São estes os sectores que pagam melhor (e pior) na União Europeia

Os sectores e actividades que têm rendimentos mais altos e mais baixos na União Europeia podem diferir entre os países. O Eurostat revela quais são esses sectores de alta e baixa remuneração, medidos em ganhos médios mensais brutos em euros.

 

Em 2018, o sector de «informação e comunicação» era o sector que pagava melhor em doze dos 27 Estados-Membros da União Europeia e era o segundo em outros quatro.

Os ganhos médios mensais brutos foram elevados também para actividades financeiras e de seguros. Embora fosse o sector mais bem pago em “apenas” quatro Estados-Membros (França, Hungria, Malta e Suécia), ficou em segundo lugar em dezesseis e em terceiro em seis Estados-Membros.

Outro sector com ganhos elevados foi o «fornecimento de electricidade, gás, vapor e ar condicionado», que era o sector que melhor pagava em seis Estados-Membros e o segundo mais elevado noutros dois.

No extremo oposto da classificação, «actividades de alojamento e restauração» foi identificado como o sector com salários mais baixos em todos os Estados-Membros, excepto Grécia, Malta e Eslovénia (o segundo mais baixo) e a Croácia (o terceiro mais baixo).

Já os «serviços administrativos e de apoio» são a segunda posição mais baixa na maioria dos Estados-Membros (12 dos 27) e a mais baixa no geral em três países (Grécia, Croácia e Eslovénia).

A educação foi a actividade económica mais bem paga no Luxemburgo e a segunda melhor em Chipre em 2018. Enquanto o Comércio por atacado e varejo, sector da reparação de veículos automóveis e motociclos era, em média, o mais bem pago na Grécia, estando entre as indústrias com baixos rendimentos na maioria dos outros Estados-Membros.

Os ganhos na construção foram classificados no a meio da tabela na maioria dos Estados-Membros, sendo o sexto sector mais bem pago na Polónia e o sétimo na Estónia, Letónia, Países Baixos e Suécia.

Em contraste, o sector da construção era o que pagava menos em Malta em 2018 e também estava entre os mais baixos na Croácia e na Roménia (o segundo mais baixo), bem como na Hungria, Portugal e Eslovênia (o terceiro mais baixo).

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...