Cinco tendências de gamificação para 2020

A gamificação não é uma técnica nova, mas, recentemente, a palavra da moda ganhou grande destaque. Com as taxas de engagement e retenção a diminuir, a gamificação apresenta-se como um antídoto oportuno para esses casos. Eis algumas previsões actuais a que se deve estar atento.

 

As empresas inovadoras que aproveitam a gamificação estão a lucrar com as características que tornam tão atractivas as aplicações baseadas em jogos. Os benefícios da gamificação para o envolvimento dos colaboradores são tão visiveis que não há dúvidas. Por exemplo, de acordo com a eLearning Learning, a gamificação aumenta a produtividade dos colaboradores em até 50% e o engagement dos colaboradores em 60%. Por outro lado, 97% dos colaboradores acima de 45 anos acreditam que a gamificação ajuda a melhorar o trabalho. E 85% estão dispostos a gastar mais tempo em software gamificado.

 

1. Seleccione sectores que oferecem recompensas significativas
A gamificação continua a ter cada vez mais importância, e ultimamente o crescimento tem sido acelerado. Isso ocorre principalmente porque a gamificação está a chegar à maturidade. Por outro lado, todos os aspectos da gamificação foram experimentados e testados em diversos sectores. Os projectos de motivação extrínseca e intrínseca foram levados ao limite, à medida que as empresas se esforçam para obter benefícios significativos. No entanto, com cada sector a ver a gamificação de uma perspectiva única, está a nascer uma nova tendência.

De acordo com Yu-kai Chou, presidente do Octalysis Group, a gamificação terá mais impacto nos negócios importantes, mas comparativamente mundanos. Além disso, Yu-kai Chou prevê que a terá um impacto profundo nas empresas que desejam destacar-se em áreas altamente competitivas. O que inclui empresas que operam no retalho, comércio electrónico, aplicações móveis e  entretenimento. Yu-kai Chou conclui que a gamificação terá um significado incremental em áreas onde colaboradores ou consumidores estão desligados ou distraídos dos seus objectivos e metas.

 

2. Gamificação a mudar para aplicações móveis e redes sociais
A entrada dos millennials e da geração Z na força de trabalho global apresentou um novo desafio para as pequenas empresas. Actualmente, manter os novos participantes envolvidos não é fácil. De facto, segundo uma pesquisa da Gallup, quase 71% dos millennials sentem-se desmotivados no trabalho.

Para enfrentar esse desafio, as pequenas empresas estão a integrar a gamificação com aplicações móveis e redes sociais (Gallup). Com a maioria das plataformas empresarias a criar aplicções móveis, mudar a gamificação para as redes sociais e as aplicações móveis é uma ideia oportuna. Isto acontece porque as aplicações móveis.

 

3. Desenvolver designs de gamificação com Realidade Aumentada (RA) e Realidade Virtual (RV)
Os jogos são envolventes e, geralmente, estimulam o desejo de completar um nível. Mantêm os jogadores focados, motivados e constantemente entusiasmados com o sucesso. A gamificação oferece essas características intrigantes dos jogos e sobrepõe-as às actividades empresariais da vida real.

Por outro lado, a tecnologia imersiva aproveita o espaço de 360 graus para ampliar a realidade. Tecnologias como RA, RV e realidade mista (RM) oferecem uma experiência sensorial visual rica, o que as torna a opção perfeita para a gamificação.

A tecnologia imersiva ainda está ainda na fase de novidade, mas a sua utilização na gamificação já está a ganhar força. A experiência imersiva de RA / RV / RM combina muito bem com a experiência emocional fornecida pelos mecanismos do jogo. A combinação indica o que a gamificação deve alcançar: proporcionar uma experiência profundamente envolvente ao público-alvo.

 

4. Personalização na gamificação
Os profissionais de Marketing e empresas costumavam confiar num design gamificado sistemático para obter resultados em todas as situações. Os sistemas de gamificação unidimensionais alavancaram as melhores características dos jogos. Naquela altura, consumidores e colaboradores adoravam-nos. No entanto, as coisas seguiram um caminho diferente e o público-alvo desenvolveu uma percepção diferente dos sistemas gamificados.

Actualmente, a personalização é a rainha suprema da gamificação. As partes interessadas do sector arregaçaram as mangas para criar designs gamificados personalizados. A corrida para criar algoritmos adaptáveis que seleccionam o design de gamificação certo para cada situação está a seguir a todo o vapor. Algumas plataformas de gamificação já possuem personalização incorporada, enquanto outras a incluíram nos seus planos.

No entanto, ainda não vimos o melhor da personalização na gamificação. Tal como está, vemos apenas relances do seu potencial. Mas com os enormes avanços feitos na aprendizagem das máquinas e na inteligência artificial (IA), o futuro da gamificação parece brilhante. Essas tecnologias facilitam a implementação da personalização na gamificação.

 

5. Quantificar os resultados
As pequenas empresas precisam de acompanhar de perto os resultados, sejam eles de marketing, vendas ou gamificação. Isso ocorre porque os dados de qualidade e os relatórios ajudam a aperfeiçoar as suas campanhas. Além disso, a monitorização de resultados facilita a optimização de projectos, aumentando as suas probabilidades de sucesso.

Essa tendência de quantificar os resultados da gamificação não é totalmente nova. No entanto, esperávamos que cada vez mais plataformas adoptassem abordagens que permitissem às empresas criar objectivos claros e definir os mensuráveis. À medida que a tendência aumenta de importância, métricas como tempo, qualidade e envolvimento tornam-se cada vez mais fáceis de quantificar.

 

Este artigo foi publicado na edição de Novembro da Human Resources.

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...