Programa UPskill arranca com previsão de mais de 30 turmas e cerca de 800 vagas

A segunda edição do Programa UPskill – Digital Skills & Jobs já foi oficialmente lançada numa cerimónia em Bragança. Esta nova edição traz novidades, como o alargamento da iniciativa a novas regiões e instituições de ensino superior – Alentejo (Évora) e Algarve (Faro); a realização pela primeira vez de cursos em Leiria, Coimbra, Braga e Bragança, reforçando a requalificação de pessoas em TIC no interior do país.

A realização desta edição por ciclos permitirá continuar a receber pedidos de recursos humanos pelas Empresas e lançar novas formações, de acordo com as necessidades concretas do mercado.

A iniciativa, criada em parceria pela APDC, o Estado e a Academia, tem como objectivo responder à falta de talento TIC nas Empresas, essencial para acelerar a transição para o digital, promovendo em simultâneo a requalificação de desempregados ou pessoas em situação de subemprego em áreas com forte procura.

Nesta segunda edição, é concretizada uma das ambições do Programa de aumentar o número de vagas em áreas como a programação, redes e gestão de plataformas e serviços. Perante o reforço da procura de recursos humanos por parte das Empresas, a Iniciativa passa agora a ser realizada por ciclos.

Assim, foi aberto a 14 de Outubro o período de candidaturas destinadas à criação de um total de 20 turmas, que envolverão 300 formandos. A formação decorrerá em instituições de ensino superior de Lisboa, Porto, Faro, Braga, Bragança, Setúbal e Viseu.

Para meados de Novembro, está previsto o lançamento do novo período de candidaturas, apontando os números, ainda provisórios, para mais 16 turmas, cuja formação se deverá realizar em Braga, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Guarda, Leiria, Lisboa e Porto. Com base nos resultados, poderá ocorrer novo ciclo procurando contemplar as restantes vagas indicadas pelas empresas.

Outra novidade desta edição do UPskill é a criação – além das turmas partilhadas por várias empresas -, de turmas dedicadas, destinadas apenas às necessidades de talento de uma empresa, que assegura um número de formandos igual ou superior a 15 numa dada tecnologia e localização. A maior parte das turmas previstas nestes dois primeiros ciclos são já dedicadas, para responder às necessidades de empresas como a Inetum, a Deloitte, a Capgemini Engineering, a Unipartner, a Minsait , a Bizdirect ou a Everis.

Entre as áreas de formação solicitadas pelas Empresas estão tecnologias como o .Net, OutSystems, Java, PowerPlatform, Microsoft CRM, Cloud AWS, Cloud Microsoft Azure, Appian, ServiceNow, Android, Datawarehouse BI, Robotic Process Automation / V&V – Validation & Verification, Salesforce e SAP.

Foram ainda introduzidas um conjunto de alterações para tornar o processo mais eficaz, eficiente e célere. Assim, foi lançado um Portal da Candidaturas, para fornecer uma visão mais completa do status das candidaturas e da formação, aos candidatos/formandos. Há também um novo modelo de seleção dos candidatos, com a realização online de testes cognitivos, de motivação e de inglês. E o processo de colocação dos formandos em formação profissional em contexto de trabalho tem novas regras, para trazer maior celeridade e agilidade no processo de colocação.

As empresas terão uma maior participação em todo o processo, nomeadamente um maior diálogo com a as instituições de ensino superior, em áreas como a colaboração e/ou aprovação formal dos planos formativos das acções de formação e do conteúdo de dois momentos de avaliação (intermédia e avaliação final).

Ler Mais
pub


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*