Estas dicas vão ajudá-lo a ver o lado positivo da vida

Há, por natureza, pessoas mais pessimistas do que outras, mas a realidade é que a maioria de nós tem tendência para ter expectativas elevadas e difíceis de alcançar, quer a nível pessoal, quer profissional. E quando não são cumpridas, por vezes surge desmotivação e gera-se um ciclo vicioso que pode colocar as pessoas uma espiral negativa.

 

A atitude dos colaboradores influencia a produtividade e a motivação. Por isso, é um tema que preocupa os especialistas de Recursos Humanos. Com isto em mente, a empresa especialista em Recursos Humanos e Outsourcing, Adecco dá dez dicas para ver o lado positivo da vida.

 

1. Seja uma pessoa prática

Isso implica ser realista. Uma pessoa excessivamente pessimista pode acabar a sofrer as consequências das distorções cognitivas. No outro extremo, um excesso de optimismo tornará difícil pensar e agir racionalmente. Ver o lado positivo da sua vida não implica evitar a realidade. Trata-se de observar o seu ambiente de forma prática e objectiva, sem perder a ilusão e o desejo de sonhar.

 

2. Admitir que existem pensamentos negativos

É essencial que também saiba aceitar o facto de que existem pensamentos negativos. Sentir emoções como raiva, medo, tristeza ou ansiedade é algo inerente ao ser humano. Na verdade, essas preocupações são muito úteis para “redefinir” o humor e desabafar. O importante, neste campo, é saber como geri-los e agir de acordo.

 

3. Lidere uma vida saudável

Para se sentir bem, deve ter dois aliados, a saúde mental e a saúde física. Tire um tempo para relaxar e ter tempo de lazer, tenha uma boa alimentação, fuja do estilo de vida sedentário, pratique algum tipo de exercício. Este tipo de atitudes permitirá que se sinta mais enérgico e aumente a sua capacidade de ser positivo.

 

4. Relacionamento com pessoas optimistas

Rodeie-se de pessoas positivas que o ajudam a ver a vida de uma perspectiva mais pragmática e saudável.

 

5. Passe tempo com os outros

Colabore com uma organização sem fins lucrativos, faça algum tipo de voluntariado, ajude os outros de forma altruísta, está provado que ajudar outras pessoas e fazê-lo de maneira altruísta estimula o bem-estar e prolonga-o de forma duradoura.

 

6. Ria muito

Está cientificamente provado, o riso tem efeitos terapêuticos no nosso corpo. Rir reduz os problemas cardíacos e o stress, e até ajuda a queimar calorias. E faz-nos sentir melhor connosco próprios, ajudando a ver as coisas positivas à nossa volta.

 

7. Pratique mindfulness

É uma prática que propõe que concentre toda a sua atenção no aqui e agora. Isto é, a técnica propõe que preste total atenção ao momento presente e aceite-o sem ansiedades e sem distrações. Tem sido demonstrado que o mindfulness tem muitos benefícios: aumento da concentração, redução dos níveis de stress e ansiedade, redução dos pensamentos obsessivos. Reserve um momento para colocar em prática todos os dias.

 

8. Fale de forma positiva

A maioria das pessoas, não está ciente do quanto a sua maneira de falar influencia a maneira como concebe o mundo. Naturalmente, durante toda a sua vida, encontrará problemas. No entanto, foi demonstrado que é mais benéfico para conexões neurais – que, em última análise, têm muito a ver com a maneira como desenvolvemos o nosso pensamento – recorrer ao uso de linguagem positiva.

 

9. Seja decisivo com problemas

Mesmo se aplicar todas essas técnicas, os problemas não desaparecerão como com uma fórmula mágica. Use todas essas táticas para se desligar da autopiedade e da raiva e começar a procurar soluções para essas circunstâncias adversas. Não esqueça que tudo tem solução.

 

10. A importância da constância

Todas essas dicas podem ajudá-lo muito a ver o lado positivo da sua vida. No entanto, para isso, deve ser perseverante. Use todos esses recursos diariamente e seja constante e equilibrado.

Ler Mais
Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*

MULTIPUBLICAÇÕES

[vc_multibar_post nc_mp_bar_revive=”JTBBJTNDc2NyaXB0JTIwdHlwZSUzRCUyN3RleHQlMkZqYXZhc2NyaXB0JTI3JTNFJTNDJTIxLS0lMkYlMkYlM0MlMjElNUJDREFUQSU1QiUwQSUyMCUyMCUyMHZhciUyMG0zX3UlMjAlM0QlMjAlMjhsb2NhdGlvbi5wcm90b2NvbCUzRCUzRCUyN2h0dHBzJTNBJTI3JTNGJTI3aHR0cHMlM0ElMkYlMkZtdWx0aXB1YmxpY2Fjb2VzLWFkcy5jb20lMkZ3d3clMkZkZWxpdmVyeSUyRmFqcy5waHAlMjclM0ElMjdodHRwJTNBJTJGJTJGbXVsdGlwdWJsaWNhY29lcy1hZHMuY29tJTJGd3d3JTJGZGVsaXZlcnklMkZhanMucGhwJTI3JTI5JTNCJTBBJTIwJTIwJTIwdmFyJTIwbTNfciUyMCUzRCUyME1hdGguZmxvb3IlMjhNYXRoLnJhbmRvbSUyOCUyOSUyQTk5OTk5OTk5OTk5JTI5JTNCJTBBJTIwJTIwJTIwaWYlMjAlMjglMjFkb2N1bWVudC5NQVhfdXNlZCUyOSUyMGRvY3VtZW50Lk1BWF91c2VkJTIwJTNEJTIwJTI3JTJDJTI3JTNCJTBBJTIwJTIwJTIwZG9jdW1lbnQud3JpdGUlMjAlMjglMjIlM0NzY3IlMjIlMkIlMjJpcHQlMjB0eXBlJTNEJTI3dGV4dCUyRmphdmFzY3JpcHQlMjclMjBzcmMlM0QlMjclMjIlMkJtM191JTI5JTNCJTBBJTIwJTIwJTIwZG9jdW1lbnQud3JpdGUlMjAlMjglMjIlM0Z6b25laWQlM0QxMDIlMjIlMjklM0IlMEElMjAlMjAlMjBkb2N1bWVudC53cml0ZSUyMCUyOCUyNyUyNmFtcCUzQmNiJTNEJTI3JTIwJTJCJTIwbTNfciUyOSUzQiUwQSUyMCUyMCUyMGlmJTIwJTI4ZG9jdW1lbnQuTUFYX3VzZWQlMjAlMjElM0QlMjAlMjclMkMlMjclMjklMjBkb2N1bWVudC53cml0ZSUyMCUyOCUyMiUyNmFtcCUzQmV4Y2x1ZGUlM0QlMjIlMjAlMkIlMjBkb2N1bWVudC5NQVhfdXNlZCUyOSUzQiUwQSUyMCUyMCUyMGRvY3VtZW50LndyaXRlJTIwJTI4ZG9jdW1lbnQuY2hhcnNldCUyMCUzRiUyMCUyNyUyNmFtcCUzQmNoYXJzZXQlM0QlMjclMkJkb2N1bWVudC5jaGFyc2V0JTIwJTNBJTIwJTI4ZG9jdW1lbnQuY2hhcmFjdGVyU2V0JTIwJTNGJTIwJTI3JTI2YW1wJTNCY2hhcnNldCUzRCUyNyUyQmRvY3VtZW50LmNoYXJhY3RlclNldCUyMCUzQSUyMCUyNyUyNyUyOSUyOSUzQiUwQSUyMCUyMCUyMGRvY3VtZW50LndyaXRlJTIwJTI4JTIyJTI2YW1wJTNCbG9jJTNEJTIyJTIwJTJCJTIwZXNjYXBlJTI4d2luZG93LmxvY2F0aW9uJTI5JTI5JTNCJTBBJTIwJTIwJTIwaWYlMjAlMjhkb2N1bWVudC5yZWZlcnJlciUyOSUyMGRvY3VtZW50LndyaXRlJTIwJTI4JTIyJTI2YW1wJTNCcmVmZXJlciUzRCUyMiUyMCUyQiUyMGVzY2FwZSUyOGRvY3VtZW50LnJlZmVycmVyJTI5JTI5JTNCJTBBJTIwJTIwJTIwaWYlMjAlMjhkb2N1bWVudC5jb250ZXh0JTI5JTIwZG9jdW1lbnQud3JpdGUlMjAlMjglMjIlMjZjb250ZXh0JTNEJTIyJTIwJTJCJTIwZXNjYXBlJTI4ZG9jdW1lbnQuY29udGV4dCUyOSUyOSUzQiUwQSUyMCUyMCUyMGlmJTIwJTI4ZG9jdW1lbnQubW1tX2ZvJTI5JTIwZG9jdW1lbnQud3JpdGUlMjAlMjglMjIlMjZhbXAlM0JtbW1fZm8lM0QxJTIyJTI5JTNCJTBBJTIwJTIwJTIwZG9jdW1lbnQud3JpdGUlMjAlMjglMjIlMjclM0UlM0MlNUMlMkZzY3IlMjIlMkIlMjJpcHQlM0UlMjIlMjklM0IlMEElMkYlMkYlNUQlNUQlM0UtLSUzRSUzQyUyRnNjcmlwdCUzRSUzQ25vc2NyaXB0JTNFJTNDYSUyMGhyZWYlM0QlMjdodHRwJTNBJTJGJTJGbXVsdGlwdWJsaWNhY29lcy1hZHMuY29tJTJGd3d3JTJGZGVsaXZlcnklMkZjay5waHAlM0ZuJTNEYTgzYzMyNTUlMjZhbXAlM0JjYiUzRElOU0VSVF9SQU5ET01fTlVNQkVSX0hFUkUlMjclMjB0YXJnZXQlM0QlMjdfYmxhbmslMjclM0UlM0NpbWclMjBzcmMlM0QlMjdodHRwJTNBJTJGJTJGbXVsdGlwdWJsaWNhY29lcy1hZHMuY29tJTJGd3d3JTJGZGVsaXZlcnklMkZhdncucGhwJTNGem9uZWlkJTNEMTAyJTI2YW1wJTNCY2IlM0RJTlNFUlRfUkFORE9NX05VTUJFUl9IRVJFJTI2YW1wJTNCbiUzRGE4M2MzMjU1JTI3JTIwYm9yZGVyJTNEJTI3MCUyNyUyMGFsdCUzRCUyNyUyNyUyMCUyRiUzRSUzQyUyRmElM0UlM0MlMkZub3NjcmlwdCUzRSUwQQ==”]