Como gerir pessoas em tempo de pandemia? A Ordem dos Psicólogos ajuda

A pandemia COVID-19 colocou às organizações um desafio muito exigente – o desafio de criar estratégias de adaptação, redução ou suspensão temporária da atividade, ajustando-se à realidade vigente, sem deixar de cuidar dos seus colaboradores.

 

Nesta situação excecional os psicólogos desempenham um papel fundamental na gestão dos Recursos Humanos ajudando as organizações a gerir a situação (quer mantenham atividade presencial, quer estejam em teletrabalho ), assegurando a segurança e o bem-estar de todos, a curto e a médio prazo. a Ordem dos Psicólogos juntou uma série de recomendações para  ajudar os lideres a lidar com esta nova realidade.

Elabore um plano de ajustamento dos procedimentos e da distribuição de da organização dos recursos humanos. Tenha como principal objetivo contribuir para conter a propagação do vírus e reduzir o risco de contágio para colaboradores (e clientes). Tenha em conta o número de colaboradores ausentes pela necessidade de prestar apoio aos filhos devido ao encerramento de escolas ou as possíveis baixas devidas à necessidade de isolamento ou doença do colaborador, por  exemplo. E preveja a necessidade de substituição dos colaboradores nas diferentes funções, incluindo a sua, elaborando um plano de substituições. Informe-se sobre procedimentos da segurança social e sobre os apoios de financiamento disponíveis para manter todos os postos de trabalho activos.

• Acompanhe de forma próxima os colaboradores, reforçando canais de comunicação abertos. Procure reconhecer e validar sentimentos de ansiedade, medo e preocupação relativos à pandemia COVID-19 e à situação laboral. Os colaboradores poderão sentir insegurança e receio relativamente às suas condições de trabalho – Será que o meu posto de trabalho está assegurado? Irei receber o meu vencimento por inteiro? É importante antecipar estas questões e responder-lhes de modo claro e direto, transmitindo confiança  e sublinhando a importância do esforço coletivo para que a organização e os seus colaboradores ultrapassem, em conjunto, as dificuldades.

• Trabalhe em colaboração com os colegas que na organização têm maior conhecimento sobre determinado assunto (laboral, fiscal, organização do trabalho) e elaborem uma lista de FAQs para que o profissional que seja contactado pelo colaborador esteja preparado, respondendo com confiança.

• Revele e incentive os líderes a demonstrar compreensão e preocupação com o bem-estar dos colaboradores. Reconheça as circunstâncias específicas de cada colaborador, permitindo-lhe e valorizando o seu contributo. Mostre-se disponível para acolher preocupações e responder a dúvidas. Colaboradores que tenham de compatibilizar o seu trabalho com o cuidado de familiares doentes ou filhos podem sentir-se culpados, sob pressão e pouco competentes. É importante estar sensível e apoiar os colaboradores nessa situação. Esteja particularmente atento a colaboradores em circunstâncias especialmente difíceis (ex. que estejam de luto, que tenham vivido recentemente por situações de vida difíceis, que tenham problemas de Saúde Mental ou doenças crónicas, que sejam ou tenham familiares próximos emigrantes ou que tenham familiares com doenças graves), uma vez que nestes casos o risco de problemas de Saúde Psicológica e stresse aumenta substancialmente.

• Transmita segurança e motivação. Reforce que esta situação é temporária, que todos os colaboradores são válidos e que o contributo de todos é essencial para ultrapassar este momento. Comunique sobre os esforços levados a cabo para manter a segurança de todos e o funcionamento da organização. Por exemplo, envie um email sintetizando as mudanças e medidas adoptadas tendo em consideração a segurança e o bem-estar dos colaboradores. Comunique aos colaboradores que os desafios serão enfrentados em conjunto, mas faça-o sem negar o momento exige nte (e de futuro incerto) em que nos encontramos. A falsa esperança não é uma boa estratégia motivacional. Combine realismo com proximidade e  acessibilidade.

• Mobilize os colaboradores para uma missão coletiva. Explique que o cumprimento do Plano de Contingência da organização tem o propósito maior de contribuir para o bem coletivo e, sobretudo, proteger os mais vulneráveis. Demonstre que a organização precisa e conta com a contribuição de todos para a resiliência face aos desafios que enfrentamos.

• Desenvolva estratégias de promoção do contacto e colaboração entre colaboradores. A manutenção das relações sociais entre as equipas de colaboradores é saudável e favorece a produtividade e o bem-estar laboral. Descubra formas criativas de continuar a promover o trabalho de equipa e um ambiente de cooperação entre colegas, mesmo que alguns colaboradores
(ou todos) estejam em teletrabalho ou ausentes das suas funções. Por exemplo, crie momentos de partilha de vivências, dificuldades e sucessos. Sugira a criação de fóruns ou momentos de café ou outras atividades virtuais para equipas.

• Incentive o respeito pelos momentos de pausa e descanso. A situação atual limita grande parte das estratégias de distração e lazer que a maior parte das pessoas costuma utilizar. Por isso, é essencial respeitar os tempos de descanso e lazer (assim como de recuperação, no caso dos colaboradores ficarem doentes), quer dando essa indicação aos colaboradores, quer dando o exemplo nesse sentido.

Combata o estigma e a discriminação. A COVID-19 afeta-nos a todos e pode infectar qualquer pessoa. Os comportamentos estigmatizantes constituem um risco acrescido, uma vez que podem levar a que colaboradores escondam sintomas ou rejeitem o isolamento.

• Prepare-se para apoiar processos de luto. Antecipe a necessidade de apoiar colaboradores num processo de luto, caso venham a verificar-se perdas de familiares, amigos ou colegas

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...