Tax & Legal: Descubra quais os perfis mais procurados

Este ano, o volume de pedidos por parte de empresas Tax & Legal cresceu de forma bastante acelerada face ao volume de pedidos por parte de Sociedades de Advogados, numa óptica de redução de custos com a externalização de serviços. Quem o diz é o estudo anual da Michael Page sobre a evolução das principais tendências de recrutamento para o próximo ano para quadros executivos, em empresas de grande dimensão.

 

No caso das sociedades, a aposta continua a ser a incorporação de perfis bastante séniores, com carteira de clientes relevante e com o objetivo de desenvolver ou criar departamentos de raiz.

Relativamente às áreas de prática, e também por oposição ao ano anterior, destacam-se com maior movimentação as de Corporate & M&A, Fiscal, Direito Público, Contencioso Civil, Direito Imobiliário, Laboral e Comercial. Destaca-se ainda uma acentuada procura de perfis juniores na área de Concorrência e Energia.

Por parte das empresas, manteve-se o interesse por perfis mais generalistas e versáteis, com background nas áreas de Corporate, Civil e Comercial, bem como algumas necessidades na área de Protecção de Dados.

Nas consultoras o foco continua a ser nas três áreas tradicionais: Auditoria, Consultoria e Impostos. No momento de atracção destes talentos, verifica-se uma grande tendência de procura de posições em Cliente Final, sendo valorizado um plano de carreira claro. Relativamente aos pacotes salariais, estes mantiveram-se estáveis, ainda que tenha existido alguma alteração na remuneração variável.

Relativamente ao mercado das consultoras na área de Tax, a tendência verificada em 2019 voltou a registar-se, existindo uma elevada rotatividade nos diferentes departamentos, com a maior procura a verificar-se na posição de Senior, nas diferentes áreas, com clara ênfase na área de Corporate Tax.

Do lado dos consultores, a procura passa por transitar para o denominado “Cliente Final”, nomeadamente por questões relacionadas com o work/life balance.

Como exemplos de remuneração, nas sociedades de advogados de pequena dimensão, a remuneração oscila entre 14.500 euros para um advogado estagiário e 78 mil euros para um advogado associado, nas consultoras, um director jurídico numa empresa média ou de grande dimensão pode auferir até 160 mil euros.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*