Como manter a cultura corporativa remotamente?

Para os directores e responsáveis de recursos humanos das empresas, a COVID-19 está a criar um desafio sem precedentes: manter a cultura e valores da organização enquanto os empregados trabalham à distância, muitos pela primeira vez.

O termo “cultura corporativa” pode evocar certos benefícios e incentivos do escritório, como mesas de matraquilhos, after works, happy hours, massagens. Mas uma verdadeira cultura corporativa tem um sentido muito mais profundo. É parte de uma organização e faz uma grande diferença nos seus resultados. De facto, estudos demonstram que os colaboradores com uma ligação forte à cultura da sua empresa são mais comprometidos com a mesma. Além disso, as organizações com grandes culturas atraem os melhores candidatos.

A Robert Walters, consultora de recrutamento especializado de postos intermédios e directivos a nível global, associou-se à Changeosity, consultora de negócios sediada no Dubai, parar criar um Guia para Liderar Equipas (à Distância), no qual se incluem as três estratégias básicas para garantir que as iniciativas que dizem respeito à cultura corporativa não se perdem durante a pandemia:

 

1. Reflectir o propósito e valores da organização em todas as decisões
Durante estes tempos complexos nunca se deve perder de vista a missão original da empresa. As decisões devem continuar alinhadas com o ADN da organização e com o seu propósito e valores fundamentais, mesmo quando as estratégias a curto prazo impliquem uma mudança de direcção.

 

2. Fomentar uma cultura flexível e baseada na confiança
A confiança entre empresa e empregado pode desgastar-se durante momentos de crise. Consequentemente, os líderes devem tentar projectar uma visão melhor do que nunca nesses períodos, desenhando novas boas práticas para o escritório, novas formas de trabalhar com eficiência e flexibilidade, e garantir que continua a haver tempo para a diversão, mesmo que virtual. Quando os empregados virem o esforço realizado para o seu conforto e sucesso, a confiança começará a crescer novamente.

«É importante que os empregados se sintam confiantes na comunicação com a gerência sobre o que funciona e o que não funciona. Este ambiente deve ser promovido através de uma comunicação aberta e transparente», comenta Marco Laveda, managing director da Robert Walters Portugal & Espanha.

 

3. Comunicação constante com as diferentes “comunidades” da empresa
Perante a COVID-19, algumas marcas aproveitaram o momento para oferecer conforto aos seus clientes, colaboradores e seguidores com resultados positivos. Como o co-fundador e CEO da Slack, Stewart Butterfield, comentou recentemente num webinar: «As pessoas lembram-se quando te preocupas com elas e demonstras respeito, mesmo quando as notícias são más». Em resumo, o tom das comunicações durante uma crise é mais importante para reafirmar a cultura de uma empresa do que em qualquer outro momento.

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...