EDP 2020: FIAT LUX!

Dias 5 e 6 de Fevereiro. As portas do Altice Arena abriram-se para receber os cerca de 6000 colaboradores da EDP que aceitaram o convite para desfrutar de momentos únicos de convívio e partilhar os principais resultados e objectivos do negócio. A missão foi cumprida e o resultado foi… Made Of Us.

 

Ritmo, confiança e esperança. Este foi o mote que transformou mais um encontro da EDP em
dois dias memoráveis. “Made Of Us” foi uma festa de encontros, uma festa de resultados, uma festa de música. António Mexia, de maestro na gestão dos destinos da companhia passa para a bateria, onde marca o passo de mais de 50 artistas que encheram o palco do Altice Arena de movimento e de cor. Dez dos quais, da própria casa, a EDP.

Uma entrada apoteótica onde se ouviu o apelo a um mundo mais verde, mais sustentável, mais unido numa solução que faça dele, um mundo melhor para todos os que  cá vivem. Foi esse o mundo que a EDP quis criar para receber a sua grande família, que está presente em 19 geografias, composta por 44 nacionalidades e que conta já com 11 550 colaboradores. Ana Sofia Vinhas, directora de Relações Instituicionais e Stakeholders da EDP e o actor Ricardo Pereira, voltaram a ser os anfitriões de mais um encontro da energética que tem, na sua raiz, o nome do nosso País.

Aumentar o sentimento de pertença é um dos principais objectivos desta iniciativa, já que é através da partilha de estórias, projectos e casos de sucesso que é possível reforçar a noção do propósito que todos trazem consigo. Só assim é que o engagement dos colaboradores émpossível. É um trabalho constante e desenvolvido em permanência, não só pela equipa de Comunicação, como também pelas áreas de Recursos Humanos, de Cultura, entre outras. É esta articulação transversal que, de forma integrada, cria condições para que esse mesmo sentimento de pertença se desenvolva, desde o momento em que chegam à empresa, e ao longo de toda a vida profissional.

Ocasião privilegiada também para apresentar o Your Board, uma iniciativa que envolve a EDP Comercial e a área de People & Organization. Consiste na criação de duas equipas cujo objectivo será apresentar ideias das suas respectivas áreas ao conselho de administração. Durante um ano, estas equipas, que estarão presentes em vários mercados, vão poder alocar 20% do seu tempo ao Your Board, que pretende encontrar novas perspectivas e questionar procedimentos, tanto na área Comercial como na de Recursos Humanos.

Considerada o ano passado como a empresa com a melhor Comunicação Interna pelos leitores da Human Resources, a EDP tem esta área assente em três pilares fundamentais e que são a relevância da informação, o feedback contínuo e a inovação. Comunicar melhor e mais rápido, através de plataformas e soluções que chegam a todas as pessoas da EDP, independentemente da sua localização geográfica. Conteúdos multimédia que as próprias pessoas podem gerir, um circuito de Intranet, a edpON Revista, a edpON TV, apenas para destacar alguns deles. Um caminho necessário quando a tendência é flexibilizar o acesso à informação, permitir uma comunicação cada vez mais personalizada e dirigida, facilitar uma maior customização das preferências de consumo de informação e fomentar uma maior intervenção bi-direccional, reduzindo a distância entre quem emite e quem recebe a mensagem.

É toda essa comunicação que se vê reflectida nestes encontros, onde se apre- sentam resultados e se discute o que se faz e porque se faz. Reduzir a distância é preciso, tal como a pegada ecológica, ou não fosse esta uma “festa sustentável”, desde a comida às emissões de CO2, nenhum pormenor foi esquecido e tudo deu direito a palmas… muitas palmas: porque todas as pessoas contam e, afinal, é o conjunto que faz o todo. Também to- das as palmas que se bateram ao longo destes dois dias foram transformadas em energia, posteriormente doada a duas instituições de caridade.

 

Inventar, reinventar e liderar
Foi em mote de música e ritmo que António Mexia deu início à festa. O primeiro encontro de uma década, o primeiro onde se define aquelas que são as linhas mestras do Plano Estratégico que culminará em 2022: os tão afamados “3d’s”: descarbonizar, digitalizar, descentralizar. Sem a sua aprovação, nenhuma das vitórias que se seguiram seriam possíveis. Um momento determinante para esta empresa de raiz portuguesa e que numa década se tornou numa empresa à escala mundial. É um momento que é motivo de orgulho para os que dela fazem parte e que está a contribuir para mudar o mundo.

É uma mudança em que se pretende que a transição energética seja feita em condições de segurança, num mundo que é crescentemente complexo, perigoso, interdependente e globalizado. Um contexto exigente, intocável e incerto, onde as exigências são duras e o cenário de crise é uma constante. Deparamo-nos com um novo paradigma energético, apenas comparado ao que se verificou aquando da Revolução Industrial. O que antes foi carvão e petróleo, hoje é o universo das energias renováveis. É necessário descarbonizar, equilibrar também. O equilíbrio dos colaboradores, accionistas, fornecedores, o equilíbrio da estabilidade no curto prazo, com a sustentabilidade do médio e longo prazo.

A EDP tem uma posição privilegiada no mercado que lhe traz uma responsabilidade acrescida na certeza de uma garantia de futuro. Antes de sermos bons profissionais, é necessário sermos boas pessoas, até porque estamos a falar de uma empresa familiarmente responsável. Uma empresa onde a gestão do talento fala mais alto, o talento é uma das principais características comuns entre os seus muitos colaboradores. Para além dele, a resiliência e inspiração são igualmente uma constante.

Quando se fala de transição digital, fala-se essencialmente de pessoas que devem ser valorizadas numa economia cada vez mais verde e uma EDP que se quer diferenciadora, diversificada, próxima. É essa proximidade que permite a António Mexia ouvir os colaboradores e ir ao encontro das suas vontades: a EDP vai passar a dar dispensa aos colaboradores no dia do seu aniversário, já a par- tir do mês de Maio. E as boas notícias
não ficam por aqui… em Setembro poderão ainda acompanhar os filhos ou netos no primeiro dia de escola. Uma EDP Made Of Us, feita pelas suas pessoas e para as suas pessoas.

Mais do que convívio e união, a festa – que demorou dois meses a organizar –, pretende levantar o véu daquilo que os novos anos 20 trarão. Uma celebração do colectivo, de onde sobressaiu o enorme orgulho que a marca tem nos seus colaboradores e o orgulho que os colaboradores têm pela marca. Foram, no total, 160 milhões de pixéis, 32 projectores de vídeo e mais de 3200 m2 de área de projecção que ajudaram a iluminar o caminho de futuro do grupo. Um conceito trabalhado criado e desenvolvido pela EDP, onde se pretendeu que todos fossem as estrelas, assumindo cada uma delas o protagonismo da cerimónia.

Por se tratar de uma celebração de todos para todos, cada pessoa foi presenteada com um casaco Made Of Us: unidade na diversidade. Tempo ainda para cantar e dançar, desfrutar de momentos de alegria, celebrar a vida e premiar os colaboradores que mais se distinguiram nas mais diversas categorias. Uma valorização do talento que deu lugar a discursos comovidos, ou não fosse esta uma empresa onde as estórias dos colaboradores se cruzam com estórias de verdadeiros heróis, estórias que testemunham e ressalvam o trabalho da EDP Solidária.

A maior linha privada de investimento social em Portugal é um projecto promovido pela Fundação EDP desde 2004 que tem como objectivo o apoio a projectos que melhorem a qualidade
de vida de pessoas socialmente desfavorecidas e a integração de comunidades em risco de exclusão social. Um programa que tem feito a diferença na vida de muitas pessoas e que, em 2015, passou a estar estruturado em três programas anuais, com uma dotação total de 2,1 milhões de euros: Inclusão Social, Saúde e Educação.

E como não há festa sem boas gargalhadas, Bruno Nogueira encheu a sala com uma actuação de stand-up comedy, onde teve ocasião de preparar os presentes para a última surpresa do dia, um concerto de Pedro Abrunhosa e Ana Moura, onde António Variações não ficou esquecido. Um dia em cheio, de verdadeira energia renovada. António Mexia resume, em poucas palavras, tudo aquilo que se viu, ouviu e sentiu: «Não estamos do lado do pedir, estamos do lado do fazer. Vamos olhar para o futuro, inovando, antecipando-o, aprendendo a executar. Muda o mundo, mudam as vontades, mudam as conquistas, muda o dia-a-dia, e a EDP acompanha, antecipa-se. Nessa altura, nascem novos desafios: é agora ou nunca!»

Este artigo foi publicado na edição de Março da Human Resources.

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
Reprise, Initiative, Unilever e Somersby são os grandes vencedores dos Prémios SAPO
Automonitor
Já pode encomendar o novo Citroën C1 JCC+ desde os 14.727 euros