O número de empresas em Portugal continua a aumentar. Conheça os sectores em destaque

Até ao fim de Novembro, já foram constituídas 45 471 empresas, praticamente o mesmo número de empresas do que no mesmo período do ano passado, ano em que foi batido o recorde de criação de empresas em Portugal. Quem o diz é o mais recente Barómetro da consultora Informa D&B.

 

Os sectores dos transportes e da construção são os principais responsáveis pelo crescimento da constituição de novas empresas. Estes dois sectores são em conjunto responsáveis por mais de 90% do crescimento das constituições.

Nos transportes, já foram criadas este ano 4 068 novas empresas, mais 2098 que no período homólogo, o que corresponde a um crescimento de 106,5%. O crescimento nos transportes deve-se quase na totalidade às novas empresas registadas no subsector do ‘transporte ocasional de passageiros em veículos ligeiros’.

A construção registou um crescimento de 28,4%, com 5 013 empresas constituídas este ano, sobretudo nos subsectores da ‘construção e promoção de edifícios’ e ‘actividades especializadas’.

Já as actividades imobiliárias, alojamento e restauração, serviços gerais e retalho são os quatro sectores que registam menos constituições de empresas. No alojamento e restauração, o recuo deve-se à quebra de novas empresas no subsector do ‘alojamento de curta duração’, já que a área da restauração mantém níveis semelhantes a 2018. Nos serviços gerais, as empresas ligadas aos serviços turísticos são responsáveis pela quebra, com menos de metade das empresas que foram constituídas no ano passado.

O barómetro revela ainda que, todos os sectores registam menos encerramentos do que em 2018, com excepção da agricultura e outros recursos naturais. No total dos sectores, a descida de encerramentos é de 14,9% face a 30 de Novembro de 2018, com a maioria eles a registar descidas de dois dígitos.

Também as insolvências desceram, tendo sido registada uma quebra de 7%. Apesar da tendência vir já desde 2013, tem-se tornado menos acentuada desde o segundo trimestre deste ano. Este abrandamento da descida das novas insolvências deve-se ao sector das Indústrias, que regista uma subida desde o início do ano. Em 30 de Novembro, este sector registou mais 17,9% de novas insolvências do que em 2018, sobretudo nas empresas têxteis e metalúrgicas.

Ler Mais
Comentários
A carregar...

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
O segredo para um anúncio de sucesso com 6 segundos é…
Automonitor
Presidente promulga diploma sobre alteração de matrículas automóveis