I Have the Power: Os benefícios do coaching para as empresas

O coaching apresenta-se hoje como parte integrante do desenvolvimento de carreiras, principalmente para a obtenção de soft skills.

 

Cada vez mais o coaching se afirma como a metodologia de desenvolvimento humano que pode gerar mais resultados na transformação das pessoas. Adelino Cunha, CEO da I Have the Power explica como este conceito ganha relevância nas empresas portuguesas.

 

Qual a importância do coaching nos dias de hoje para as empresas e as suas lideranças?
Na I Have the Power combinamos o coaching com a PNL (programação neurolinguística), o que nos permite incluir na metodologia de coaching ferramentas poderosas que ajudam, e muito, a melhorar rapidamente.

As empresas que pretendem reter e desenvolver o talento têm de incluir o coaching como um complemento aos processos de desenvolvimento de carreiras das suas pessoas para lhes permitir, a par da formação, adquirir e desenvolver soft skills.

Para os líderes, além do seu próprio desenvolvimento, o coaching é facilitador do processo de liderar, pois transforma a liderança em algo co-criativo e que aumenta o engagement nas equipas, algo importantíssimo, por exemplo, para quem trabalha com millenials ou gerações mais novas, para quem os modelos directivos antiquados não funcionam.

 

Quais os benefícios a longo prazo?
A longo prazo, ter melhores pessoas claramente gerará melhores resultados, pelo que considero ser um acto de boa gestão todo o investimento que se faça em formação de qualidade e em coaching de qualidade, para que possamos ter equipas mais fortes mentalmente, mais resilientes e mais criativas.

 

Como é que o coaching vem a contribuir para o desenvolvimento de competências nos colaboradores?
Uma boa fase de diagnóstico é fundamental para que um processo de coaching possa gerar resultados. Esse diagnóstico vai permitir definir com mais exatidão o estado da arte e a situação actual e também apontar os resultados pretendidos.

Assim será mais fácil implementar processos de transformação. Dada a proximidade do coaching com métodos de gestão de projectos, e dada a comunhão de pressupostos com a PNL, podemos instalar novos hábitos, mudar crenças, activar/desactivar emoções, gerir o fracasso, potenciar o sonho, enfim, é gigantesco o potencial de competências que podemos ajudar a desenvolver nos nossos clientes.

 

E qual a influência na produtividade?
Claramente que a infelicidade, a ansiedade, o burnout, o medo, a depressão, a falta de ambição, a má autoestima e autoconfiança, e muitas outras situações que afectam hoje muitos colaboradores de empresas, contribuem para uma deficiente produtividade.

Se ajudarmos a reduzir e, em alguns casos, eliminar estas situações, qual será o impacto? Algo tremendo e até às vezes difícil de quantificar, dada a abrangência dos seus efeitos.

 

De que forma se relaciona o coaching com as mudanças recentes no mercado de trabalho, nomeadamente as associadas à pandemia?
A pandemia afectou o inconsciente colectivo e de todas as pessoas, instalando em muitas mentes um estado de fragilidade, dado se estar a tratar de um adversário invisível. Além disso, acelerou o processo de mudança de milhões de pessoas que tiveram de passar a viver num ambiente de permanente insegurança e mudança.

Isto tem efeitos tremendos na saúde mental e que se notam no crescimento de ansiedade, depressão, burnout, etc., num aumento da agressividade na comunicação interpessoal, na manifestação de sintomas de stress exagerado em múltiplos comportamentos, levando as pessoas a recorrerem a psicólogos e psiquiatras, e até a serem medicados.

Para além da abordagem terapêutica pode fazer sentido utilizar a combinação do coaching com a PNL para ajudar a alinhar e potenciar capacidades que não necessitem de terapia. Diria que, se actuarmos preventivamente com coaching e PNL, não chegaremos à necessidade das terapias.

 

De que forma é que a comunicação sai reforçada com recurso a uma estratégia de coaching?
O coaching ajuda a aumentar os níveis de nitidez, quer da situação actual, quer do futuro desejado, quer dos planos de acção.

Sendo a nitidez algo fundamental para uma boa comunicação, com o coaching podemos elevar os níveis de alinhamento e entendimento de uma empresa para um novo patamar, rumo à excelência pessoal.

Muitos dos problemas entre as pessoas resultam da inexistente ou deficiente comunicação, pelo que podemos melhorar e muito os níveis de entendimento, melhorando as capacidades de saber comunicar e também de saber escutar, entendendo com maior tolerância e espírito construtivo os diferentes pontos de vista.

 

Como se mede o retorno do coaching?
Antes de um processo de coaching começar temos de identificar os indicadores dessa avaliação e tirar uma fotografia da situação. Após o processo de coaching terminar devemos tirar nova fotografia e comparar esses indicadores. Assim teremos uma avaliação subjectiva e objectiva do que evoluiu.

 

Esta entrevista faz parte do Especial “Coaching” na edição de Dezembro (n.º 132) da Human Resources nas bancas.

Caso prefira comprar online, tem disponível a versão em papel e a versão digital.

Ler Mais
pub


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*