I Have the Power: «Líderes fortes, inspiradores e congruentes»

As lideranças são a chave da atracção e retenção de talento nos dias de hoje.

 

Nunca como agora a área de Gestão de Pessoas precisou tanto de líderes eficazes. Num mercado de trabalho transformado pela pandemia de COVID-19, onde existe maior mobilidade e escassez de talento, é nas lideranças que Adelino da Cunha, CEO da Solfut – I Have the Power, acredita estar a solução.

 

De que forma as empresas estão a adaptar-se às transformações ocorridas nestes últimos dois anos em matéria de gestão de talento?
Notamos que o talento é cada dia mais considerado, até pela dificuldade de o encontrar no mercado. Depois da grande popularidade das apps da felicidade e do talento, já se começou a perceber que o mais importante, para o podermos cativar e reter, são as lideranças.

 

Quais são os principais desafios recentes e de que forma a I Have the Power pode ajudar a ultrapassá-los?
Através dos nossos serviços de Coaching e de Consultoria podemos ajudar os nossos clientes a implementarem modelos de atracção e desenvolvimento de talento.

 

Que desafios persistem perante a nova realidade em termos de trabalho?
Um dos principais desafios trata-se da migração do teletrabalho, como os formatos anteriores à pandemia. Relacionado com este, também o desafio de liderar as equipas neste novo ambiente mais descontínuo.

 

Considera que existem consequências, positivas ou negativas, no que diz respeito à produtividade?
Os novos ambientes de teletrabalho vieram mostrar que se pode aumentar a produtividade com melhor qualidade e sem ser necessário a presença física de colaboradores, nomeadamente em áreas de suporte.

 

Reter talento é mais difícil agora que o mercado de trabalho acabou por se tornar mais global?
Sim, porque as pessoas têm mais possibilidades de escolha e acesso a oportunidades mais diversificadas, quer de projecto, quer de rendimento.

 

O que mudou nas expectativas após a pandemia, tanto da parte das empresas face aos seus colaboradores como no sentido inverso?
Os colaboradores buscam muito mais equilíbrio entre a parte pessoa e profissional, estão mais lógicos e querem mais qualidade de vida. As empresas precisam de mais pessoas e estão a ter dificuldades em recrutá-las, em alguns sectores.

 

Quais são as grandes tendências para o futuro em termos de gestão de talento?
Claramente a gestão de talento está cada dia mais associada a líderes fortes, inspiradores e congruentes. Sem esse tipo de liderança, a tarefa de reter talento está condenada ao fracasso.

 

Este artigo faz parte do Caderno Especial “Gestão de Talento” publicado na edição de Maio (n.º 137) da Human Resources.

Caso prefira comprar online, tem disponível a versão em papel e a versão digital.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*