Igualdade de Género – O mercado continua muito tradicional nas questões de género

cite

Sandra Ribeiro, presidente da Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego, avalia Portugal em matéria de igualdade no mercado de trabalho.

A igualdade de género é um direito fundamental que deve ser garantido. «É impossível olhar para as últimas décadas e não reconhecer um claro progresso, ainda que lento, nesta matéria. O mercado português é segregado profissionalmente, tem mais homens em cargos de direcção do que mulheres e denota uma acentuada disparidade salarial de género, acima dos 17% se estivermos a falar de remunerações de base, mas que ascende a 20% se falarmos em ganho real mensal», aponta Sandra Ribeiro, presidente da Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego (CITE).

Ainda há um longo caminho a percorrer, mas desde que assumiu a presidência da CITE em 2010, Sandra Ribeiro e a sua equipa têm reforçado o trabalho junto das empresas, nomeadamente no âmbito da promoção da negociação colectiva tendo em conta uma perspectiva de género. Outra área em que têm vindo a apostar é na formação de públicos estratégicos e no estreitamento das relações com a inspecção do trabalho. Também a prevenção e o combate do assédio no trabalho e a promoção da partilha da licença parental e dos mecanismos de conciliação entre a vida profissional e a vida familiar são áreas que têm trabalhado.Uma conversa que teve como mote o recente projecto “Fórum Empresas para a Igualdade de Género”.

Para ler a entrevista na íntegra, consulte a edição de Julho/Agosto de 2013 da revista Human Resources Portugal.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players
Automonitor
Chevy Suburban: O primeiro carro com uma estrela em Hollywood