Projectos de hidrogénio renovável na Península Ibérica juntam EDP à Repsol

O memorando de entendimento – assinado esta semana pelos CEO [presidentes executivos] das duas empresas, Josu Jon Imaz [Repsol] e Miguel Stilwell d’Andrade [EDP], na Embaixada de Espanha, em Lisboa –, marca o início das conversações entre as duas partes para implementar projectos de energias renováveis na Península Ibérica”, anunciaram as duas empresas, em comunicado.

O objectivo, detalharam, prende-se com “avaliar oportunidades de investimento” em projectos de hidrogénio ‘verde’, estando já identificadas as primeiras localizações: Sines (Portugal), Astúrias e País Basco (Espanha).

No caso de central a carvão de Sines, que está a ser desmantelada, a Repsol vai desenvolver um projecto de 657 milhões de euros para a construção de duas novas fábricas de materiais poliméricos de alto valor acrescentado, 100% recicláveis, para as indústrias automóvel, farmacêutica ou alimentar.

“Estabelecemos uma parceria com a Repsol, para sermos fornecedores de hidrogénio ‘verde'”, explicou, por sua vez, hoje Miguel Stilwell d’Andrade, durante a iniciativa ESG Days (ambiente, social e governança empresarial).

O CEO da EDP explicou que, além do projeto em consórcio de 1.500 milhões de euros de investimento para produzir hidrogénio verde em Sines (H2 Sines), e para o qual estão já garantidos 30 milhões provenientes de fundos europeus, a ideia é também iniciar estudos para analisar a possibilidade de fornecer hidrogénio renovável à Repsol.

“Em Portugal, o plano passa por explorar a produção de hidrogénio renovável em Sines, tirando partido da complementaridade entre as operações da Repsol no local, através do seu complexo industrial — como potencial utilizador de gás renovável –, e o papel da EDP enquanto fornecedor de energia”, explicaram as duas empresas, em comunicado.

Em Espanha, um dos dois projetos, liderado pela EDP, é o Aboño, que tem como objectivo criar um “Vale do Hidrogénio” nas Astúrias, enquanto a Repsol lidera o projecto no País Basco, também com um eletrolisador de grande escala, como parte do projeto “Corredor Basco de Hidrogénio”.

As duas empresas são também parceiras no projecto Windfloat Atlantic, o primeiro parque eólico ‘offshore’ (no mar) flutuante da Europa continental, localizado ao largo da costa de Viana do Castelo.

Ler Mais
pub


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*