atrair clientes através de uma estratégia baseada em “customer network”. O comportamento dos consumidores mudou radicalmente, logo as empresas têm de criar estratégias onde os produtos são facilmente acessíveis e com os quais os utilizadores possam interagir. Há que personalizar a experiência para o cliente, dar-lhes oportunidade para participarem no próprio desenvolvimento e criar estratégias para geração de tribos entre os consumidores.

 

4. Estratégia de análise de dados
Tipicamente, as organizações possuem vários dados sobre os clientes, mas normalmente não estão organizados, o que não as ajuda a ter um melhor entendimento sobre os hábitos dos seus clientes e reacção aos seus serviços. Face ao contexto actual, nenhuma transformação digital séria existe sem ter em consideração uma boa estratégia de como os dados vão ser utilizados.

Por isso, é fundamental ter uma estratégia de recolha e análise de informação que permita perceber de forma mais eficaz e eficiente o que se passa dentro da empresa neste momento e de que forma pode tornar-se mais competitiva em tempo de crise.

 

5. Estratégia de produto
Face à mudança radical que estamos a viver, os líderes terão de colocar o cliente no centro das suas operações, ou seja, terão de redesenhar a empresa em torno da capacidade e rapidez de criar soluções que venham satisfazer necessidades reais e não em torno de departamentos funcionais, como na era industrial.

Esta mudança organizacional, de departamentos para foco no cliente e produtos, é um dos maiores desafios na era digital que estamos a viver, pois obriga os líderes a reestruturarem toda a organização tendo em conta a sua cadeia de valor e a adaptar o seu modelo de negócio para ter impacto em indústrias estabelecidas.

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...