Liderar pelo exemplo: a constante que não pode variar

Marta Carvalho Araújo acredita que um dos principais desafios da liderança de qualquer empresa passa, actualmente, pela capacidade de gestão da constante e rápida mudança. No meio dessa instabilidade, «o papel dos líderes passa muito por ancorar as suas equipas».

Tony Li, Huawei: O capital mais valioso

«Fazer crescer o capital humano é mais importante do que fazer crescer o capital financeiro. Essa visão ajuda-nos a criar valor a longo prazo.» Quem o afirma é Tony Li, CEO da Huawei Portugal, que não tem dúvidas de que o recurso mais valioso da empresa «são os cérebros dos colaboradores».

Maria da Luz Penedos: O “coração” que une todas as pessoas

É assim que Maria da Luz Penedos vê a Comunicação na Altran. Envolvendo os colaboradores na criação de conteúdos e mantendo-os alinhados com a cultura e estratégia da organização, acredita que se gera sentimento de pertença, orgulho e motivação.

Sandra Alvarez: Gosto pela mudança, sem medo do incerto

Diz ter uma “liderança adaptável”, e adaptável tem sido também o percurso de Sandra Alvarez, porque muda sempre que sente que já não está a acrescentar valor. Ou quando o sítio onde está não lhe acrescenta valor a si.

Da base ao topo da pirâmide

Na Häagen-Dazs privilegia-se a progressão de carreira e a retenção de talentos. E Sílvia de Sousa e Mónica Galvão são a prova viva disso mesmo. Tendo chegado ao “topo da pirâmide”, o que as mantém motivadas é a vontade de fazer sempre mais e melhor.

A verdadeira revolução é a das pessoas

Nunca como nos dias de hoje a realidade foi tão desafiante. Que o digam Mário Vaz e José Miguel Leonardo, que lideram empresas, nada mais nada menos, do que no sector da Tecnologia e da Gestão de Pessoas. E concordam: o factor-chave do que quer que a transformação digital traga, são as pessoas.