Selo da Diversidade não encontra boas práticas no “compromisso da gestão de topo”

A terceira edição do Fórum Nacional para a Diversidade e Inclusão, este ano dedicado ao tema “Integração da Vida Profissional e da Vida Pessoal”, decorreu no passado mês de Outubro e contou com mais de 140 participantes. No evento foram entregues os prémios relativos à segunda edição do Selo da Diversidade a um total de nove organizações, com dez boas práticas premiadas.

 

O Selo da Diversidade foi criado pela Carta Portuguesa para a Diversidade para premiar práticas inspiradoras de diversidade e inclusão dentro das organizações empregadoras.

A primeira categoria, sobre o compromisso da gestão de topo e outros níveis hierárquicos, não obteve nenhuma organização distinguida.

A segunda categoria, sobre cultura organizacional, premiou o BNP Paribas Portugal com o programa “Diversity & Inclusion Employees’ Network”, a Câmara Municipal de Guimarães (“Acções de Sensibilização EMI – Explore the Gender, Mode mind and Inspire your world”), o Centro Social da Trafaria da Santa Casa da Misericórdia de Almada (“Somos de Todo o Mundo”) e a Essilor Portugal (“março, Mês da Diversidade e Inclusão”).

A terceira categoria, sobre Recrutamento, Selecção e Práticas de Gestão de Pessoas, teve como organizações distinguidas o El Corte Inglés (“A Diferença Enriquece-nos”), a Fundação AFID (“Treino de Competências”) e o Grupo Portugália (“Responsabilidade Social Corporativa – Empregabilidade”).

A quarta categoria, subordinada ao tema do Desenvolvimento Profissional e Progressão na Carreira, distinguiu novamente o El Corte Inglés com a iniciativa “Aprendizagem ao Longo da Vida para Tod@s”.

A categoria reservada à Comunicação da Carta e dos seus Princípios distinguiu a Natixis com o projecto “Champion for Change”. Por fim, na categoria número seis, relativa às Condições de Trabalho e Acessibilidades, a Gebalis foi distinguida com o “Programa Eixo IV – Mobilidade/Acessibilidade”.

O primeiro dia do Fórum contou com a presença da secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, Rosa Monteiro, e com uma sessão simbólica de assinatura das novas 23 adesões à Carta Portuguesa para a Diversidade, que soma agora um total de 261 organizações signatárias.

No segundo dia, foi abordada a temática da integração da vida profissional e vida pessoal, tendo sido foram apresentadas e partilhadas práticas e processos, por organizações como o ISCTE, EDP, Microsoft, LYD, GEBALIS e a Essilor e, ainda a perspectiva individual, contando com testemunhos de trabalhadores de outras organizações.

O Fórum Nacional para a Diversidade e Inclusão é uma iniciativa da Associação Portuguesa para a Diversidade e Inclusão, criada no final do ano passado com o objectivo de dinamizar as iniciativas da Carta Portuguesa para a Diversidade, instrumento que visa promover a diversidade e a inclusão das organizações.

A Carta para a Diversidade é uma iniciativa da União Europeia que visa encorajar os empregadores a implementar e desenvolver políticas e práticas internas de promoção da diversidade. A Carta Portuguesa para a Diversidade surge em linha com os esforços encetados pela Comissão Europeia, contando já com 261 organizações signatárias.

Ler Mais
Comentários
A carregar...

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
YouTube faz 15 anos: o que mudou e o que ainda vai mudar
Automonitor
Presidente promulga diploma sobre alteração de matrículas automóveis