Já são conhecidos os vencedores dos Investor Relations and Governance Awards

Os vencedores da 33ª edição dos Investor Relations and Governance Awards (IRGAwards) da Deloitte foram revelados na gala de entrega de prémios, que decorreu no Pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa. Na cerimónia, que contou com a participação do ex-presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, foram distinguidas as melhores práticas de gestão do mercado financeiro e empresarial português nos anos de 2019 e 2020.

Entre os vencedores estão Carlos Rodrigues, António Rios de Amorim (Corticeira Amorim), Miguel Stilwell d’Andrade (EDP) e Cláudia Falcão (Jerónimo Martins).

Para o apuramento dos vencedores foi auscultado um vasto colégio eleitoral, composto por representantes de entidades que actuam no mercado financeiro e empresarial, do qual resultou a lista de nomeados, sujeita depois às decisões finais de um corpo de jurados presidido por Vítor Bento. Fizeram ainda parte do júri desta edição António Esteves, Álvaro Nascimento, Clara Raposo, Duarte Pitta Ferraz, Esmeralda Dourado, João Moreira Rato, Luís Amado, Nuno Gracias Fernandes e Patrícia Lopes Teixeira.

António Lagartixo, CEO/managing partner da Deloitte destaca que: «Esta iniciativa pretende mobilizar o mercado financeiro e o mercado de capitais português em prol do desenvolvimento de melhores práticas de corporate governance, assumindo especial relevância, neste contexto pandémico que vivemos, o relançamento da economia, a capitalização das empresas e a recuperação do investimento. O regresso à normalidade representa uma oportunidade para a comunidade empresarial em Portugal reforçar a sua liderança em áreas críticas como a transformação, a inovação e a sustentabilidade. E é com orgulho que nos associamos a esse esforço colectivo».

Para Vítor Bento, presidente do júri desta iniciativa, reforça que «Portugal deve ter a ambição de diversificar a sua economia, melhorar a sua competitividade e atrair investimento estrangeiro. Essa ambição exige resiliência e transformação, e também o acesso a um mercado de capitais que possa financiar investimentos de longo prazo, apoiar a inovação e facilitar o empreendedorismo. É, neste âmbito, que após a pandemia provocada pelo COVID-19, que causou fortes impactos sociais e económicos, esta iniciativa volta a distinguir as personalidades e as organizações que mais contribuíram para um melhor funcionamento dos mercados, da economia e da sociedade».

pub


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*