Flash Talk: «Marcamos a diferença pela qualidade e pelo factor educativo.»

Na época de Natal, a Science4You factura 70% do seu negócio, motivo pelo qual contrataram mais 150 colaboradores para o último trimestre do ano. Miguel Pina Martins, fundador e CEO da empresa portuguesa de brinquedos didácticos explica como é feita esta gestão e também o “segredo” do crescimento médio de 100% ao ano.

 

Por Ana Leonor Martins

Desde que foi criada por Miguel Pina Martins, em 2008, a Science4You tem protagonizado um crescimento exponencial, em Portugal e internacionalmente. Actualmente, tem mais de 800 referências de brinquedos, 49 lojas/ stands próprios em Portugal e 10 em Espanha, está presente em mais de 20 mil pontos de venda a nível europeu através de distribuidores e cadeias como o Harrods ou FNAC e conta com mais de 460 trabalhadores nos três países onde tem escritórios – Portugal, Espanha e Reino Único.

A Science4You factura 70% do seu volume de negócio nesta época do ano. Como é que se preparam para esta realidade?
Durante todo o ano, produzimos as quantidades mínimas de produto necessárias para quando chegamos aos últimos meses do ano, conseguirmos responder às urgências de última hora que possam surgir. Para além disso, fazemos sempre um reforço de colaboradores a partir de Setembro para fazer face ao aumento de encomendas que recebemos.

Para o último trimestre do ano contrataram mais 150 colaboradores. Essencialmente para que funções?
Principalmente para a fábrica, pela necessidade de produção de brinquedos mas também fizemos algumas contratações para os escritórios, neste caso para acompanhar o crescimento da empresa.

Como foi feito o recrutamento e que características privilegiaram?
O recrutamento destes 150 novos colaboradores foi feito através de uma empresa de recrutamento e para a posição em causa privilegiamos sempre características como capacidade de trabalhar sob pressão, saber manusear máquinas fabris, espírito de equipa e vontade de aprender.

Como é feita a integração de tantas pessoas na equipa e como é feita a sua gestão, nomeadamente ao nível de motivação, visto que, na sua maioria, não deverão permanecer na empresa?
As pessoas já sabem à partida que é um contrato temporário, mas também sabem que cerca de 25% dessas pessoas têm a oportunidade de ficar na Science4you depois da época de Natal. Essa é a principal motivação para quererem fazer um bom trabalho e darem o seu melhor.

Desde a sua criação em 2008, todos os anos a Science4You tem crescido exponencialmente, em todas as áreas: produtos, lojas, pessoas e mercados. Qual a vossa dimensão actualmente, nestas diferentes dimensões?
A nível de produtos, contamos com mais de 800 referências de brinquedos; temos 49 lojas/ stands próprios em Portugal e 10 em Espanha. A nível europeu, estamos presentes em vinte mil pontos de venda através de distribuidores e cadeias como o Harrods, FNAC, Hamleys, entre outros. No total contamos com mais de 460 trabalhadores nos três países onde temos escritórios – Portugal, Espanha e Reino Único – e estamos já presentes em 35 países em todo o mundo.

Qual acha que é o “segredo” desse sucesso? Em Portugal terão pouca concorrência mas a nível internacional o mercado é muito competitivo…
Acredito que marcamos a diferença pela qualidade dos nossos produtos. O facto de termos distribuidores chineses a importar os nossos brinquedos é prova disso. Depois passa também pelo factor educativo presente em todos os produtos. Os pais não compram apenas um brinquedo que entretenha os filhos mas sim algo que os ajude a aprender enquanto brincam.

O que representa o mercado internacional na vossa facturação? Têm equipas fora para assegurar essa gestão?
Este ano, 50% das vendas já foram feitas fora de Portugal. A gestão nos mercados externos é feita através de colaboradores da Science4you, no caso de Espanha e do Reino Unido, e nos outros países trabalhamos com os nossos distribuidores, em quem depositamos bastante confiança e que nos asseguram a gestão e estratégia de vendas dos nossos produtos.

Com o aumento da equipa, passaram a ter preocupações acrescidas ao nível da Gestão de Pessoas? Quais as prioridades a este nível?
Sim, com o aumento da equipa sentimos a necessidade de aumentar a motivação dos colaboradores e temos um departamento dedicado às actividades internas, para além de termos uma plataforma onde todos os colaboradores podem partilhar a sua opinião e propor sugestões de melhoria, as quais são tornadas realidade sempre que façam sentido.

Quais os principais desafios para 2017?
Temos crescido 100%, em média, todos os anos e neste momento estamos interessados em estabilizar esses números. Para o próximo ano temos dois objectivos principais: consolidar a nossa presença nos países europeus e entrar, a sério, no mercado norte-americano.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players
Automonitor
As ideias (brilhantes) da Skoda