Como a pandemia afectou o aumento do salário mínimo na Europa (e em que posição surge Portugal)?

Portugal é um dos países onde a pandemia não impediu o aumento de salários. Desde 1 de Janeiro de 2021, o salário mínimo aumentou 4,2% em relação ao ano anterior (592 euros vs 565 euros líquido). Os analistas da Picodi investigaram como a pandemia afectou o aumento do salário mínimo e se esse dinheiro é suficiente para sobreviver, Portugal está no 23.º lugar entre 56 países incluídos na análise.

 

Na Alemanha, o salário mínimo aumentou 1,5% (34.º lugar) , no Reino Unido 7,7% (13.º lugar) e na República Checa 11,6% (8.º lugar).

O maior aumento foi observado na Ucrânia (27% ao ano). Mas apesar disso, após a conversão para o euro, o salário mínimo na Ucrânia continua a ser um dos mais baixos (143 euros).

É o segundo ano consecutivo em que o Cazaquistão fica em último lugar no ranking. O valor líquido neste país não mudou, mas o aumento dos custos de seguro de saúde significa que os trabalhadores levam menos dinheiro para casa.

Um em cada três países incluídos na pesquisa não aumentou o seu salário mínimo em 2021. Entre eles estão Hungria, Eslovénia, Estónia e os Estados Unidos, onde a taxa federal não mudou desde 2009.

A pesquisa incluiu 56 países onde o salário mínimo é determinado por governo. Em alguns países, as pessoas que ganham o salário mínimo estão isentas de pagar impostos (as Filipinas e Hong Kong). No entanto, na maioria dos países, os valores brutos e líquidos variam em alguns por centos a algumas dezenas. Por causa disto, tomámos em conta apenas os valores líquidos, que um trabalhador leva para casa após todas as deduções.

Os analistas da Picodi compararam os salários mínimos com os custos de comida. O carrinho de compras criado para propósito deste relatório é composto por oito produtos pão, leite, ovos, arroz, queijo, carne, frutas e legumes.

A alimentação básica responde a 14,7% do salário líquido mínimo. Com os preços do ano passado, os mesmos produtos responderam a 15,5% do salário mínimo na época. Isso significa que em Portugal, o aumento dos salários supera o aumento dos preços.

A melhor relação entre os preços de alimentação e o salário mínimo foi observada no Reino Unido, Irlanda e Austrália, nestes países os alimentos básicos valem cerca de 7% do salário mínimo.

Neste ranking, Portugal com a pontuação 14,7% está no 13.º lugar entre 56 países. Abaixo na classificação estão os Estados Unidos (14.º lugar), Polónia (15.º lugar) e Brasil (38.º lugar).

Em alguns países, como Nigéria e Uzbequistão, o salário mínimo é tão baixo que nem mesmo cobre os custos de carrinho de compras de alimentação básica.

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...