Sente-se constantemente cansada? Esta pode ser a causa (e tem tratamento)

BRANDED CONTENT

Verdadeiro problema de saúde pública, a anemia apresenta uma questão de desigualdade de género, pois as mulheres surgem em desvantagem relativamente aos homens. Conheça os sintomas e como a prevenir.

 

 

Não há como fugir: na rádio, na televisão, nos transportes públicos ou online, a desigualdade salarial entre homens e mulheres está na ordem do dia, resultado de uma campanha que chama a atenção para uma batalha antiga, deixando o mote no feminino: “Eu Mereço Igual”. Mas há outra batalha, fruto também de uma desigualdade que se tem de combater, esta com informação: a da anemia. Também aqui as mulheres estão em desvantagem em relação aos homens.

O estudo português EMPIRE, realizado pelo Anemia Working Group Portugal (AWGP), concluiu que este é um verdadeiro problema de saúde pública, muito prevalente e constantemente esquecido. Outra das conclusões revela que a prevalência é superior nas mulheres, estimando-se que duas em cada cinco portuguesas tem baixas reservas de ferro. A menstruação é uma das razões que o justifica. Todos os meses, a perda de sangue, que é um exclusivo feminino, pode deixar marcas, uma vez que, ao perder sangue, que contém ferro, a mulher está também a perder este nutriente. É por isso que, garante a ciência, as mulheres precisam de até duas vezes mais ferro do que os homens. Caso este equilíbrio deixe de existir, instala-se progressivamente a deficiência de ferro que, por sua vez, pode dar origem à anemia.

Estar cansado é um estado universal, mas ainda que o cansaço possa ser normal, importa perceber a sua causa. Distinguir o que é cansaço normal do sintoma de que nem tudo vai bem pode não ser tarefa fácil. Se a exaustão persistir ou se a falta de energia se prolongar por vários dias, afectando o corpo e a mente sem que haja grandes motivos para tal, esse pode ser o sinal de que sofre de deficiência de ferro ou anemia.

 

A fadiga é sinal de falta de ferro no organismo, que se reflete em falta de energia e numa exaustão constante. A concentração começa a faltar, afectando a memória a curto prazo, a qual deixa de ser o que era, causando ainda uma irritação constante.

Porquê? A resposta está associada ao oxigénio ou, melhor, à redução deste, resultado de uma diminuição do número das células sanguíneas, que fazem o transporte do oxigénio a partir dos pulmões para os órgãos vitais do corpo, os glóbulos vermelhos.

 

Quando assim é, um dos sintomas é a fadiga que não passa.

Porquê? O ferro é um nutriente fundamental para o corpo humano, estando presente na hemoglobina contida nos glóbulos vermelhos. No sangue, a hemoglobina transporta o oxigénio dos pulmões para o resto do corpo. O cérebro necessita de oxigénio para ter concentração e os músculos para terem energia física. O ferro também é necessário para manter um sistema imunitário saudável ajudando no combate às infecções.

É importante valorizar o que sente, evitando cair na tentação da justificação simples, ou seja, de associar o cansaço à agitação diária.

 

Quais as análises clínicas necessárias

Identificar os valores de ferro no organismo e identificar se está com anemia ou deficiência de ferro é um processo simples. Para além do “conhecido” e muito pedido, hemograma, é necessário também quantificar as reservas de ferro através de um indicador designado por ferritina.

 

Saiba quais os valores recomendados pela Direcção-Geral da Saúde

Segundo a Norma de Orientação Clínica da Direção Geral da Saúde (NOC nº 30/2015 DGS “Abordagem, Diagnóstico e Tratamento da ferropénia no adulto”) considera-se uma situação de anemia quando o valor de hemoglobina é inferior a 13 g/dL nos homens e 12 g/dL nas mulheres e de ferropénia, ou deficiência das reservas de ferro, quando o valor de ferritina é inferior a 30 ng/mL na população adulta.

 

A deficiência de ferro e a anemia têm tratamento

Após a realização das análises clínicas, que deverão ser avaliados pelo médico assistente, e logo que o diagnóstico esteja confirmado, este recomendar-lhe-á a melhor opção de tratamento. A escolha do medicamento para correcção dos níveis de ferro varia consoante a gravidade da deficiência de ferro e da anemia, sendo que poderá ser indicado o tratamento com ferro endovenoso.

 

Se desconfia que está com anemia ou deficiência de ferro, é importante que fale com o seu médico. Saiba mais sobre a anemia e a deficiência de ferro em www.umasaudedeferro.pt.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...