Liderança feminina nas empresas cresce

O número de mulheres em funções de liderança cresceu 5,3 pp, segundo um estudo da Informa D&B.

No final de 2014, verificava-se que as mulheres representam 42,3% dos empregados, exercem 33,8% das funções de gestão, 24,9% das funções de direcção executiva e ocupam 28,2% dos cargos de liderança. Os homens participam em 87,8% das equipas de gestão, enquanto as mulheres estão presentes em apenas 55,1%. Os dados são do estudo “Onde param as mulheres? – presença feminina nas organizações 2015”, realizado pela Informa D&B pelo quinto ano consecutivo, permitindo traçar um retrato da situação actual e monitorizar a evolução verificada.

Existem sinais de mudança e o estudo da Informa D&B mostra esta evolução, revelando que a presença feminina nas empresas tem vindo a aumentar, em especial na liderança, onde cresceu mais 5,3 pp desde 2011. Também as organizações com gestão exclusivamente feminina, 12,2%, aumentam 2,2 pp no período analisado.

Esta evolução está à vista quer nas empresas jovens (menos de um ano), quer em empresas tradicionalmente conservadoras, como as cotadas.

O estudo revela que as empresas mais jovens não só acompanham como registam uma maior participação de mulheres na liderança (31%), bastante superior aos 26,8% registados nas empresas maduras (mais de 20 anos).

 

Empresas cotadas acompanham evolução

 

Actualmente, 9,9% dos assentos nos conselhos de administração das empresas cotadas são ocupados por mulheres, registando-se um aumento de 4,2 pp desde 2011, mas estas empresas são lideradas na totalidade pelo género masculino.

Nas sociedades anónimas também se verificou um aumento de 2,6 p.p. dos cargos em conselhos de administração ocupados por mulheres, que se situam agora nos 20,9%.

Refira-se que em 2012 a Comissão Europeia aprovou uma directiva para que os 27 Estados membros garantem uma maior presença feminina em cargos decisórios. O objectivo é que até 2020, 40% dos cargos de administradores não executivos das empresas europeias cotadas sejam preenchidos por mulheres.

Empresas com liderança feminina nas 500 maiores crescem mais o volume de negócios

No universo das 500 maiores empresas (por volume de negócios), apenas 6,2% são lideradas por mulheres. Mas estes 6,2% de empresas aumentaram a facturação em 6%, em contraciclo com o universo destas empresas que decresce ligeiramente (-0,3%). As mulheres líderes contratam mais do que os seus congéneres masculinos neste universo das maiores  empresas.

A proporção de colaboradoras femininas nas empresas de maior dimensão (por volume de negócios) é mais elevada (46%) do que nas empresas de dimensão inferior, mas é nas de maior dimensão que as mulheres estão menos representadas nos cargos de gestão (11,5%) e liderança (6,6%). À medida que aumenta a dimensão da empresa (por volume de negócios), diminuiu a liderança feminina (28,9% nas empresas com volume de negócios até 2 milhões de euros vs 6,6% nas empresas com mais de 50 milhões de euros).

As mulheres privilegiam a diversidade do género nas equipas de gestão


A gestão mista verifica-se em 46,5% das empresas e predomina nas empresas lideradas por mulheres (em 60,3%). Quando o líder da empresa é uma mulher, há maior presença feminina em todos os cargos de direcção. Nas empresas lideradas por homens, as equipas exclusivamente masculinas estão em maioria (58,8%).

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players
Automonitor
Chevy Suburban: O primeiro carro com uma estrela em Hollywood