Barómetros

Barómetro. Inteligência Artificial: entre criação e destruição de emprego, há um empate. Será?

Afinal, parece que o turnover e o absentismo nas empresas em Portugal já não é preocupante. A inteligência artificial está a ser mais utilizada em tarefas antes feitas por humanos, mas entre criação e destruição de emprego há um empate. E a maioria das pessoas conseguirá corresponder à necessidade de novas competências. Nesta 52.ª edição do Barómetro Human Resources a tónica é, portanto, inequivocamente optimista.

Barómetro. Quais as prioridades para 2024, para gestores de Pessoas e CEO?

Sobre aqueles que serão os grandes desafios da Gestão de Pessoas para 2024, não há grandes novidades, com a atracção e retenção de talento a voltar a destacar-se. No entanto, não é essa a prioridade dos CEO. Mas é outro o dado que sobressai neste 50.º Barómetro Human Resources, e cujo alerta já tinha sido dado em 2022: a maioria das lideranças em Portugal não tem as competências necessárias para enfrentar os desafios que se avizinham. Uma nota positiva: as perspectivas de contratação e de aumentos salariais são optimistas.

Testemunhos

Joana Couto, Prio Energy: De que falamos quando falamos em flexibilidade?

Na análise aos resultados da 52.ª edição do Barómetro da Human Resources, Joana Couto, directora de Recursos Humanos da Prio Energy, aponta que «uma organização que quer crescer terá de saber olhar para a flexibilidade de forma proactiva e positiva, percebendo que a capacidade de pessoas e…

Paulo Barreto, Crédito Agrícola: A nossa inteligência

Na análise aos resultados da 52.ª edição do Barómetro da Human Resources, Paulo Barreto, director de Recursos Humanos do Crédito Agrícola, salienta que «as pessoas devem continuar a desenvolver a sua inteligência, com limites que não conhece, para poder usar correctamente o conhecimento que é…

Isabel Borgas, NOS: Vamos sobreviver e vencer, pois com certeza!

Na análise aos resultados da 52.ª edição do Barómetro da Human Resources, Isabel Borgas, directora de Pessoas e Organização da NOS, acredita que «em busca da sua imprescindibilidade, as pessoas serão as primeiras a adaptar-se à inteligência artificial, recrutando a sua criatividade e inteligência…