José Tolentino de Mendonça vence Prémio Universidade de Coimbra 2021

O cardeal, poeta, ensaísta e teólogo português, José Tolentino de Mendonça, foi anunciado como o vencedor do Prémio Universidade de Coimbra 2021.

 

O Prémio conta este ano com uma Bolsa de Investigação Santander e vai ser entregue a 1 de Março pelo reitor Amílcar Falcão, durante a sessão solene comemorativa do 731.º aniversário da Universidade.

«É com enorme honra que o Banco se associa à entrega do Prémio Universidade de Coimbra ao Cardeal D. José Tolentino de Mendonça, uma referência do mundo da Cultura, sempre atento aos ventos de mudança que percorrem o mundo, com especial atenção para os problemas sociais. Uma personalidade única que vai muito para além das fronteiras da religião, mas também de Portugal», afirma Pedro Castro e Almeida, Presidente Executivo do Santander Portugal,

«Tenho o grato prazer de anunciar que o vencedor do Prémio UC 2021 é o senhor Cardeal D. Tolentino de Mendonça. Trata-se de uma figura ímpar, uma pessoa da cultura, com uma visão social inclusiva, que tocou muito diretamente ao júri, que o nomeou por unanimidade. Não obstante termos diversos candidatos de grande valia, o Cardeal D. Tolentino de Mendonça destacou-se dos demais pela figura inquestionável que é no plano nacional e internacional», refere o reitor Amílcar Falcão.

Nascido no Machico (Madeira), a 15 de Dezembro de 1965, Tolentino de Mendonça é doutorado em Teologia Bíblica pela Universidade Católica Portuguesa. Padre desde 1990 e Arquivista e Bibliotecário da Santa Sé desde 2018, foi nomeado Cardeal pelo Papa Francisco em Outubro de 2019. 

Comendador da Ordem do Infante D. Henrique (2001) e da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada (2015), Tolentino de Mendonça foi em 2020 presidente da Comissão das Comemorações do Dia de Portugal.

Instituído em 2004, contando com o patrocínio do Santander Universidades e o apoio do Global Media Group, o Prémio UC, no valor de 25 mil euros, distingue anualmente uma personalidade de nacionalidade portuguesa que se tenha afirmado por uma intervenção particularmente relevante e inovadora nas áreas da cultura ou da ciência.

Este ano, pela primeira vez, o Prémio, embora mantendo o valor pecuniário de 25 mil euros, é dividido em duas partes, com 10 mil euros a serem atribuídos ao vencedor e 15 mil euros destinados a uma Bolsa de Investigação Santander, numa área determinada pelo vencedor. 

O júri do Prémio é presidido pelo Reitor da UC e tem como vice-presidentes Inês Oom de Sousa (administradora do Banco Santander) e Domingos de Andrade (administrador da Global Media e diretor-geral editorial de DN, JN e TSF).

Nesta edição participaram como vogais Sofia de Menezes Frère (directora do Santander Universidades), Inês Cardoso (directora do Jornal de Notícias), Luís Neves (vice-reitor da UC e professor da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UC), Pedro Costa Gonçalves (professor da Faculdade de Direito da UC e membro do Conselho Geral da UC), Matilde Lavouras (professora da Faculdade de Direito da UC e membro do Conselho de Gestão da UC) e Jorge Castilho (presidente da Associação de Antigos Estudantes da UC).

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...