Quer trabalhar na Microsoft ou no Facebook? Saiba o que procuram os recrutadores

Chamaram-no para uma entrevista de emprego? É bom sinal, mas o currículo nem sempre é o mais importante. É a primeira conversa que irá ditar o seu futuro. 

 

Descubra os conselhos de seis responsáveis de Recursos Humanos de algumas das empresas mais reconhecidas em todo o mundo, citados pelo Business Insider. Saiba o que deve esperar da sua próxima entrevista de emprego, quiçá na Microsoft ou no Facebook, e as respostas que deve ter na ponta da língua para impressionar.

 

Lori Goler, responsável de Recursos Humanos do Facebook
«No Facebook acreditamos no poder dos ‘pontos fortes’, ou seja, se a pessoa está a trabalhar em algo que gosta, terá um melhor desempenho e a satisfação aumenta.

Para termos a certeza que contratamos alguém com um papel que se encaixe nessas características, opto por realizar um questionário sobre os pontos fortes para identificá-los. O que eu pergunto é: ‘O que é que se imagina a fazer no seu melhor dia de trabalho?’.

Na empresa, o trabalho em equipa é uma prioridade e, em muitos casos, necessária. Por isso mesmo, valorizamos candidatos com boa capacidade para trabalhar em grupo para conseguir criar uma comunidade, tornando a equipa mais forte.
Procuramos pessoas que saibam tomar decisões em prol da equipa, que sejam capazes de desempenhar várias funções e, assim, ajudar a organização a alcançar melhores resultados.»

 

Jessica Neal, directora de Talento da Netflix
«Alguém que não seja curioso vai ter dificuldades em trabalhar na empresa. Estamos constantemente à procura de aprender mais sobre a nossa profissão, nós mesmos, os outros e o mundo que nos rodeia. Se você é assim, irá integrar-se na perfeição.

Numa entrevista, um candidato explicou-me da forma mais educada possível como podíamos melhorar um aspecto do nosso trabalho. Gostei muito da coragem e da honestidade dele. Acabámos por fazer-lhe uma oferta de emprego.»

 

Kathleen Hogan, responsável de Recursos Humanos da Microsoft
«A nossa cultura baseia-se numa mentalidade de crescimento, por isso apostamos em pessoas curiosas, com vontade de aprender e crescer. É mais importante ter paixão pelo trabalho do que aptidões ou talento.

No fundo, devem ser um modelo para eles e têm que reflectir os valores e a cultura da empresa. Desta forma, conseguirá inspirar a equipa a aprender, melhorar, desenvolver e alcançar todas as suas aspirações de carreira.

A satisfação é algo muito pessoal. Não temos todos a mesma vida ou aspirações de emprego. O fundamental é ter um propósito.»

 

Jennifer Christie, directora de Recursos Humanos do Twitter
«No Twitter, há uma série de qualidades essenciais que as pessoas devem ter para alcançar um maior impacto. Ser capaz de «esperar pela vez de falar’ é fundamental. Curiosidade, proactividade e autonomia são algumas das características das pessoas que aqui trabalham.

A capacidade de adaptação à mudança, assim como a flexibilidade ou a resiliência, deve lá estar. É fundamental saber antecipar as transformações para marca a diferença.
O momento mais alarmante durante uma entrevista é quando entrevisto uma pessoa que já fez este mesmo trabalho para o qual está a concorrer. Mesmo que cumpra todos os requisitos, pergunto sempre se estariam dispostos a enfrentar novos desafios.

Alguém que quer sair da sua zona de conforto e assumir riscos é muito mais atractivo.
Durante a minha carreira, descobrir que as pessoas que assumem riscos causam maior impacto, inclusive quando não têm a experiência no trabalho em questão.»

 

Christina Hall, vice-presidente sénior e responsável de Recursos Humanos do Linkedin
As pessoas mais bem-sucedidas da empresa são aquelas que souberam reinventar-se. Vivemos num mundo em constante mudança e evolução. Essa é a razão pela qual acredito que a flexibilidade é a característica mais importante que todos os candidatos devem ter.

Por flexibilidade, entenda-se a capacidade de aprender e estar aberto a dar e receber feedback dos colegas. Durante a minha carreira, desde relações públicas, a advocacia e recursos humanos, sempre tive a capacidade de adaptar as minhas aptidões e estilos a todas as novas oportunidades. É indispensável.

O mais importante que um manager deve fazer é saber ouvir. O seu trabalho é fazer com que a equipa atinja o seu potencial máximo, procurando saber o que os motiva e preocupa.

Deve lembrar-se que está a lidar com pessoas. Largue o telefone e permita-lhes falar e ser ouvidos.»

 

Nikki Kirshnamurthy, responsável de Recursos Humanos na Uber
«Entrevistar alguém muito ligado a ‘manuais’, que dá respostas que já ouvi uma série de vezes ou que vem programado é alarmante. É muito muito melhor quando alguém está disposto a criar o seu próprio ‘manual’, que saiba aplicar conhecimentos em qualquer situações e que saiba encontrar soluções para problemas difíceis.

Tenha conversas difíceis. Resista à tentação de evitá-las. Nunca vai ser fácil, porque estamos sempre preocupados com os nossos colaboradores e queremos que eles se sintam bem,mas será muito mais difícil sem essas conversas. É essencial para evitar que os problemas se tornem maiores.

Costumo perguntar o que mais gostam do seu trabalho ou de empregos anteriores para perceber em que é que são bons e o que preferem fazer. Depois, ajudo-os a identificar os cargos que podem incluir essas mesmas funções.»

Ler Mais
Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
Lego lança minissérie no YouTube
Automonitor
Portugal a caminho de bater recorde de produção anual