José Manuel Sardinha, presidente da EPAL: «Temos uma estratégia de desenvolvimento e inovação focada na sustentabilidade ambiental»

Com oito anos de existência, a Academia das Águas Livres da EPAL desempenha um importante papel na formação para o sector da água e do ambiente. Um dos seus propósitos é acompanhar e suportar a estratégia de desenvolvimento e inovação da organização, com foco na sustentabilidade ambiental.

 

Criada pela EPAL em 2013, a Academia das Águas Livres veio dar resposta à inexistência de formação técnica especializada para o sector da água e do ambiente. E José Manuel Sardinha, presidente do Conselho de Administração da Empresa Portuguesa das Águas Livres, realça que, «hoje, tal como se verificava aquando da criação da Academia, continua a existir no mercado uma carência ao nível da formação técnica no sector da água e do ambiente».

Para colmatar esta lacuna, a Academia das Águas Livres continua a responder «às mesmas necessidades de formação especializada neste sector, desempenhando um papel crucial enquanto centro de produção de conhecimentos e de partilha do elevado know-how da EPAL, acumulado ao longo dos mais de 150 anos de actividade». Enquanto a maior e mais antiga empresa do sector da água no país, a EPAL tem «o dever e a responsabilidade de preservar e partilhar todo o seu conhecimento e experiência», acredita José Manuel Sardinha.

E «a Academia das Águas Livres é o meio de excelência, para promover esta partilha e transmissão de conhecimentos a todos os que manifestem interesse, desde os trabalhadores da EPAL aos das restantes empresas do Grupo AdP – Águas de Portugal, bem como aos trabalhadores de outras entidades públicas e privadas».

 

Partilha de know-how 
«Um dos propósitos da Academia das Águas Livres é acompanhar e suportar em termos de conhecimento a estratégia de desenvolvimento e inovação da EPAL, sempre focada na sustentabilidade ambiental», reitera o responsável, revelando que «a empresa tem em curso, um grande projecto de neutralidade energética que prevê a sua autossustentabilidade energética até 2030». Desta forma, e em complementaridade, a Academia reforçou, em 2019, a oferta formativa com o Programa Avançado de Energias Renováveis no Sector da Água (PERSA), «cujo grande objectivo foi agregar e compatibilizar num só programa, as tecnologias de produção, transporte e armazenamento de energia renovável já que, em Portugal, um dos principais custos do sector da água é o custo energético».

E a procura foi elevada. Prova disso mesmo, e como faz notar o presidente do Conselho de Administração da EPAL, em 2020, foi lançada a segunda edição deste curso, para responder à grande procura que o tema motivou. Outro exemplo avançado pelo responsável é o curso de “Valorização Agrícola de Lamas de ETAR”, lançado em parceria com a Escola Superior Agrária de Coimbra e que teve inicío em março deste ano. O objectivo é proporcionar o acesso à certificação de Técnico Responsável de Valorização de Lamas (certificado pela DGADR). «Esta formação permite que os técnicos do Grupo AdP detenham o conhecimento necessário ao desenvolvimento de Planos de Lamas e possam contribuir para que este “resíduo” evolua na cadeia de valor, transformando-o em produto transacionável e integrável em outras actividades económicas, numa lógica de circularidade dos ciclos e cadeias produtivas, da economia sustentável e do combate às alterações climáticas », esclarece o responsável.

Simultaneamente, a pós-graduação em Tecnologias e Gestão da Água, visa proporcionar o desenvolvimento sistemático de competências técnicas e de gestão, a quadros licenciados, orientadas para a criação de valor no sector da Água.

«Esta pós-graduação é um programa de carácter intensivo com uma estrutura inovadora, que agrega uma componente eminentemente técnica com uma componente de gestão orientada para a visão estratégica do sector e para o desenvolvimento de capacidades avançadas de liderança e de criação de valor», explica José Manuel Sardinha, acrescentando que, em 2020, teve a sua quinta edição. As ofertas formativas atrás referidas são exemplos do posicionamento estratégico da Academia das Águas Livres em termos de formação. «Pretendemos ser um centro de produção de conhecimento e de partilha de know-how, com universidades, instituições e outras empresas do sector público e privado, com a visão e a ambição de contribuir com valor acrescentado para o sector da água e do ambiente nacional e internacional.»

 

Para lá da área ambiental
A Academia das Águas Livres da EPAL tem a sua formação muito orientada para a área ambiental, mas também para as qualificações técnicas e pessoais dos seus trabalhadores, não só do Grupo ADP mas de todo o sector, dispondo actualmente, de um total de 59 cursos, agrupados em quatro tipologias, consoante a sua natureza e o público-alvo da formação: profissional, avançada, técnica especializada e formação geral. A Academia está certificada pela DGERT desde 2013, pelo que à formação realizada é atribuída valorização curricular formal a quem a frequenta com mérito.

José Manuel Sardinha faz notar que «o corpo de formadores da Academia compreende formadores individuais, parcerias com universidades e uma bolsa de formadores interna, que inclui quadros da EPAL e de outras empresas do Grupo AdP, certificados, reconhecidos pela sua experiência nas várias temáticas do Sector da Água e do Ambiente». Todos os anos a Academia das Águas Livres define a sua oferta formativa, que disponibiliza em www.epal.pt, para todos os que tenham interesse em aprofundar os seus conhecimentos.

O responsável acrescenta ainda: «É frequente respondermos a pedidos de entidades externas, que nos solicitam a elaboração de propostas de formação desenvolvidas à medida das suas necessidades. É-nos fácil responder afirmativamente, uma vez que a Academia das Águas Livres tem condições para desenvolver essas acções de formação, nas instalações dos clientes, libertando assim os recursos humanos para a formação, sem prejudicar o normal funcionamento das actividades e tornando-se assim mais competitiva.»

A oferta formativa da Academia das Águas Livres destina-se a todos os trabalhadores do sector, e ao público em geral, com interesse em aumentar o seu conhecimento em temáticas relacionadas com a água e o ambiente, e as demais áreas formativas onde a EPAL desenvolve formação. Relativamente ao futuro da Academia das Águas Livres, o presidente do Conselho de Administração da EPAL refere que, apesar de ser uma academia recente, «a formação é uma área dinâmica que ao longo destes anos tem vindo a progredir e a reinventar-se continuamente».

Assim, acredita que o futuro será marcado pelo crescimento da oferta formativa que pretendem disponibilizar no mercado, e também pelo investimento, em novos meios tecnológicos para aprendizagem, que «permitirão abranger um maior número de formandos, através do ensino em e-learning e b-learning».

 

Este artigo faz parte do Especial “Academias de Formação”, publicado na edição de Março (n.º 123) da Human Resources, nas bancas.

Caso prefira comprar online, pode comprar a versão em papel ou a versão digital.

Ler Mais
pub


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*