Empresas portuguesas querem contratar mais até ao final do ano

De acordo com o estudo ManpowerGroup Employment Outlook Survey para o terceiro trimestre de 2018, 18% das empresas prevê um aumento nas contratações, sendo que só 3% antecipam uma redução e 77% consideram que não haverá alterações. A previsão da criação líquida de emprego situa-se nos 15%. 

 

Assim, perspectiva-se que a contratação aumente nos nove sectores considerados no estudo, no terceiro trimestre deste ano. O com maior projecção é o de Restauração e Hotelaria, com 22%, seguido dos sectores de Agricultura, Florestas e Pescas e de Electricidade, Gás e Água, com 20%. As Finanças, Seguros, Imobiliário e Serviços de projecção apresentam 15%, enquanto que a Construção, de Transportes, Logística e Comunicações e de Comércio Grossista e Retalhista esperam uma contratação de 14%. A projecção mais baixa por sector é de 10% e pertence à Indústria.

Face ao trimestre anterior, as previsões recuam em cinco dos nove sectores, o recuo mais significativo é de sete pontos percentuais na Restauração e Hotelaria. No entanto, projectam-se melhorias para a Electricidade, Gás e Água, que sobe 14 pontos percentuais e Comércio Grossista e Retalhista que melhora nove pontos percentuais.

Quanto a regiões, Norte, Centro e Sul antecipam o aumento, com a segunda a apresentar as melhores perspectivas, em 17%. No Norte o aumento antecipado é de 11% e no Sul 13%.

Prevê-se o aumento da contratação nas quatro dimensões referidas durante o terceiro trimestre de 2018. A projecção para a criação líquida de emprego aponta para um crescimento maior, de 34%, nas grandes empresas. As médias e pequenas empresas indicam uma projecção de contratação de 15% e 17% respectivamente, enquanto a projecção de criação de emprego para as micro-empresas é de 4%.

Quanto a perspectivas a nível mundial, antecipa-se que que a contratação prossiga em terreno positivo. Quando comparadas com o período homólogo do ano anterior, as intenções melhoram em 24 países, decrescem apenas em 12 e mantêm-se inalteradas em sete. A nível global, as previsões mais altas para o terceiro trimestre de 2018 são reportadas no Japão, na Croácia, em Taiwan, na Hungria e nos Estados Unidos da América, e as mais baixas em Itália, Panamá e Espanha.

As respostas do estudo foram obtidas por um inquérito com uma amostra de 625 empresas, com a pergunta Quais as alterações que prevê para o emprego na sua região, nos três meses que terminam em Setembro de 2018, em comparação com o trimestre actual?”.

O estudo está disponível na integra aqui.

Veja também estas notícias

Ler Mais
Comentários
A carregar...

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
Trotinetes hive chegam à app Free Now
Automonitor
Nissan LEAF em modo drift