Está a trabalhar demais? Tome atenção, pois provavelmente isso está a afectar a sua saúde

O trabalho é uma parte importante da vida da maioria das pessoas.

Em média, os americanos gastam 41 horas a trabalhar fora de casa semanalmente, de acordo com a Organização Internacional para Cooperação e Desenvolvimento Económico. Mas esse número encobre muitas variações, realidade que se estende ao resto do mundo. Por exemplo, as pessoas que vivem na Colômbia trabalham em média quase 49 horas por semana, enquanto as que vivem na Dinamarca trabalham apenas 37 horas por semana.

Um novo estudo patrocinado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), descobriu que trabalhar mais horas está associado a um maior risco de desenvolver problemas de saúde graves e até morte.

Para o estudo, os autores combinaram dados de duas revisões sistemáticas anteriores que incluíram 37 estudos sobre doenças cardíacas e 22 estudos sobre acidentes vasculares cerebrais de 1970-2018.

Mais de 1,5 milhão de pessoas no total foram representadas nos estudos. As análises foram conduzidas pela OMS, Organização Internacional do Trabalho e Nações Unidas para conseguir uma imagem global de como as horas de trabalho afetam a saúde e o bem-estar.

Depois de analisar os dados, os pesquisadores descobriram que trabalhar 55 ou mais horas por semana está associado a um aumento do risco de doenças. Especificamente, aqueles que trabalham mais de 55 horas por semana têm 35% mais probabilidade de ter um derrame e 17% mais probabilidade de morrer de doenças cardíacas em comparação com pessoas que trabalham de 35 a 40 horas por semana.

Aproximadamente 488 milhões de pessoas em todo o mundo trabalham mais de 55 horas por semana, de acordo com o estudo. Com base nos dados, os pesquisadores estimam que 745 mil pessoas morreram de derrame e doenças cardíacas em 2016 em resultado de longas horas de trabalho – um aumento de 29% em comparação com os dados de 2000.

A maioria das mortes foi de pessoas entre 60 e 79 anos que trabalharam 55 horas ou mais por semana durante décadas. Trabalhar muitas horas – e as consequências subsequentes para a saúde – têm maior probabilidade de afectar homens e pessoas que vivem nas regiões do Pacífico Ocidental e do Sudeste Asiático.

«Trabalhar 55 horas ou mais por semana constitui um sério risco à saúde», refere Maria Neira, directora do Departamento de Meio Ambiente, Mudanças Climáticas e Saúde da Organização Mundial da Saúde, num comunicado enviado à imprensa. «É hora de todos nós, governos, empregadores e colaboradores acordarmos para o facto de que longas horas de trabalho podem levar à morte prematura».

Trabalhar muitas horas ao longo dos anos pode ter um sério impacto na saúde e pode aumentar especificamente o risco de desenvolver doenças cardíacas ou ter um derrame.

Ler Mais
pub


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*