Sector Cervejeiro emprega mais de 50 mil pessoas. E é mais qualificado e melhor remunerado do que a média nacional

O sector Cervejeiro emprega directa e indirectamente 51.739 pessoas, que corresponde a 1,69% dos empregos gerados ou mantidos em Portugal. A conclusão é de estudo da Universidade Nova SBE sobre o sector Cervejeiro.

Em matéria de caracterização de emprego, o sector cervejeiro apresenta valores acima da média em termos de qualificação e remuneração nos seus 2615 empregos directos. Mais de metade (53,9%) recebem um salário bruto anual entre 10.000 euros e 20.000 euros, um valor superior ao do sector das Bebidas (36,6%) e da Economia Portuguesa (25,5%).

O estudo mostra também que o sector cervejeiro é mais qualificado do que a média nacional e 26,33% dos trabalhadores com licenciatura, 58,2% com mestrados e 33,3% dos doutorados de todo o sector das bebidas trabalham nos cervejeiros em Portugal.

Para além destes dados, o sector assegura uma maior segurança e estabilidade no trabalho, contando com uma maior percentagem de contratos sem termo (78%) comparativamente ao sector das bebidas (77%) e ao resto da economia (64%).

Em termos de rendimento de trabalho, a fileira da cerveja impactou a economia com 821 milhões de euros, representando 1,22% do rendimento total nacional. Cada colaborador do sector contribuiu, nesse ano, com cerca de 112.633 euros, 1,5 vezes mais do contributo médio de um trabalhador do sector das Bebidas e duas vezes mais do valor estimado para um trabalhador na economia portuguesa, levando à conclusão que se Portugal fosse tão produtivo quanto o sector cervejeiro, teríamos o nível de desenvolvimento dos Estados Unidos.

O estudo revela que actualmente composto por cerca de 100 empresas produtoras, das quais 96 são microcervejeiras, sediadas em 74 localidades, ao longo de 22 concelhos de Portugal, os cervejeiros nacionais são responsáveis, no que respeita ao sector das bebidas, por cerca de 18% da produção total e por 30,5% do valor acrescentado no país. Mas a maior fatia percentual incide no rendimento do trabalho pois, se o sector das bebidas em Portugal gera um rendimento na ordem dos 232 milhões de euros, 39,7% respeita à fileira da cerveja, também responsável por 20,1% dos empregos totais gerados no sector das bebidas.

Na última década, 2019 representa o marco histórico da indústria da cerveja em Portugal, pois foi o ano com o maior volume de produção desde 2014, atingindo os 710 milhões de litros, e o maior volume de consumo doméstico desde 2010, registando o pico de 550 milhões de litros de cerveja. No ano que precedeu a actual pandemia, o sector revelou-se altamente produtivo, atribuindo cerca de 2.602 milhões de euros em valor acrescentado para a economia portuguesa, 1,53% do PIB nacional.

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...