10 000!

Dez mil horas são, de forma arredondada, 417 dias. Isso dá algo como pouco mais que um ano e um mês, e é a métrica a que Malcom Gladwell alude em “Outliers” para definir o “purgatório” pelo qual alguém tem necessariamente que passar para ter sucesso no empreendimento a que se propõe.

Os desafios para 2020 num sector em pleno emprego

O sector do Turismo tem estado em grande crescimento em Portugal e, com ele, têm surgido vários desafios ligados à escassez de colaboradores, entre os quais a atracção de talentos de outras áreas.

Strategic workforce planning: Presente e futuro

No actual contexto, caracterizado por uma evolução tecnológica exponencial e com cada vez maior imprevisibilidade, a abordagem tradicionalmente mais estruturada de planear a força de trabalho está sob pressão. E um novo paradigma começa a emergir. Leia o artigo de Pedro Ribeiro, director de…

O desafio como proposta de valor

A Gestão de Pessoas é hoje uma disciplina cada vez mais complexa nas organizações. E não o é por se desconhecerem os factores ou as técnicas. Neste capítulo, não nos falta conhecimento e o investimento das empresas e pessoas em ferramentas é crescente. A complexidade adensou-se porque as pessoas…

Um fascinante mundo novo

Somos nós, como “DRH”, que temos a missão de encontrar o melhor caminho para que, tanto as novas gerações como as “old school”, consigam apaziguar-se neste mundo em que o hoje não é o ontem nem será o amanhã.

Menos respostas, mais perguntas

Quanto mais vamos avançando na carreira de Recursos Humanos, mais vamos sendo expostos a situações e contextos mais complexos e menos convencionais. Para os enfrentar, é mais importante a capacidade de formular boas perguntas do que de encontrar as respostas certas.

A importância de saber gerir pessoas

É cada vez mais claro que o sucesso empresarial não assenta numa pessoa mas, antes, entre vários outros factores, no contributo e na valorização de todos os colaboradores.

Einstein, a relatividade e os Recursos Humanos

O mundo é cada vez mais global e aberto, com todas as imensas vantagens que daí resultam, mas por outro lado há que entender cada vez melhor os outros. Sobretudo na questão do tempo.

Opinião: Temos que ter tempo para parar

A pressão a que estamos sujeitos no dia-a-dia deixa-nos pouco tempo e, sobretudo, pouco tempo para parar. É necessário voltarmos a dar “tempo ao tempo”. Por Diogo Alarcão, CEO da Mercer Portugal Os prazos apertados, a necessidade de cumprir metas e objectivos, a pressão para…