O (fundamental) papel da comunicação interna na cultura organizacional

Nem sempre devidamente valorizada e estudada, a Comunicação Interna, é hoje uma área fundamental para o bom desempenho das empresas e organizações, enquanto veículo transversal de informação, orientação, partilha e motivação.

 

Por Ana Gravato, directora Comunicação Interna & Desenvolvimento Processos RH na Saint-Gobain Portugal, S.A.| Coordenadora Comunicação Corporativa Saint-Gobain em Portugal

 

Trata-se de um elemento fulcral na cultura de uma organização, capaz de aportar um maior sentimento de pertença, orgulho, envolvimento e compromisso dos colaboradores. Numa altura extraordinária como a que vivemos, na qual a pandemia continua a impactar as nossas vidas pessoais e profissionais, as ações de comunicação são muitas vezes o veículo para colmatar a distância.

As empresas têm vindo por isso a acelerar aquilo que já era importante. Depois de quase dois anos a gerir pessoas à distância, criar proximidade e manter o seu compromisso está na ordem do dia. Só assim é possível construir um ambiente emocionalmente saudável, transparente e feliz para os colaboradores.

A todos estes aspectos, somo a importância de envolver nas acções da empresa, todas as pessoas, independentemente da sua posição ou área de trabalho, fazendo com que se sintam valorizadas, integradas e motivadas. É, sem dúvida, um desafio, mas também um motivo para o investimento em boas práticas com benefícios incalculáveis.

É com enorme prazer que tenho assistido e vivido o lançamento de ferramentas e acções de comunicação, quer ao nível interno quer externo, que promovem a proximidade entre pessoas de diferentes cargos nas empresas, para que não se perca informação, conhecimento, envolvimento e compromisso. Sejam estas, por exemplo, conferências online com equipas de direcção partilhando estratégia, projectos ou esclarecendo questões. Eventos virtuais que dão voz a colaboradores e/ou parceiros, partilhando ideias e até emoções. Estamos na era das pessoas e, para que haja liderança, é imprescindível contar com a colaboração de todos e cada um dos nossos colaboradores.

Os canais digitais têm também assumido, nesta fase, um papel notório ao nível da comunicação interna, incentivando e cultivando o diálogo. Manter a comunicação activa, frequente e próxima ajuda o colaborador a saber que todos estamos unidos no mesmo propósito, embora à distância. Falo de comunicar através de canais tão conhecidos, e cada vez mais usados como, newsletters, eventos virtuais, tv e rádios corporativas, ferramentas de gamificação ou redes sociais, nomeadamente o youtube.

São ferramentas excelentes que nos mantém mais próximos uns dos outros e que nos permitem partilhar conteúdos e acções que, dado o momento que atravessamos, não podem ser assistidos por todos em live, mas que com estes recursos poderão ser partilhados tornando possível que as pessoas os possam ver ou conhecer quando e onde quiserem. E, é mesmo isto que uma boa estratégia de comunicação interna deve contemplar, a partilha de conhecimento e objextivos da empresa com a equipa, e a transparência sobre o que se espera de cada um de nós na organização.

Há que saber informar, envolver e cativar, criando ações nas quais as pessoas se sintam acolhidas. Liderar empresas e equipas de sucesso, apoiadas por uma comunicação onde o espírito de equipa, igualdade, respeito e transparência sejam os pilares para o reconhecimento no mercado e na sociedade, deve ser imperativo em qualquer cultura organizacional.

 

Ler Mais
pub


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*