Este investimento garante o dobro das receitas às empresas

De acordo com o estudo “Full Value. Full Stop. How to scale innovation and achieve full value with Future Systems” da Accenture, as empresas com melhor desempenho financeiro a nível mundial são as que mais investem em tecnologia, nomeadamente em sistemas sem barreiras, adaptáveis e baseados na cloud para maximizar a inovação, o desempenho e o valor de negócio.

 

O estudo dedicado aos “Future Systems” avaliou as empresas em três dimensões, adopção de tecnologia, profundidade desta adopção e capacidade organizacional e cultural. Ao atribuir uma pontuação a cada um destes factores-chave, determinou quais eram as empresas “Leaders” (primeiras 10%) e as “Laggards” (últimas 25%).

Tendo analisado os indicadores de desempenho entre 2015 e 2023 (projecções), o estudo da Accenture mostra que as receitas das empresas “Leaders” cresciam duas vezes mais do que as “Laggards”. Além disso, as empresas classificadas como “Laggards” foram responsáveis por perdas de 15% da receita anual só em 2018, podendo vir a perder potencial de crescimento de 46% das receitas até 2023 se não mudarem a sua abordagem à tecnologia.

O mesmo estudo concluiu ainda que as empresas “Leaders” exibem uma mentalidade e uma abordagem distintas perante a adopção de tecnologia em toda a empresa e a transformação organizacional, por norma, em forte contraste com as empresas “Laggards”.

Especificamente, 98% das empresas “Leaders” estão adoptar tecnologias rápidas e flexíveis, como a inteligência artificial, em comparação com apenas 42% das empresas “Laggards”.

A maioria das empresas “Leaders” (95%) vê a cloud como um catalisador para a inovação, em comparação com apenas 30% das empresas “Laggards”.

Já 94% das empresas “Leaders” confiam que os seus dados são credíveis o suficiente para impulsionar mudanças no negócio, em comparação com apenas 64% das empresas “Laggards”.

Outra das conclusões do estudo mostra que as empresas “Leaders” estão a utilizar formação experiencial quase três vezes mais do que as empresas “Laggards”, 73% versus 24%. Já a utilização de inteligência artificial e das advanced analytics, em áreas como a formação personalizada está a ser feita por 87% das empresas “Leaders”, mas apenas por 35% das empresas “Laggards”.

O estudo “Full Value. Full Stop. How to scale innovation and achieve full value with Future Systems” baseou-se na análise a mais de 8300 organizações, em mais de 20 indústrias e 20 países, e oferece insights sobre como escalar a inovação e alcançar o máximo valor dos investimentos em tecnologia. Esta análise foi desenvolvida para apoiar as empresas a compreender e eliminar o gap da concretização da inovação, isto é, a diferença entre o valor potencial e o concretizado dos investimentos em tecnologia.

Ler Mais
Comentários
A carregar...

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
YouTube faz 15 anos: o que mudou e o que ainda vai mudar
Automonitor
Presidente promulga diploma sobre alteração de matrículas automóveis