Liderança em tempos de pandemia: comunicar com transparência é indispensável

Se ser um bom líder é difícil, o que dizer de ser um líder de referência em tempos de pandemia? Numa altura em que o medo e a insegurança são as emoções predominantes, em que há uma turbulência a abanar as empresas, os empregos e a própria forma de trabalhar, liderar poderá ser uma missão hercúlea. Contudo, não é uma missão impossível. O foco na comunicação e na transparência ajuda a liderar melhor em tempos pandémicos.

 

Por Amália Carvalho, profissional de comunicação organizacional

Em tempos de crise, a nossa necessidade psicológica de segurança fica muito abalada. Não sabemos o que vai acontecer, se no final do mês o nosso posto de trabalho se mantém, se os clientes que tínhamos como garantidos continuarão a sê-lo ou se a empresa superará a quebra do volume de encomendas. A pergunta que se impõe é: como liderar em tempos 21de crise?

Foi esta a bela questão que coloquei a Pedro Vieira, CEO da Life Training, em jeito de conversa no podcast Bela Questão e que resultou num conjunto de ideias inspiradoras para quem lidera equipas. Pedro Vieira entende que as crises são cíclicas. Esta não é exceção e certamente que deixará marcas. Contudo, as crises lembram-nos que, metaforicamente falando, “há momentos em que o mar vai ficar revolto e as ondas nos colocam à prova. Nesses momentos, ou aprendemos a nadar ou sabemos nadar para nos pôr em segurança. “Muita gente só se lembra de ‘aprender a nadar’ quando está à rasca e já quase sem conseguir ‘respirar’”.

Tal como nos procedimentos de emergência dos aviões, primeiro o líder de colocar a máscara de oxigénio em si próprio, antes de colocar nos outros. Tem de ser o exemplo. “A melhor ferramenta que eu tenho uma influenciar os outros é o meu próprio comportamento”, afirma Pedro Vieira.

Se cuidar do seu próprio estado e ser líder por exemplo é importante, igualmente ou ainda mais crucial é haver transparência em relação à informação que se tem ao seu dispor. A insegurança das pessoa já é latente dadas as circunstâncias, por isso, o mais importante é dar informação sobre o que está factualmente a acontecer e sobre os passos projectados. “Deixar as pessoas discutir sobre quais são as possibilidades e dar-lhes também espaço para partilharem as suas inseguranças” é igualmente importante para gerar um ambiente de confiança.

Nestes momentos, por vezes, o líder sente que tem que salvar psicologicamente a sua equipa e começa a usar e a abusar dos clichês como: “vai correr tudo bem” e “só temos que acreditar uns nos outros”. Claro que vai correr tudo bem, só que, neste momento, o mais importante não é isso. Em momentos de turbulência, o que mais ajuda é ter uma comunicação transparente e, principalmente para quem lidera pequenos negócios ou para quem lidera equipas dentro de grandes empresas, não vestir o papel de super-homem: “Tenho que aguentar isto pela minha equipa, tenho que os proteger”. Esta protecção, muitas vezes, faz com que o líder seja o primeiro a cair, mental e psicologicamente.

Líderes com uma comunicação aberta, transparente e honesta darão mais tranquilidade, confiança e segurança às suas pessoas.

 

Ler Mais
pub


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*