Portugal é dos países europeus mais inovadores. Saiba porquê

No European Innovation Scoreboard (EIS) de 2019,  publicado pela Comissão Europeia , Portugal surge na liderança do grupo de países da União Europeia «moderadamente inovadores» e muito próximo de integrar os «fortemente inovadores». O país subiu à 13ª posição, cinco lugares acima do que se encontrava no último índice. 

 

No capítulo do relatório dedicado a Portugal, destaca-se o desempenho das pequenas e médias empresas e o ambiente propício à inovação. O país encontra-se ainda acima da média europeia em indicadores como a taxa de penetração da rede de banda larga nas empresas, bem como o número de estudantes internacionais em Doutoramento.

Por outro lado, o país regista um baixo número de patentes registadas, uma fraca colaboração entres agentes do sector público e privado, uma diminuta exportação de serviços de conhecimento, bem como pouca disponibilidade de capital de risco privado.

Traçando um retrato geral da União Europeia (UE), dados de Bruxelas mostram que o desempenho dos Estados-Membros ao nível da inovação melhorou 8,8% desde 2011. A nível global, este resultado chega mesmo a superar os valores obtidos pelos Estados Unidos da América.

O top 3 dos países mais inovadores da Europa é actualmente composto pela Suécia, Finlândia e Dinamarca. Do lado oposto, estão a Croácia, Bulgária e Roménia.

O EIS é um relatório anual da CE que mede e acompanha o desempenho em inovação dos Estados-membros da União Europeia desde 2001. Os países são divididos por quatro categorias: líderes de inovação, fortemente inovadores, moderadamente inovadores e inovadores modestos.

Muitos dos  resultados do EIS2019, divulgados recentemente, estarão em evidência no TECH@PORTUGAL, um evento da Agência Nacional de Inovação, que se realizará no dia 4 de Julho, a partir das 9:30, no Centro de Congressos da Alfândega do Porto.

Na iniciativa, realizada no âmbito do SIAC – Iniciativa de Transferência de Conhecimento, co-financiada pelo Compete 2020 – já confirmaram presença 191 entidades, entre as quais centros de interface, clusters, laboratórios colaborativos e empresas. Os seus projectos estarão patentes em espaços de demonstração, divididos em duas áreas: uma dedicada a tecnologias de informação e comunicação, tecnologias de produção e indústria 4.0, e outra destinada a projectos de mobilidade, economia circular e ciências da vida.

The Navigator Company, grupo Mota-Engil, grupo Amorim, Barbot, BA Vidro, Efacec, Vista Alegre Atlantis, Simoldes e Frulact são algumas das empresas já confirmadas para os espaços de demonstração, onde estarão também CoLABs, centros de interface tecnológico e clusters.

A participação neste evento será gratuita, mas o registo é obrigatório. Pode efectuar a sua inscrição aqui.

Ler Mais
Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
Cristiano Ronaldo promove curso que ensina a ser influenciador
Automonitor
Os peculiares protótipos que a Daihatsu vai levar a Tóquio