Vertente Humana: O potencial emocional e social como resposta aos actuais desafios

Complementarmente às competências técnicas, as skills sociais são hoje essenciais para lidar com a crise.

Especializada em recrutamento, selecção e consultoria na área dos Recursos Humanos, a Vertente Humana, tal como outras empresas do sector, encontrou na pandemia de COVID-19 um conjunto de desafios a ultrapassar. Hugo Valentim, director executivo da Vertente Humana, falou com a Human Resources Portugal sobre como recrutar é hoje um processo diferente e alicerçado no digital. Possível, mas com a tendência para se tornar híbrido quando a pandemia estiver sob controlo e as restrições forem levantadas.

 

De que forma os processos de recrutamento se alteraram comparativamente ao período pré-pandemia?
Os processos de recrutamento e selecção passaram maioritariamente a ser feitos de forma online, dadas as contingências impostas pela pandemia. De um dia para o outro houve uma mudança radical na forma como os processos eram desenvolvidos, deixando de ser maioritariamente presencial para serem desenvolvidos de forma remota. No entanto e apesar de tudo, foi um processo aceite naturalmente por todas as partes envolvidas, dados os riscos e as orientações das autoridades de saúde.

 

As ferramentas digitais têm a eficácia desejada tendo em consideração que a entrevista presencial sempre foi uma das fases mais importantes de um processo de recrutamento?
Pela nossa experiência, e depois de mais de um ano passado, fazemos um balanço positivo da utilização das ferramentas digitais, para o desenvolvimento dos processos de recrutamento e selecção e contacto com candidatos e colaboradores. Na verdade, superaram as nossas expectativas na eficácia, atendendo às limitações no contacto presencial, contudo, julgamos que no futuro será desejável combinar o presencial com o digital, na medida em que a entrevista presencial permite estabelecer outra ligação com os candidatos, permitindo assim uma avaliação mais completa.

 

A típica dinâmica de grupo, muito utilizada no recrutamento e selecção para algumas áreas é concretizável hoje?
No actual contexto pandémico, onde os processos de recrutamento e selecção são desenvolvidos de forma remota, não julgamos adequado desenvolver dinâmicas de grupo para a avaliação dos candidatos, pelo que não o temos feito, contudo, com o retomar da normalidade pensamos voltar a utilizar as dinâmicas de grupo em alguns processos de recrutamento.

 

A pandemia obrigou à adopção de novas metodologias e processos. Estas novas formas de contratar estão a ser consideradas como provisórias face à contingência ou irão manter-se no pós-pandemia?
Julgamos que as novas metodologias e processos implementados durante a fase de pandemia, pela necessidade de garantir a segurança de candidatos, colaboradores e clientes, irão permanecer no pós-pandemia. Na verdade, verificou-se uma aceleração da revolução tecnológica, da denominada IV Revolução Industrial, que temos vindo a assistir e vivido nos últimos anos, e estas irão manter-se e acelerar-se nos próximos tempos.

 

Após o recrutamento, como são encaradas questões como o onboarding num contexto de teletrabalho?
O onboarding dos colaboradores, num contexto de teletrabalho, é um verdadeiro desafio para todas as empresas, com todas as dificuldades inerentes ao acompanhamento inicial e formação dos colaboradores, contudo, temo-nos adaptado bem, procurando, dentro do possível, que o mesmo seja feito presencialmente pelas chefias directas, numa fase inicial, passando posteriormente para um acompanhamento remoto em teletrabalho.

 

A adaptação dos novos colaboradores tornou-se mais difícil numa situação como a actual, em que muitas vezes não conhece os colegas e chefias num ambiente presencial?
A adaptação dos novos colaboradores no actual contexto de teletrabalho tem sido naturalmente mais difícil, podendo até ser desmotivante para os mesmos, caso não seja garantido o devido acompanhamento e formação, mesmo que de forma remota.

Esperamos que com o retomar da normalidade, os colaboradores possam voltar gradualmente aos escritórios, permitindo aos novos colaboradores interagirem com colegas e chefias, e integrarem-se mais facilmente na cultura da empresa.

 

Que outros desafios ainda estão associados ao teletrabalho um ano depois da sua implementação “forçada”?
Um dos grandes desafios é, certamente, a motivação dos colaboradores no actual contexto desafiante, onde muitas vezes é difícil manter um equilíbrio vida-trabalho, onde falta igualmente o contacto presencial e convívio com os colegas de trabalho e chefias, que era diário e regular antes da pandemia, impactando eventualmente na sua produtividade e engagement.

 

Quais são as grandes tendências que se avizinham para a área de Recrutamento e Selecção?
No actual contexto, o processo de recrutamento e selecção deverá valorizar no candidato o seu potencial emocional, social e intelectual, na medida em que é através destas qualidades que os colaboradores saberão lidar com os desafios e mudanças da revolução tecnológica e da actual crise.

Temos o ser humano no centro da equação, como pessoa, onde as qualidades profissionais e as qualidades humanas se complementam, proporcionando uma relação virtuosa com a realidade actual de permanente evolução tecnológica, por um lado, e por outro com as competências necessárias para lidar e gerir a actual crise.

Face a isto, a área de recrutamento e selecção tornou-se ainda mais estratégica e essencial para as organizações, na medida em que permitirá recrutar e seleccionar as pessoas que garantirão o seu desenvolvimento e sucesso.

Assim, e de acordo com a necessidade de uma crescente especialização de funções, e com a necessidade de avaliar o candidato no seu potencial emocional, social e intelectual, a Vertente Humana está preparada para dar resposta aos vários processos de recrutamento e selecção, com ferramentas e tecnologia que permitem recrutar e avaliar os melhores candidatos, aplicando, sempre que necessário, testes psicotécnicos online.

Apresentamo-nos como um parceiro estratégico das empresas, com capacidade para resolver as várias necessidades de recrutamento e selecção das organizações, sem nunca descurar a Vertente Humana em todas as fases do processo.

 

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...