Conselho Editorial: Direcção de Recursos Humanos: R.I.P.! Ou não?!

É este o tema da 19.ª edição da Conferência Human Resources, que se vai realizar no Museu do Oriente (em data a confirmar, dada a actual situação de pandemia Covid-19). Estarão as direcções de Recursos Humanos, como as conhecemos, à beira do fim?

O objectivo da Human Resources é apostar em temas inovadores e disruptivos, antecipar tendências. Assim, e porque já trouxemos a debate temas como a transformação digital (“The Dark Side of Digital” e “People 4.0”), novas formas de trabalho (“Organizações do Futuro” e “Agilidade nas Organizações”) ou atracção e retenção de talento (“Talent War” e “Propósito”), chegou a altura de promover uma reflexão eventualmente incómoda: o futuro das direcções de Recursos Humanos. Que a mudança é o novo normal já se sabe. Que todas as áreas nas empresas enfrentam novos desafios e que têm de se reinventar, também. Neste contexto, o perfil do gestor de Pessoas pode manter-se? Que novas competências se exigem? Que novas áreas devem assumir? Ou é nas áreas core que se devem manter focados? Com estruturas menos hierarquizadas e com novas ferramentas, poderá a sua relevância estar em causa? É o que vamos descobrir.

Os conselheiros presentes foram: António Henriques (Grupo CH), Clara Trindade (L’Oréal), Gonçalo Rebelo de Almeida (Grupo Vila Galé), Joana Queiroz Ribeiro (Fidelidade), João Zúquete da Silva (Altice Portugal), Maria João Martins (My Change), Nuno Ferreira Morgado (PLMJ), Nuno Troni (Randstad), Paulo Pisano (Galp), Pedro Fonte Falcão (ISCTE Executive Education), Pedro Ribeiro (Super Bock Group), Teresa Copio (Dom Pedro Hotels), Teresa Nascimento (DefinedCrowd) e Vanda de Jesus (Microsoft).

Artigo publicado na Revista Human Resources n.º 111 de Março de 2020.

pub


Comentários
A carregar...