Se quer alcançar sucesso profissional não cometa estes três erros

«Há três erros com que me deparo, regularmente, nas pessoas que acompanho e que quase sempre se fazem adivinhar por uma frase proferida pela maioria que procura apoio na sua Gestão de Carreira: “Não sei o que quero!”», avança o consultor de Gestão de Carreira, Artur Moura Queirós, no site Alento.

 

«Ao longo dos últimos 10 anos em que trabalhei e pensei sobre a Empregabilidade, cheguei à conclusão que as pessoas não sabem o que querem porque não sabem o que podem».

Desconhecimento

O primeiro passo para se destacar no mercado passa por se conhecer bem a si próprio, a sua concorrência e, em função disso, escolher o mercado que pretende abordar, ideia de resto presente no livro A Arte da Guerra de Sun Tzu, sob a forma de um discurso bélico.

Isto implica saber qual é o seu perfil técnico e comportamental, perceber o que o mercado procura e o que é que a concorrência está a oferecer para ter conquistado o lugar desejado por si.

Nota: Lembre-se que se deve focar naquilo que o mercado necessita e não naquilo que na sua opinião o mercado devia valorizar.

Posicionamento Errado

“Não há ventos favoráveis para quem não conhece o seu rumo”. Séneca.

Este é, muito provavelmente, o erro com que mais me deparei ao longo da minha carreira: frases como “Estou disposto (a) a trabalhar em qualquer coisa” ou “Estou à procura de um novo desafio profissional”, entre outras, que para o mercado significam que a pessoa não sabe o que quer e/ou está desesperada. Nada de bom pode vir deste cenário!

Os tempos em que ser “Licenciado em generalidades” era bom ficou preso no fim dos anos 90. Atualmente, é a especialização que é valorizada, por isso, foque-se. Defina um objetivo com recurso à metodologia SMART e não permita que o seu discurso cause sequer a mínima dúvida a quem o ouve relativamente à certeza e objetividade sobre o que quer.

Não tenha receio de ao focar estar a desperdiçar possíveis oportunidades, não é assim que o mercado funciona! No entanto, para quem não conseguir ultrapassar esse medo e, principalmente, para alguns perfis como é exemplo o do recém-licenciado, pode funcionar algo como: “O meu objetivo profissional é XPTO, estando recetivo a outras oportunidades que considerem pertinentes face ao meu perfil.”. Atenção, não funciona com todos os perfis!

Desconfiança

Todo o mercado funciona através da confiança. Deve, por isso, questionar-se sobre qual o nível de confiança que desperta no mesmo!

Que competências, passado e autoconfiança detém como preditores de um futuro que corresponda às expectativas do seu interlocutor?

Analise-se de forma séria e profunda, atinja um nível aceitável nos seus pontos fracos e trabalhe muito os pontos fortes porque são esses que lhe vão permitir distinguir-se no mercado, como costuma dizer Pedro Félix nas suas intervenções.

Por fim, trabalhe a sua capacidade de comunicação e lembre-se que o seu interlocutor vai dar mais importância a tudo o que salientar no seu discurso, por isso, foque-se em tudo o que tem de bom e já concretizou com uma autoconfiança proporcional à motivação que tem para alcançar o trabalho que almeja.

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...