Great Place to Work: É hora de apostar numa cultura organizacional data driven!

Vivemos hoje no mundo empresarial e corporativo em plena era digital, exponenciada e promovida pela crescente implementação nas empresas de modelos híbridos e de teletrabalho.

 

Estes modelos aceleraram a transformação digital, sendo já perceptível que as organizações que não tenham um plano de transformação digital na sua estratégia de crescimento irão obrigatoriamente perder clientes e ter dificuldades em fazer face à concorrência. A estas irão acrescer dificuldades na atracção e retenção de talentos. Mas o que devemos entender por transformação digital? Esta pode ser definida como a incorporação de tecnologia nos processos adoptados pelas organizações. A tecnologia é, actualmente, um apoio e uma aliada, cada vez maior, das organizações, contribuindo para agilizar a rotina, optimizar tarefas, aumentar a produtividade, diminuir a burocracia e melhorar os resultados.

A transformação digital coloca a tecnologia no protagonismo das acções. Com a transformação digital, os processos de RH são optimizados, tanto na digitalização de dados dos colaboradores, como na interpretação dos indicadores de desempenho. A tecnologia está, ainda, na base da construção de um excelente lugar para trabalhar, através de plataformas para a realização de surveys e/ou pulse surveys, que permitem de uma forma simples e rápida conhecer a percepção dos colaboradores e fazer um diagnóstico de clima e cultura organizacional. Salienta- se, ainda, o facto de a tecnologia simplificar a compilação e a interpretação dos resultados, facilitando e apoiando a tomada de decisões.

Perante este contexto, e reforçando e vivendo, a sua missão, ou seja, para continuar a ajudar as empresas, a Great Place to Work criou uma plataforma, denominada Emprising, com base na sua experiência de mais de 30 anos a realizar pesquisas de clima organizacional. A construção desta plataforma teve, assim, por objectivos caracterizar a cultura das empresas, aumentar o envolvimento dos colaboradores e apoiar os decisores a tomarem a decisão certa através dos dados reunidos. Uma cultura data driven é boa para os seus negócios e para as suas pessoas.

Em Portugal a ferramenta já foi utilizada por mais de 13 mil colaboradores, estando prevista a utilização generalizada em 2023.

 

Simplificar e agilizar, surveys prontos em minutos
Adeus aos longos projectos e às horas a fio de produção do seu questionário aos colaboradores! Através do Emprising, as empresas podem de uma forma fácil e rápida conduzir o survey da Great Place to Work Model, que já se encontra predefinido, assim como criar um questionário tão único e exclusivo quanto a sua empresa.

Identificou uma oportunidade de melhoria no survey anterior? Se o plano de acção já terminou, faça a monitorização através de um pulse survey na nossa plataforma, sempre que pretender, e com as temáticas definidas por si, podendo desta forma tirar um retrato instantâneo do seu ambiente de trabalho.

Este é um dos motivos da comunidade Certified estar a crescer de ano para ano em todo o mundo, as equipas de gestão recorrem a este serviço Saas, que lhes permite mesmo, em muitos casos, sem ter uma preparação tecnológica avançada pôr no “ar” questionários para milhares de colaboradores. A ferramenta é de tal forma intuitiva que qualquer membro da equipa pode operar. Além disso, a equipa de consultoria da Great Place to Work está capacitada para apoiar qualquer tipo de projecto rapidamente.

A pensar nos colaboradores, a plataforma permite que eles respondam onde quer que estejam, no escritório, na fábrica ou até em teletrabalho na praia. Responder ao seu questionário será uma tarefa acessível para todos e qualquer equipamento servirá: computador, telemóvel ou iPad, a plataforma é responsiva e bastante apelativa aos utilizadores. Nenhum colaborador ficará de fora e a plataforma poderá ser respondida em qualquer um dos 40 idiomas disponíveis, dando oportunidade a toda a sua equipa multicultural de participar.

 

Optimizar a tomada de decisões da liderança
Entender o que está a correr mal na empresa não é tarefa fácil! Por esse mesmo motivo, é importante ouvir regularmente as pessoas que operam na organização e entender as suas “dores” para que estrategicamente possam ser ultrapassadas.

Através do Emprising, é possível obter feedback dos seus colaboradores por departamento, tipo de função, líder e grupos demográficos em tempo real. Após o término do survey, os resultados, análises e insights sobre a empresa ficam disponíveis e permitem à equipa de gestão tomar decisões optimizadas de forma rápida. Nunca foi tão fácil aceder aos resultados de uma pesquisa, seja através de gráficos de barras ou circulares, mapas de calor, podendo facilmente “puxar” os resultados por grupo demográfico e conjunto de afirmações, além da incrível nuvem de palavras disponível para apresentar os resultados dos comentários.

 

Ser mais competitiva
De que serviria tudo isto se o objectivo não fosse ter uma melhor performance e ajudar as pessoas ao longo da jornada? Com a transição digital das organizações e a chegada de softwares que apoiam a gestão, os “players” vão-se tornando cada vez melhores. A “competição” passa no mundo do trabalho por serem as empresas que irão atrair ou fazer permanecer os melhores talentos, as mais inovadoras nos serviços/produtos desenvolvidos ou as que alcançarão maior cota de mercado.

Por isso é importante medir e entender em que medida a vossa organização está mais propensa a inovar. Com o Emprising é possível medir mais de 75 marcadores de inovação, que automaticamente o irão ajudar a entender qual o crescimento e a eficácia da liderança. Além disso, é necessário acompanhar as mudanças ao longo do tempo, através do trending, para que se possa analisar a evolução da percepção dos colaboradores, registando as alterações mais significativas do seu ambiente de trabalho, identificando as positivas e pondo em prática as acções necessárias para fazer face às alterações negativas.

Uma organização que quer ser mais competitiva vai, ainda, encontrar, de forma rápida e imediata, a comparação entre os seus resultados e os do mercado, sector de actividade e/ou com os 50 Best Workplaces em Portugal, permitindo-lhe perceber quais são os principais gaps (positivos e negativos).

A transição digital e as ferramentas que usamos trazem também várias ameaças, por isso é importante confiar em plataformas que privilegiam a cibersegurança, indo além dos requerimentos básicos. Afinal de contas, falamos de dados sensíveis que podem definir a direcção das pessoas e das organizações. No caso do Emprising falamos de uma ferramenta com foco na protecção dos colaboradores, pois a única forma de obter uma opinião sincera é garantir o anonimato de todos os participantes.

Uma cultura organizacional data driven é o que vai permitir às organizações corresponderem às expectativas das pessoas, por isso é importante capacitar os líderes da sua organização para a tomada de decisões através de dados fidedignos e actuais.

 

Este artigo faz parte do Caderno Especial “Transformação digital” publicado na edição de Julho (n.º 139) da Human Resources.

Caso prefira comprar online, tem disponível a versão em papel e a versão digital.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*