Três aspectos-chave que os Recursos Humanos não podem descurar no regresso ao escritório

Numa altura em que muitas empresas se preparam para o regresso à normalidade, a Meta4 A Cegid Company,  aponta três aspectos-chave que os profissionais de Recursos Humanos (RH) devem ter em consideração para facilitar a gestão dos seus colaboradores durante o regresso ao trabalho regular.

 

1. Gestão dos processos de administração pessoal
Ultrapassado o momento mais crítico da pandemia e, nesta nova etapa, a área de RH deve continuar a dedicar a máxima atenção à gestão de todos os aspectos relacionados com o cumprimento normativo e legal, no que diz respeito ao retorno progressivo dos profissionais à normalidade laboral, especialmente no caso daqueles que infelizmente foram afectados por processos de regulação de emprego.

Nestas situações, as organizações devem reincorporar os colaboradores afectados e executar os procedimentos correspondentes com as autoridades laborais de forma rápida, simples e sem erros, com o objectivo de recuperar a sua dimensão e actividade comercial. Tal sucederia de igual forma para as licenças de pagamento temporário e com a gestão das horas “a devolver”, ou com a administração dos pedidos dos colaboradores (licenças médica, ausências, férias, etc.) ocorridos durante este período.

As soluções Cloud irão permitir que as empresas simplifiquem a gestão de todas estas situações, sendo o fornecedor responsável pela actualização tecnológica legal dos sistemas, além de permitir que giram o processo sob a forma de teletrabalho, graças à capacidade de acesso remoto e instantâneo que estas soluções fornecem.

 

2. Gestão da comunicação
Neste novo contexto, será da máxima importância manter um fluxo de comunicação adequado da empresa para os colaboradores, transmitir todas as informações relevantes sobre os aspectos que estes devem conhecer e nos quais é necessária a sua participação. Podem incluir comunicações referentes a novas directrizes e políticas da empresa, a disposições especiais que afectam apenas certos grupos de profissionais, como por exemplo, o uso de equipamentos de protecção individual específicos para aceder a determinadas áreas da empresa ou, para medidas específicas para os trabalhadores que lidam com o público.

Ter uma solução tecnológica que ofereça, tanto recursos de comunicação segmentada como de gestão descentralizada, por exemplo; informar os trabalhadores acerca do local definido para a recolha dos materiais de protecção, acedendo a licenças por meio de um portal de colaborador para os colaboradores identificados, comunicar aos gestores de equipas as etapas específicas a serem implementadas. Tal irá permitir obter uma vantagem competitiva, aumentando a eficiência dos processos, bem como a velocidade e flexibilidade organizacional.

 

3. Gestão da incerteza
Por fim, neste contexto de incerteza, os RH devem ter a capacidade de prever, do ponto de vista operacional, como todo o processo de retoma será realizado, tendo em conta que tal requer trabalho de preparação e previsão de todas as acções que deverão ser realizadas antes, durante e após a reintegração de colaboradores.

Nos momentos anteriores à reincorporação, será essencial a compilação de informações sobre os colaboradores que permita identificar necessidades e aspectos críticos que devem ser tidos em consideração no momento de regresso à empresa. Uma vez reintegrados, o ponto crítico será o fortalecimento da comunicação e o acesso dos profissionais às informações necessárias para o desenvolvimento da actividade sob este novo paradigma e com novas regras. Ferramentas tecnológicas, como portais de colaboradores (como pontos de acesso a informações e para facilitar a auto gestão), chatbox’s (para aliviar a carga de trabalho de uma área de RH sobrecarregada, ou outras) e o acesso mobile, permitirão que os profissionais, assim como suas áreas de RH, se mantenham actualizados das políticas exigidas para se adaptarem à nova situação de uma forma simples.

E, um último aspecto a ter em consideração após a reintegração, no qual a tecnologia será essencial, é tirar proveito das lições aprendidas e implementar as melhorias identificadas. Questão que exige tanto o retorno à actividade dos colaboradores como a reactivação de todos os processos de RH, como recrutamento, desenvolvimento profissional. Assim, e tendo em conta um futuro incerto, será aconselhável analisar objectivamente aspectos como a eficiência e a flexibilidade demonstradas pelas organizações durante esta situação crítica, ou seja, se só foi possível trabalhar em “modo de sobrevivência” ou se realmente se tem sido eficiente. Ter soluções tecnológicas para todas estas questões será de vital importância, tanto para realizar a própria análise como para a execução das áreas a melhorar.

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...