No âmbito do programa UpSkill o ISCTE vai formar 250 programadores informáticos

O ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa é a instituição de ensino superior responsável pela formação de 50% dos primeiros 500 profissionais de tecnologias digitais que, a partir de hoje, dia 15 de Setembro, vão ser integrados no programa “UpSkill: Digital Skills & Jobs” para trabalharem em empresas como programadores informáticos. Os restantes técnicos serão formados por outras instituições do ensino superior.

Dirigido prioritariamente a jovens que tenham o 12.º ano e que estejam desempregados ou que queiram mudar de trabalho, a preparação do programa UpSkill: Digital Skill & Jobs envolveu os ministérios da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, da Economia e do Trabalho. Para além do ISCTE, o programa é desenvolvido em parceria com o Instituto de Emprego e Formação Profissional – IEFP, a Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações – APCD e o Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos – CCISP e várias empresas (ver exemplo de Acordo de Cooperação).

«O Iscte está empenhado neste programa que pretende combater o desemprego e aumentar o nível de qualificação dos portugueses em Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), uma área que foi identificada como prioritária dadas as dificuldades que as empresas tecnológicas enfrentam hoje em Portugal para recrutar os programadores de que precisam», afirma Maria de Lurdes Rodrigues, reitora do ISCTE.

A maior parte das 12 turmas a cargo da institução de ensino nesta primeira fase do UpSkill (cerca de 250 alunos) vão ter as suas aulas nas instalações da StartUp Sintra e as restantes na sede desta universidade em Lisboa. A utilização das instalações da StartUp são fruto de uma parceria com a Câmara Municipal de Sintra. A proximidade de um ambiente de empreendedorismo tem também como objectivo criar oportunidades de projectos empresariais próprios para os participantes na formação.

O UpSkill, é um programa de formação profissional é financiado pelo IEFP e destina-se a desempregados que tenham pelo menos o ensino secundário, competências na língua inglesa e que pretendam obter qualificações na área das tecnologias digitais. O objectivo passa pela qualificação de recursos humanos através de uma formação intensiva de seis meses em áreas como a programação em várias linguagens, gestão de plataformas cloud ou programação em plataformas low-code.

Após este período, os formandos terão mais três meses de estágio em contexto empresarial, nas instalações dos futuros empregadores, com possibilidade de contratação no final do curso. As empresas, aliás, comprometem-se a contratar 80% dos formandos. Durante a formação inicial que terá início a 15 Setembro os participantes têm direito a uma bolsa de 635 euros. A partir de Março de 2021, com o início do estágio nas empresas, o salário mínimo de referência destes primeiros formandos subirá para 1200 euros.

O UpSkill terá novas edições até formar e colocar no mercado de trabalho mais de três mil quadros informáticos.

Ler Mais
pub


Comentários
A carregar...